Chip Ganassi vence as 12 Horas de Sebring

Chip Ganassi vence as 12 Horas de Sebring

Ganassi venceu na classe DPi. (Foto: Divulgação)

A  equipe Chip Ganassi Racing conquistou na noite desta sábado, 19, a vitória da edição 2022 das 12 Horas de Sebring. O Cadillac #02 dos pilotos Earl Bamber, Neel Jani e Alex Lynn, enfrentou problemas durante a prova, contudo, conseguiu se recuperar e vencer a prova.  

Contudo, Bamber cruzou a linha 6,471 segundos à frente do #5 da JDC-Miller Motorsports Cadillac de Tristan Vautier, que herdou a liderança com o Richard Westbrook duas vezes na última 1 hora e 15 minutos.

Resultado final da prova

Da mesma forma, Bamber, que tinha uma vantagem de quase 30 segundos com o carro da Chip Ganassi, foi punido com drive-through por ser responsável por um incidente com o Duqueine #13 da equipe AWA de Kuno Wittmer. Nesse ínterim, Westbrook ultrapassou Bamber com 58 minutos para o término da prova. Mas acabou tocando na Ferrari #21 da AF Corse de Simon Mann. Bamber recuperou a liderança. 

O brasileiro Pipo Derani terminou em terceiro com o Cadillac #31 da Action Express. Posteriormente ele bateu no Acura #60 da Meyer Shank Racing Acura ARX-05 de Stoffel Vandoorne com 2 horas e 34 minutos para ir.

Tom Blomqvist levou o Acura da MSR para o quinto lugar, sendo superado pelo Acura #10 da equipe Wayne Taylor Racing. Enquanto isso, Will Stevens, perdeu mais de 30 segundos devido a uma penalidade de drive-through por perder o leitor RFID no pit-out com menos de quatro horas para o final para o #10. 

Problemas para a Chip Ganassi

O Cadillac #48 da Action Express de José Maria Lopez, Kamui Kobayashi e Mike Rockenfeller saiu da disputa, após o carro sofreu uma falha no freio dianteiro esquerdo com duas horas restantes. Ele terminou em sexto na geral, cinco voltas atrás do #02.

Por fim, o Cadillac #01 da Chip Ganassi, sofreu problemas de caixa de câmbio desde o início, com Sebastien Bourdais relatando problemas de redução de marchas que levaram a uma longa troca de caixa de câmbio que a deixou mais de 30 voltas atrás.

Vitória da PR1/Mathiasen na classe LMP2

A PR1/Mathiasen Motorsports obteve uma vitória dominante na classe LMP2, com Mikkel Jensen, Ben Keating e Scott Huffaker. Jensen levou o Oreca #52 obteve uma volta de vantagem para o Oreca #29 da Racing Team Nederland de Giedo van der Garde.

Ryan Dalziel, Dwight Merriman e Kyle Tilley completaram o pódio da classe, o #18 Era Motorsport Oreca. O oreca #81 da DragonSpeed não completou a prova, depois de um acidente envolvendo o piloto Juan Pablo Montoya, durante a terceira hora de prova.

Na classe LMP3, a vitória ficou com os pilotos da equipe Sean Creech Motorsport de Malthe Jakobsen, João Barbosa e Lance Willsey, que lutou contra problemas de embreagem com seu Ligier JS P320. Eventualmente, Jakobsen assumiu a liderança no terço final da corrida depois que o #74 da Riley Motorsports Ligier de Kay van Berlo colidiu com o Porsche #9 da Pfaff Motorsports, pilotado por Mathieu Jaminet, faltando pouco mais de três horas para o fim. 

Foi a primeira vitória de Sean Creech na IMSA. Ari Balogh da Jr III Racing, Garett Grist e Dakota Dickerson voltam para casa em segundo , com o # da38 Performance Tech Motorsports. 

Corvette vence na classe GTD-Pro

Corvette vence na classre GTD-Pro. (Foto: Corvette)

A Corvette Racing ganhou na classe GTD-Pro, com os pilotos Antonio Garcia, Nicky Catsburg e Jordan Taylor. Garcia fechou a corrida, com uma diferença de 4,4 segundos à frente de Mirko Bortolotti, com o Lamborghini da equipe TR3 Racing. 

O #3 foi um forte adversário, durante toda a corrida. Catsburg ultrapassou o piloto da Pfaff Motorsports Porsche Matt Campbell, assumindo a liderança faltando quatro horas e meia restantes. Bortolotti dividiu o segundo lugar com os pilotos Maro Mapelli e Andrea Caldarelli, enquanto Jules Gounon cruzou a linha em terceiro #97 da WeatherTech Racing, que também teve como pilotos Maro Engel e Cooper MacNeil.

Na classe GTD, a Cetilar Racing conquistou sua primeira vitória na IMSA, quando Antonio Fuoco se recuperou de um acidente na hora oito. Fuoco recebeu uma penalidade de drive-through quando tocou o líder da corrida, Bill Auberlen, na curva 3, custando várias posições para a Ferrari #47.

Disputas em todas as posições

Os companheiros de Fuoco, Giorgio Sernagiotto e Roberto Lacorte, ultrapassaram o BMW da Turner Motorsport de Bill Auberlen faltando uma hora e 20 minutos restantes. A duas horas do final, Fuoco  estava em terceiro lugar, atrás do Turner BMW e do Mercedes da  Alegra Motorsports Mercedes-AMG GT3 Evo pilotado por Maximilian Goetz.

A equipe de Cetilar, superou o Mercedes da Alegra nos boxes durante a décima hora e Sernagiotto manteve-se à frente até as penúltimas paradas. Por fim, a Alegra caiu fora da disputa quando seu Mercedes-AMG com um problema de direção hidráulica, enquanto Fuoco passou por Auberlen antes de partir para uma liderança significativa.

Logo depois, o BMW da Turner, que tinha sido um dos favoritos, perdeu seu provável pódio, quando Auberlen teve de parar, evitando uma punição porde tempo de condução. Essa parada não programada aos boxes com meia hora para o final permitiu que a equipe Gilbert Korthoff Motorsports ficasse em segundo com Daniel Juncadella, Mike Skeen e Stevan McAleer.

Toni Vilander, Simon Mann e Luis Perez Companc, da AF Corse, ficaram em terceiro, colocando duas Ferraris no pódio. Robby Foley ficou em quarto no BMW da Turner, que também foi pilotado por Michael Dinan, enquanto Jordan Pepper levou a McLaren da Inception Racing McLaren 720S GT3 para um quinto lugar.

Published
5 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.