Toyota vence pela quarta vez as 24 Horas de Le Mans

Mesmo com a vitória, Toyota teve diversos problemas com o #8. (Foto: Divulgação)

Chuva, acidentes e resistência. Esses foram os ingredientes para a edição 2021 das 24 Horas de Le Mans, realizada neste sábado e domingo, na França. Coube a Toyota “fugir” de todos os obstáculos e vencer a prova. 

Mike Conway, Kamui Kobayashi e José Maria Lopez foram os responsáveis pela primeira vitória de um protótipo Hypercar em Le Mans. OToyota GR010 Hybrid  #7 superou um problema intermitente relacionado ao combustível que impactou tanto o carro vencedor quanto o segundo colocado Toyota #8 nas últimas seis horas.

Com um início complicado por causa da chuva, o #7 se manteve na primeira posição durante toda a prova, não tendo adversários que pudessem conquistar o primeiro lugar. 

Resultado final

O Toyota #8 começou a prova recebendo um toque do Glickenhaus  #708 pilotado por Olivier Pla. Sebastien Buemi que estava no #8 enfrentou dois furos de pneus nas primeiras três horas, não tendo condições de lutar pelo primeiro lugar.  

Para complicar a situação, o #8 parou na pista para reiniciar o sistema e enfrentar problemas de vibração na  16ª hora, seguido pelo início de um problema de combustível não identificado que viu o carro realizar stints  mais curtos. Ele também realizou uma parada não programada para substituir a porta do lado direito.

Ambos os Toyotas, terminaram a prova com preocupação. Além deles o Alpine LMP1 e os dois carros da Glickenhaus terminaram a corrida. 

Kobayashi terminou duas voltas à frente do #8 de Buemi, Kazuki Nakajima e Brendon Hartley para a quarta vitória consecutiva da Toyota em Le Mans. Ele marcou o primeiro triunfo da equipe do #7 em Sarthe, depois de perder nos últimos três anos.

O  Alpine #36 de Nicolas Lapierre, Matthieu Vaxiviere e André Negrão completou o pódio em terceiro, terminando quatro voltas atrás do vencedor. A equipe francesa perdeu tempo depois de uma rodada de Lapierre na volta 3, enquanto estava em segundo, seguido por uma saída de pista com Vaxiviere ao volante na primeira chicane durante a oitava hora, ficando na oitava posição..

O  Glickenhaus #708 se recuperou do incidente no início da corrida de Pla para terminar em quarto ao lado com os pilotos Pipo Derani e Franck Mailleux, com o carro #709 pilotado por Richard Westbrook, Ryan Briscoe e Romain Dumas completando os cinco primeiros.

WRT vence na classe LMP2

Pane seca na última volta evitou uma dobradinha da equipe WRT. (Foto: Divulgação)

Com o maior número de inscritos, a classe LMP2 viu a equipe WRT vencer, apesar de uma parada na última volta para o #41 pilotado por Yifei Ye. Isso custou uma dobradinha inédita para a equipe..

O carro de Ye desacelerou na pista na última volta ao entrar na ponte Dunlop, entregando a vitória na classe ao carro #31 de Robin Frijns, Ferdinand Habsburg e Charles Milesi.

Frijns, que usava pneus dianteiros com quatro stints, já enfrentou problemas com as pistolas de ar nos boxes, conseguiu segurar o Oreca #28 da equipe JOTA com uma diferença de 0,727 segundos no final da prova. 

Ye assumiu a liderança nas horas finais, quando o carro #31 da WRT sofreu uma falha no air jack, forçando a equipe a trocar os pneus com uma bolsa inflável. Na penúltima parada de Frijns, a equipe só realizou a troca  dos pneus traseiros e sua parada final foi apenas para completar combustível.

Ela marcou a quarta grande corrida de endurance da WRT que venceu na estreia em Le Mans, após vitórias nas 24 Horas de Nürburgring 24, 12 Horas de Bathurst e 24 Horas de Dubai. 

Blomqvist, Sean Gelael e Stoffel Vandoorne foram os segundos próximos da primeira posição, recuperando-se de uma penalidade de 90 segundos por violação do safety car no início da corrida. O Panis Racing #65 de Will Stevens, James Allen e Julien Canal ficou com a terceira posição

O JOTA #38 que largou na pole, rodou após Anthony Davidson ter um filtro de óleo furado, sendo obrigado a realizar um reparo mais longo. A United Autosports teve uma corrida desafiadora, com dois de seus três carros se envolvendo em acidentes. O #22 teve problemas no alternador, O #23 terminou em quarto depois de um furo de pneu. O #34 da equipe Europol Competition completou os cinco primeiros da classe.

Na LMP2 Pro-Am os vencedores foram #21 da equipe DragonSpeed de Ben Hanley, Juan Pablo Montoya e Henrik Hedman, apesar de problemas de combustível da falta de piloto com menos de duas horas para o término da prova. Hanley teve que dar uma volta a mais no circuito  depois de perder a entrada do box com 1 hora e 45 minutos restantes para o fim da prova.

A equipe também errou com o tempo de condução que deixou Hedman 1 minuto a menos em seu tempo de condução exigido e forçou a equipe americana a colocar o piloto para terminar a prova.

Hedman resistiu aos desafios de Loic Duval e Job van Uitert até que os dois pilotos parassem para completar combustível nos minutos finais. Pela segunda vez na história do programa, o SRT41 recebeu a bandeira quadriculada com sua inscrição Innovative com os apresentando Takuma Aoki, Nigel Bailly e Matthieu Lahaye, terminando em 33º geral. O Oreca da equipe Graff Racing apresentava controles manuais especiais para Aoki e Bailly.

Ferrari vence na classe GTE

AF Corse vence na classe GTE-Am. (Foto: Ferrari Races)

James Calado, Alessandro Pier Guidi e Come Ledogar venceram a classe GTE-Pro com a Ferrari que também conquistou o primeiro lugar na classe  GTE-Am 

Os pilotos do #51 da AF Corse dominaram a segunda metade de uma corrida cheia de obstáculos e acidentes.  Pier Guidi levou a bandeira quadriculada 41,6 segundos à frente de Antonio Garcia no Corvette #63, que foi co-pilotado por Jordan Taylor e Nicky Catsburg.

Esses foram os únicos dois carros a terminar na primeira volta, com o Porsche 911 RSR-19 #92 em terceiro e quarto lugar, sem conseguir desafiar os líderes.

Kevin Estre, Neel Jani e Michael Christensen completaram com o #92. Gianmaria Bruni, Richard Lietz e Frederic Makowiecki acabaram três minutos e meio atrás de seus companheiros depois que seu Porsche #91 passou por uma parada de cinco minutos para reparos na hora final, devido à carroceria traseira ter sido danificada. 

Apesar da demora, a equipe do #91 ainda tinha uma vantagem para a Ferrari #52 de Daniel Serra, Miguel Molina e Sam Bird, que sofreu vários imprevistos. O Corvette #64 completou os seis da classe após vários problemas gerados pelo contato com a Ferrari vencedora da classe na volta de formação, que exigiu uma troca de difusor.

Tommy Milner, Nick Tandy e Alexander Sims também tiveram problemas na caixa de câmbio, embreagem e alternador e terminaram 32 voltas atrás do vencedor. Os dois Porsches privados da WeatherTech Racing e da HubAuto Racing abandonaram a corrida.

AF Corse vence também na classe GTE-Am. (Foto: Ferrari Races)

Na classe GTE-Am, Nicklas Nielsen e François Perrodo e Alessio Rovera, conquistaram uma vitória dominante  para a AF Corse. Nielsen foi o piloto que fechou a corrida com a Ferrari #83 com 1 minuto e 41 segundos à frente do Aston Martin #33 da TF Sport Felipe Fraga, Dylan Pereira e Ben Keating.

O AF Corse liderou de forma consistente desde a sétima hora em diante, após um período inicial de domínio da TF Sport. A Ferrari teve uma corrida forte durante a noite, enquanto TF encontrou um contratempo na noite de sábado, quando Fraga bateu na primeira parede de pneus chicane de Mulsanne antes de fazer reparos.

A manhã viu AF Corse consolidar a vantagem que tinha construído ao longo das horas anteriores, com passagens consistentes de todos os três pilotos. Matteo Cressoni, Rino Mastronardi e o piloto de testes de Fórmula 1 Callum Illot, fazendo sua estréia em Le Mans, ficaram em terceiro na classe com a Ferrari #80 da Iron Lynx..

Iron Lynx também terminou em quarto com Paolo Ruberti, Raffaele Giammaria e Claudio Schiavoni, que acabou a menos de um minuto dos pilotos da Dempsey-Proton Matt Campbell, Jaxon Evans e Christian Ried.

A classe registrou nove abandonos, mais do que qualquer outra categoria, pois 14 dos 23 carros chegaram ao final.

 

 

 

Published
2 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.