Porsche e Le Mans, uma corrida para esquecer

(Foto: Porsche AG)

Mesmo com um pódio na classe GTE-Pro na edição 2021 das 24 Horas de Le Mans, o Porsche 911 RSR não apresentou um desempenho fraco, sem condições de lutar pela vitória ou enfrentar as Ferrari da equipe AF Corse. 

 Os pilotos Kévin Estre e Neel Jani e Michael Christensen, conseguiram o terceiro com o 911 #92 O #91 dos pilotos Gianmaria Bruni, Richard Lietz  e o francês Frédéric Makowiecki encerraram a corrida em quarto lugar. A luta interna entre os dois carros de trabalho pelo pódio foi decidida cerca de uma hora antes do término da prova: Depois de sair da pista na última chicane, a parte traseira do #91 teve que passar por reparos e uma substituição dos freios.

Mesmo sem conseguir lutar pela vitória, o vice-presidente de motorsport da Porsche, Fritz Enzinger, afirma que a prova foi boa. “Nossa equipe teve um desempenho impecável e vigoroso”, explica. “Infelizmente, faltou um pouco de velocidade para poder desafiar os outros carros pela vitória na classe. O resultado do pódio para nosso #92 ainda é uma bela recompensa pelo trabalho apaixonado que nossos mecânicos fizeram na pista de corrida e de volta à nossa sede em Weissach. Obrigado a todos que contribuíram para esta conquista”, enfatiza. 

Os dois carros estabeleceram um ritmo normal. No entanto, devido ao azar durante duas fases do safety car, uma diferença de cerca de três minutos do líder surgiu no primeiro terço da corrida. Foi impossível reduzir essa margem apenas pelo desempenho nas horas restantes da corrida.

Ao contrário de outros eventos de corrida, quando ocorre um incidente em Le Mans, três carros de segurança são enviados para a pista ao mesmo tempo. Isso se deve ao comprimento do circuito de 13.626 quilômetros. Como resultado, os carros são divididos em três grupos. Se os carros estiverem atrás do mesmo safety car que o líder, eles podem recuperar o terreno perdido. Aqueles que seguem o segundo veículo de segurança são imediatamente prejudicados, perdendo pelo menos 90 segundos. Isso aconteceu com os dois Porsche 911 RSR de fábrica.

“A corrida não foi apenas difícil, também foi decepcionante para nós. Esperávamos lutar pela vitória”, conclui Alexander Stehlig, Chefe de Operações do WEC. “Apesar da nossa preparação boa e sistemática, não tivemos o desempenho dos tempos por volta e a velocidade máxima que esperávamos em comparação com nossos adversários. Agora vamos levar algum tempo para analisar tudo mais uma vez com a FIA e ACO e ver por que não fomos capazes de igualar o desempenho dos nossos adversários”, explica.

Equipes de clientes também enfrentaram problemas

Enquanto os dois 911 RSR de fábrica garantiram o terceiro e quarto lugares, os dois carros das equipes de clientes enfrentaram problemas mais sérios. O #79 da WeatherTech Racing não completou a prova após um acidente envolvendo o americano Cooper MacNeil na manhã de domingo. O veículo da HubAuto Racing, que havia marcado a pole position, abandonou com um defeito técnico na manhã de domingo. 

O #77  Dempsey-Proton Racing dos pilotos Matt Campbell, o dono da equipe Christian Ried e o neozelandês Jaxon Evans terminaram em quinto lugar na classe GTE-Am. O carro irmão #88, que largou da pole position classe, conseguiu a décima terceira posição. As equipes de clientes Absolut Racing e Herberth Motorsport concluíram sua estreia em Le Mans nas posições 7 e 10, respectivamente. Várias outras equipes da Porsche abandonaram cedo. Os dois 911 do Team Projetc 1 e o #99 da  Proton Competition não completaram a prova. A GR Racing perdeu tempo devido a longos reparos após um acidente e terminou a corrida em 14º colocação. 

Published
2 meses ago
Categories
24 Horas Le Mans
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.