Thiriet by TDS Racing e Newblood by Morand Racing, as equipes desastradas nas quatro horas de Imola

phototheque-2013-Imola-p18o7b5c5j7rsocu7o611ju1s338-252520-2525281280x853-252529_thumb-25255B1-25255D

 Equipadas com os competentes Morgan Nissan, tanto a TDS Racing, quanto a Morand Racing enfrentaram problemas durante as 4 horas de Imola, quando nitidamente estavam na liderança da prova.

Largando na segunda posição, e com uma estratégia ousada o #46 que nos treinos classificatórios foi pilotado por Tristan Gommendy, conseguiu alinhar na segunda posição, e esperava pular na ponta ainda na primeira curva. Assim Ludovic badey, é escalado para iniciar a prova, mas já na largada perde a segunda posição e algumas voltas mais tarde é atingido por outro LMP2, ficando na quarta posição, quando entrega o carro para Lyon. “O início foi complicado, porque o pole não cumpriu com o procedimento! Em seguida, o início  foi difícil porque tínhamos decidido ficar com os pneus que não foram pré-aquecidos. A condução estava difícil, e seu comportamento era estranho. Eu consegui manter minha posição. Mas foi difícil com os retardatários”.

Com paradas rápidas a equipe consegue voltar a segunda posição, e depois de 15 minutos já estava em primeiro, com uma vantagem confortável, mas um furo no furo no pneu fez o carro voltar aos boxes, e quando retornou a pista, estava na terceira posição. “ Nos meus dois turnos tudo ocorreu bem. Inicialmente, o carro estava um pouco nervoso, eu tive que me adaptar. Após o reabastecimento, eu estava liderando e, além disso, eu sabia que Tristan me aliviar! Infelizmente, tive um furo no pneu e eu fui forçado a trocar.” Comenta Gommendy.

Mesmo com a entrada do carro de segurança a equipe conseguiu reagir e reassumiu a liderança, depois de descontar 30 segundos em poucas voltas, mas um problema com os discos de freio, obrigaram o #46 a uma nova parada nos boxes. “ O carro foi bastante equilibrado, mas o tráfego pesado era muito difícil de transpor. Depois de 3 ou 4 voltas aumentei o ritmo e alcancei Simon Dolan (Zytek da Jota Sport). Foi difícil ultrapassar, mas eu cheguei lá! Infelizmente, no final da reta, o pedal do freio estava no fundo e eu ouvi algo quebrar. Eu quase não tinha freios, eu esperei um pouco antes de anunciar a equipe. Mas ainda havia mais de uma hora de corrida, eu não podia continuar assim. Paramos para mudar o disco. Perdemos a corrida quando ela estava quase ganha, ninguém poderia nos pegar “. Finaliza. Após o reparo o carro voltou na quinta posição e se manteve até o final da corrida.

Morand Racing perde tudo a 5 minutos do fim.

phototheque-2014-Imola-p18o5ar79u18fh14b3bedl44o8-252520-2525281280x853-252529_thumb-25255B2-25255D

Caminho semelhante teve a Morand Racing, que realizou uma corrida sólida com Christian Klien, Gary Hirsch e Romain Brandel, mas faltando pouco mais de 5 minutos para o final da prova teve que abandonar por problemas de alimentação, quando liderava.

Gary Hirsch foi escalado para iniciar a prova, largando na quinta posição, e depois das suas seções de pit-stops chegou na segunda posição. ” Tentei preservar os pneus até meu primeiro pit, então eu comecei a atacar. A estratégia de corrida foi seguida ,e a equipe fez um trabalho incrível, carro estava fantástico. Agora temos de olhar em frente, porque vamos continuar a lutar pelo campeonato. Temos um bom ritmo de corrida e nossa capacidade de desenvolver boas estratégias. “

Roman Brandel manteve o bom ritmo iniciado por Hirsch, porem um contato com outro LMP2 na disputa pela liderança, além de ter quase ter batido em uma Ferrari que acabara de rodar na sua frente. Com um condução forte entregou o carro em quarto para seu companheiro de equipe. “Eu tentei fazer o meu trabalho da melhor maneira possível proteger o carro e trazê-lo de volta em boas condições para que Christian pode terminar corretamente o trabalho. Tivemos uma equipe de qualidade, durante todo o final de semana, os mecânicos foram fantásticos, mas Estamos decepcionados, é claro, mas estamos no jogo. “

No parte final da corrida Christian Klien, assume a liderança, mas faltando poucos minutos para o término da prova, as chances de vitória minam com problemas  no motor do carro. “Meu duplo stint foi muito bom, eu estava feliz com o carro e foi um bom equilíbrio, só tinha que administrar os pneus, mas eu poderia ser mais rápido do que os carros a minha frente. Eu esperei o momento certo para ultrapassar. Nosso carro foi rápido, eu já senti o cheiro do champagne, mas de repente a pressão do óleo do motor começou a cair. Nós realmente merecíamos a vitória porque a equipe trabalhou muito bem, enquanto Romain Gary dirigiu perfeitamente. Nós temos o pacote certo para a vitória no ELMS. Estamos prontos para o Le Mans, e nós faremos o nosso melhor lá.” completou.

Published
8 anos ago
Categories
ELMSMorgan
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *