Mark Webber satisfeito com sua primeira corrida no mundial de Endurance

M14_0621_thumb-25255B2-25255D

Ausente das provas de Endurance desde 1999, quando competia pela equipe Mercedes, o australiano Mark Webber, encontrou em seu retorno a modalidade, uma realidade totalmente diferente. Sistemas de recuperação de energia, motores menores e muita tecnologia. Foi neste cenário que Webber e a Porsche estrearam em Silverstone para a primeira etapa do Mundial de Endurance.

Webber que até 2013, foi piloto da Red Bull na F1, correr em provas e longa duração depois de um longo período com monopostos foi diferente. “Eu aprendi muito durante a minha primeira corrida no WEC. Demorou algum para eu assumiu o volante e não havia nada que eu pudesse fazer enquanto os outros pilotos estavam na pista. Também é muito importante saber como relaxar e se certificar de que você está pronto para assumir o volante. Eu também aprendi muito no tráfego com os retardatários, que era algo novo para mim, além de controlar e cuidar com os detritos na pista, o que para mim também é novo. Há muito mais detritos em corridas de endurance do que na Fórmula 1. Além disso, eu fiz a minha primeira corrida de pit stop com troca de pilotos. Embora este sejam pequenas coisas, é muito importante estar em sintonia. “

A Porsche que voltou de forma oficial a principal classe do campeonato a LMP1, e que foi bem nos treinos de pré-temporada, fez uma corrida modesta, em não chegou a fazer frente a vencedora Toyota e a Audi que, fez um das piores corridas desde que inicio na modalidade, aonde os dois carros enfrentaram problemas. “Nós mantemos nossos pés no chão, apesar do pódio.  Em Silverstone, o diálogo entre todos os pilotos, engenheiros e a equipe em Weissach foi excelente. Todos trabalharam bem em conjunto para melhorar várias partes do carro. “

Mesmo com a boa estreia, tanto jornalistas, quanto fãs questionavam Webber sobre as diferenças entre um protótipo e um F1, categorias tão diferentes. “A principal diferença é ter menos arrasto aerodinâmico. Claro, vamos ter menos apoio do que na F1 sabendo que o carro é um pouco mais pesado. A velocidade é boa, mesmo em comparação com F1, e acho que o carro vai estar mais adaptado ao circuito de SPA, que é uma das melhores corridas do calendário e um dos meus circuitos favoritos. Tenho boas lembranças. Logo após a primeira corrida é bom manter espaço. O tempo irá desempenhar um papel importante.” Concluiu.

Published
8 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.