HPD ARX-04b, o protótipo de uma corrida só

LMP2 competiu apenas em uma corrida. (Foto: Divulgação)

Nem todo carro de corrida nasce vencedor. Não basta ter um bom chassi, motor e uma pilha de dinheiro. Tem horas que a coisa realmente não vai. Foi isso que aconteceu com o HPD ARX 04b, primeiro e único protótipo da Honda fechado para disputar corridas de endurance. 

O fabricante japonês começou uma campanha na finada American Le Mans Series em 2007 com o Acura ARX-01a, inscrito na classe LMP2. Na primeira corrida em Sebring, terminou na segunda colocação no geral, perdendo apenas para o temido Audi R10 TDI. 

Começava ali a evolução de um programa que era capitaneado pela Wirth Research, empresa responsável pela construção dos protótipos para equipes de clientes, que deve o brasileiro Gil de Ferran como um dos donos de equipe que utilizaram os protótipos da marca japonesa. 

Com um razoável sucesso na classe LMP2 (tendo versões LMP1), A Honda abandonou o nome Acura, marca premium do grupo, adotando o HPD (Honda Performance Development), divisão de competição do fabricante. 

Com a mudança dos regulamento da classe LMP2 para 2014, foi apresentado o HPD ARX-04b. A partir daquele ano, todos os protótipos que estavam sob os regulamentos do ACO, deveriam ser obrigatoriamente fechados. 

O 04b era equipado com um motor V6 de 2,8 litros, equipado com dois turbos. Com um desenho ousado, era concorrente direto de modelos como Oreca 05 e Ligier JSP2. Apenas dois foram construídos para disputar a temporada 2015 da IMSA, rivalizando com os Daytona Prototypes, modelos com um abissal atraso tecnológico, inseguros, mas preferidos pela direção da IMSA.

Desde a união da IMSA com a Grand-Am, equipes que optaram por protótipos LMP2 sofreram com diversos cortes de desempenho. Além do desempenho capado das equipes LMP2, o ARX-04b sofreu com a confiabilidade. 

A equipe Extreme Speed Motorsports do piloto Scott Sharp, encomendou dois modelos que estrearam nas 24 Horas de Daytona de 2015. Nos testes de pré-temporada, o carro se mostrou lento e frágil. 

Durante as 24 Horas os problemas assolaram a equipe. O #1 acabou abandonando e o #2 terminou na 11૦ posição no geral, 19 voltas atrás do líder que foi o Corvette DP da equipe Action Express. 

A ESM recolheu o modelo para aperfeiçoamentos. para não perder o campeonato, voltou a competir com o antigo HPD ARX-03b. Longe de ser rápido, a ESM optou por comprar dois Ligier JSP2 para 2016. A troca foi um sucesso. O Ligier #1 acabou vencendo em Daytona e Sebring, tendo como destaque a atuação do brasileiro Pipo Derani. 

HPD ARX-04b sumiu

Protótipo chegou a ser atualizado para 2016. Já era tarde. (Foto: Reprodução YouTube)

Depois do fracasso com a ESM continuou o desenvolvimento do LMP2. Como nenhuma equipe se interessou pelo modelo, a Michael Shank Racing testou o carro e cogitou inscrevê-lo na IMSA. Como os planos não foram adiante, Shank usou o protótipo para testar pneus Continental para a temporada 2017. O 04b chegou a ser inscrito em 2015 no Pikes Peak International Hillclimb, mas nem chegou a participar. 

Published
1 mês ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.