Classe LMP2 não quer ser apenas coadjuvante.

VSA_WEC_SHA13_SP2_7928_thumb-25255B1-25255D

Para muitos a classe LMP2 é aonde realmente a “coisa” acontece. Com regras próprias as equipes que competem nesta classe, sonham em um dia correr na P1. Se no mundial de endurance ela é algo secundário, nos campeonatos regionais (ELMS, Asian LMS e TUSC) a luta pelo geral tem mexido com os sonhos destas equipes. Vale mais a pena correr pelo mundo e nunca chegar na frente ou ganhar em mercados com menos custos de preparação e logística.

Equipes confirmadas:

Delta-ADR: Vencendo 5 corridas ano passado no mundial, a time britânico, liderado por Simon Dowson retorna a classe com dois Oreca 03 alimentados por motores Nissan. O nome moda para Milllennium Racing depois de um impulso financeiro dado por Fabien Giroix. Além de Giroix, Stefan Johansson é o piloto confirmado até o momento.

SMP Racing: De origem Russa, estreou na ELMS na classe GTC, competindo com Ferrari. Gostou do ambiente e resolveu comprar 2 Oreca 03 Nissan para disputar o mundial. O apoio técnico deve ficar por conta da equipe AF Corse. Os pilotos serão Sergey Zlobon, Maurizio Mediano no primeiro carro. Para o segundo Viktor Shaitar, Kirill e Anton Ladygin.

Strakka Racing: Os britânicos da Strakk Racing que fizeram algumas provas ano passado na classe LMP1, retornam ao mundial em uma parceria com a fabricante japonesa Dome. Alimentado por um motor Nissan o Dome S103 é o primeiro projeto desde o modelo que competiu na LMP1 em 2011 pela equipe Pescarolo em Le Mans. Os prováveis pilotos Nick Leventis e Danny Watts terão a companhia de Jonny Kane.

KCMG: Atual vice-campeã da Asian Le Mans Series a organização com sede em Hong Kong, tem ambições globais. O dono da equipe Paul Ip, confirmou a participação no mundial, porém o atual carro da equipe um Morgan-Nissan, nem possíveis pilotos foram confirmados.

Possíveis entradas:

Signatech-Alpine: Retornou de forma oficial ao endurance em 2013, e já venceu ELMS. A estrutura de Philippe Sinault e Didier Calmels devem alinhar seu Alpine A450 na próxima temporada. Até o momento apenas Nelson Panciatici é um possível nome para conduzir o carro.

Lotus Praga LMP2: Estreou com grande agitação em 2013 o modelo T128, em parceria com a Kodewa, tradicional empresa Alemão na construção de carro. O melhor resultado da equipe foi um pódio na etapa de Austin nos EUA. A equipe não revelou os planos para este ano.

OAK Racing: Se por um lado o projeto LMP1 da equipe engatinha, o time de Jacques Nicolet poderia alinhar novamente dois Morgan na classe. Recentemente Nicolet afirmou que não gostaria de competir contra suas equipes clientes. Nada ainda foi revelado.

G-Drive Racing: Em parceria com a ADR-Delta, a equipe liderada por Roman Rusinov, busca um novo parceiro para disputar o mundial, ou algum campeonato regional organizado pela ACO. Recentemente Rusinov testou um Audi R8 LMS. No mercado de pilotos é uma aposta já que tem a classificação “ouro”.

Greaves Motorsport: Presente tanto no mundial quanto na ELMS, a equipe espera fechar um parceiro para continuar seu compromisso no mundial. Caso não consiga deve ficar competindo na Europa, aonde os custos são menores.

Ausentes:

Pecom Racing: O braço LMP2 da AF Corse e tem como principal piloto o argentino Luiz Perez Companc, não deve voltar este ano ao mundial. Uma possível ida ao Tudor SportCar Championship com as cores da AF também não foi confirmada. O carro deve voltar apenas em Le Mans com uma nova equipe “cliente”.

Published
8 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *