Para diretor da Rebellion, ACO precisa ser mais encisiva para equiparar classe LMP1

Toyota não possui adversários no WEC. (Foto: AdrenalMedia)

A disparidade entre a Toyota e as demais equipes da classe LMP1 do Mundial de Endurance preocupa muita gente, entre eles o diretor técnico da Rebellion Racing Bart Hayden. Vencedor depois da desclassificação da Toyota em Silverstone, Hayden acredita que o fabricante japonês não deva sair do WEC, já que em tese, os dois TS050 não possuam adversários diretos.

Para as próximas etapas o predomínio da Toyota deve se manter, de acordo com o dirigente. “Não é o que os fãs querem e não é o que muitas pessoas querem. Eu não sei como você conserta isso ”, disse ele ao site Sportscar365. “Acho que precisamos esperar que a ACO ou a FIA vejam o que podem fazer.”

“Há um ajuste que eles podem fazer para acabar com essa diferença de reabastecimento no pit lane, mas isso não necessariamente fecha as coisas completamente. Nós vamos ter que ver.”

Um das medidas para conter a diferença é a utilização de restritores nos bocais de abastecimento. De acordo com a telemetria o Toyota #8 “ganhou” 45 segundos durante o reabastecimento.

Os protótipos sem sistema híbrido tiveram um aumento de 108 para 115 kg/hora. A DragonSpeed perdeu 15kg em seu peso mínimo. Hayden acredita que a Toyota também gostaria de uma competição direta com as demais equipes da classe. “É muito difícil equilibrar o carro híbrido. Eles têm o impulso, então eles são clínicos através do tráfego. É difícil realmente fazer isso.”

“Não é um trabalho fácil, sem dúvida.”

O presidente da Rebellion, Alexandre Pesci, foi enfático sobre mudanças para equiparar a competição. “Embora a batalha com as outras equipes privadas fosse interessante e cheia de reviravoltas, a liderança dos híbridos da Toyota era inevitável”, disse Pesci. “Isso prova que a EoT ainda precisa ser ajustado para que o espetáculo seja total.”

“O circuito de Silverstone, particularmente acidentado, não era propício para nossos carros. É um incrível pódio duplo para o Rebellion Racing, embora não seja alcançado da melhor maneira, mas é uma recompensa merecida por todos os esforços da equipe, que compete no endurance nos últimos 11 anos,” finalizou. 

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *