Hyundai firma parceria com a Forze Hydrogen Racing

Protótipo é um Adess LMP3. (Foto: Divulgação)

A Hyundai anunciou nesta sexta-feira, 26, uma parceria técnica com um grupo de estudantes holandeses, que desenvolvem um protótipo LMP3 movido a hidrogênio. O grupo batizado de Forze Hydrogen Racing, possui um projeto de extensão da Delft University of Technology.

O protótipo batizado de Forze IX, é desenvolvido sob um chassi Adess LMP3. O projeto nasceu em 2007 com karts, passando para protótipos em 2012. Em 2019, seu antecessor, o Forza VIII, terminou em segundo em uma corrida em Assen. 

Com o apoio da Hyundai o novo modelo deve dar um salto de desenvolvimento. A equipe é composta por 60 alunos e diversos professores. No futuro, a ideia é competir em provas regulares. 

A  assistência virá dos engenheiros do Centro Técnico Hyundai Motor Europe (HMETC), localizado em Rüsselsheim, na Alemanha. O Forze IX tem dois sistemas de células de combustível com tração nas quatro rodas. O carro pesa 1.500 kg com uma potência total combinada de 240 kW. O carro atinge uma velocidade máxima de 300 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em menos de 3 segundos.

Hyundai ajudará no desenvolvimento

A Forze Hydrogen Racing ajudou a Hyundai a desenvolver o NEXO, um dos carros movidos a hidrogênio mais vendidos do mundo. 

“A Forze é uma equipe fantástica de alunos brilhantes que veem oportunidades sem precedentes nas corridas de hidrogênio”, disse Tyrone Johnson, chefe de desenvolvimento de veículos do Hyundai Motor Europe Technical Center. “A Hyundai tem o prazer de firmar esta parceria com a Forze. Ao combinar o conhecimento e a experiência da Hyundai e da Forze no campo da tecnologia de células de combustível, podemos fazer avanços ainda maiores”, disse. 

Published
2 semanas ago
Categories
Notícias
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.