Para Bruno Senna, SMP Racing será maior adversário em Le Mans

Brasileiro espera duelo com russos da SMP Racing. (Foto: Instagran do piloto)

Bruno Senna está preocupado com a Rússia. Afinal, a equipe SMP – de propriedade de empresários do país – que o brasileiro e seus parceiros da Rebellion Racing deverão brigar nas duas sessões classificatórias finais que definirão a ordem de largada das 24 Horas de Le Mans, segunda etapa do Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC. O grid das quatro categorias será definido às 19 horas desta quinta-feira.

O brasileiro sabe que as Toyota oficiais de fábrica têm lugar garantido nas duas vagas da primeira fila da classe LMP1, os protótipos que superam os 330 km de velocidade. No Q1 da quarta-feira a casa japonesa, que conta com o espanhol Fernando Alonso como principal atração, confirmou o favoritismo e estabeleceu os melhores tempos. “Nossa briga será com os pilotos da SMP, mas temos potencial para isso”, afirmou Bruno, que nesta manhã ainda viajou a Paris para participar de ação promocional da equipe.

Kazuki Nakajima garantiu a pole provisória para o trio completado por Alonso e o suíço Sébastien Buemi com a melhor volta do Q1 em 3min17s270, batendo por pouco mais de um décimo o carro irmão dividido pelo inglês Mike Conway, o japonês Kamui Kobayashi e o argentino Jose Maria Lopez. A disputa entre a Rebellion e a SMP foi acirrada. Bruno e seus parceiros, o alemão Andre Lotterer e o suíço Neel Jani, terminaram em quatro, dentro da previsível desvantagem de mais de dois segundos para as Toyota, mas a menos de dois décimos do SMP do francês Stéphane Sarrazin e dos russos Egor Erudzhev e Matevos Isaakyan. O segundo carro da SMP, integrado pelo inglês Jenson Button e os russos Vitaly Petrov e Mikhail Aleshyn, foi apenas o sexto.

Sessenta carros – os protótipos da LMP2 e os GTE Pro e Am completam todas as vagas da prova – e 24 pilotos com passagem pela Fórmula 1 estão na pequena cidade da região oeste da França. Bruno gostou dos resultados do primeiro dia de atividades de pista, quatro horas de treinos livres e mais duas classificatórias, e acha que o caminho para a evolução está aberto. “O equilíbrio do carro está melhorando e aumentando nossa confiança. Ainda estamos estudando qual o composto de pneus ideal, mas já sabemos que nosso tempo pode baixar bastante. Peguei trânsito na minha volta boa. Temos de continuar atacando nas outras sessões classificatórias para largar na frente dos SMP”, comentou.

Mesmo incluída no final de semana que marcará o início da Copa do Mundo, a segunda etapa da supertemporada do WEC voltará a levar enorme número de torcedores ao interior francês. Bruno e seus companheiros precisam de um bom resultado para apagar a frustração nas 6 Horas de Spa, onde o terceiro lugar na pista se converteu em exclusão do resultado final por uma irregularidade no assoalho do carro constatada na vistoria técnica. Além disso, o regulamento determina que a pontuação seja dobrada em relação às corridas de seis horas, o que significa que os vencedores sairão da França com 50 pontos. Bruno é o atual campeão mundial da LMP2.

 

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.