Corridas com menos tempo e redução no calendário. WEC estuda mudanças para 2018

(Foto: Adrenal Media)

(Foto: Adrenal Media)

A direção do Mundial de Endurance pretende fazer significativas alterações na temporada 2018 do WEC. De acordo com Gerard Neveu CEO do campeonato, várias mudanças estão em processo de análise.

Uma das alterações é um maior protagonismo da classe GTE. Com a chegada da BMW, corridas de classificação podem ocorrer, bem como provas mais longa ou mais curtas. O calendário passaria a ter oito provas para tentar amenizar os custos das equipes e logística.

“Continuamos com nove corridas ou vamos a oito corridas ou vamos a dez corridas?” Neveu indagou. “Será que vamos terminar com uma corrida no Oriente Médio ou em outro lugar, ou vamos fazer uma corrida maior no final?”

“Há tantas opções. Mas isso não quer dizer que faremos exatamente isso.”

E etapa da Cidade do México, que pode não ocorrer nos próximos anos, está garantida em 2017. Mesmo com tantas incertezas Neveu garante, que nada foi a prova não será a primeira a sair do WEC.

A etapa de Bahrein tem contrato com a série até o final deste ano. Fuji teve sua participação prolongada até 2019. “Se você disser amanhã que uma corrida a menos vai ajudar todo o paddock, seria bom”, disse Neveu. “Quando você toma este tipo de decisão, tem que levar em consideração as diferentes categorias.”

“As necessidades de fabricantes de LMP1 ou de GTE-Am não são as mesmas, ou LMP2 e GTE-Pro. Você sempre tem que encontrar um equilíbrio, que é muito desafiador. “

As chances de provas mais curtas ou mais longas no final da temporada, também estão sob avaliação. Para o dirigente uma prova maior do que seis horas tem probabilidade de acontecer.

“Estamos analisando, por que não existe uma ideia de fazer uma corrida final mais longa, ou uma corrida mais curta em algum outro lugar”, disse Neveu. “Dependerá dos custos e do que buscamos. Dependerá se reduzirmos uma corrida ou não.”

“Se você reduzir uma corrida para economizar custos e de repente você faz duas corridas com mais de 12 horas, você não economiza.”

“Nunca se esqueça, a primeira pergunta ea primeira ordem de Pierre Fillon, “presidente da ACO é encontrar uma maneira de reduzir os custos.”

Mesmo com tantos planos o dirigente, não acredita em mudanças a curto prazo. “Não espere por uma revolução no próximo ano”, disse ele. “Espere por uma evolução porque a nossa ideia é estar sempre consciente do que está acontecendo ao nosso redor.”

“Se ficamos focados apenas dentro do nosso paddock, estamos mortos.”

Corridas classificatórias nas classes GTE

A iniciativa de criar corridas de classificação para a classe GTE, “modernizaria o show” e acordo com o dirigente. O formato proposto seria uma prova de 60 minutos com paradas nos boxes e mudança de pilotos. Seria realizado aos sábados antecedendo a prova principal do WEC. As mudanças estão em estudo desde 2016.

“Devido ao fato de termos recebido a luz verde para o título mundial no final do ano passado, começamos a analisar a possibilidade de corridas de sprint na sessão de qualificação”, explicou Neveu.

“Nós investigamos a idéia com os fabricantes e dissemos que poderia ser uma boa idéia para 2018.”

“Mas o processo com a FIA para que possa ser introduzido na regulamentação desportiva leva muito tempo, porque você deve passar pela Comissão Desportiva.”

“A FIA disse que não seria razoável realizar essas mudanças para 2017 porque eles precisam ter um pouco mais de tempo para investigar todos os parâmetros.”

As equipes se mostram divididas sobre a possibilidade das mudanças. “Acho será emocionante”, disse o diretor-geral da Aston Martin, John Gaw, ao Sportscar365. “Seria bom para o esporte, bom para as equipes, bom para os pilotos e bom para os fãs. “Nós só precisamos ajustar os detalhes e os regulamentos, discuti-lo, e certificar-se que todos concordam.”

O diretor da Ford para o WEC, George Howard-Chappell, acrescentou: “É algo em que os detalhes precisam ser acordados.”

“Temos uma mente aberta sobre isso e apresentamos privadamente nossas opiniões à FIA sobre isso”.

Published
3 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *