Chico Longo é o campeão da temporada 2018 do Endurance Brasil

Via Itália/TMG Racing comemora o título de 2018 (Bruno Terena/MS2)

O Endurance Brasil encerrou neste sábado (17), no Autódromo Internacional de Tarumã, mais uma temporada de muita evolução, com mais de 60 carros, disputando as sete etapas da categoria, que passou quatro vezes pelo RS, em Tarumã, Velopark e Santa Cruz do Sul; duas em SP, em Interlagos e Velo Città e; no PR, com a etapa de abertura em Curitiba. A final prometia, onde a decisão do título da geral e de mais as três categorias asseguravam que seriam três horas eletrizantes. No final, título na geral e na GT3 para Chico Longo, na segunda vitória no ano de Xandy e Xandinho Negrão.

“Quero em primeiro lugar parabéns muito o trabalho da equipe Via Itália/TMG Racing por esse grande ano. Tivemos como principais adversários, meus grandes amigos Xandy e Xandinho, que foram adversários fortes até o final, mas nós procuramos ir somando pontos, buscando bons resultados na busca desse título. Tive o apoio de dois pilotos incríveis, que são o Daniel Serra e o Marquinhos Gomes, que me ajudaram a ganhar esse título. Só agradecer todo mundo estou muito feliz”, vibrou Chico.

As Três Horas de Tarumã

Na disputa pelo título de campeão brasileiro 2018 três postulantes: Ricardo Maurício, que formou dupla com Miguel Paludo, no Porsche #70, queria o bi, o segundo colocado na tabela Chico Longo com seu companheiro Daniel Serra, na Lamborghini Huracan #19, e Xandy e Xandinho Negrão, com a Mercedes AMG GT3 #09, eram os postulantes ao título também na GT3.

Na posição de honra do grid o AJR #65 da família Ribeiro (NC Racing), seguido por mais três AJR #88, de Carlos Kray e Vicente Orige, com Kray no topo da tabela na P1, via seus principais concorrentes logo atrás, o #117 de Henrique Assunção, Marcelo Vianna e Fernanda Ohashi, e o #11 de Emílio Padron e Fernando Fortes.

Na quinta colocação, Longo e Serra, seguidos do Tubarão #05 de Tiel de Andrade e Julio Martini, na sétima posição a Mercedes da família Negrão e em oitavo o Porsche da Stuttgart Motorsport.

Vice-campeões Geral e GT3 – Mercedes #09 de Xandy e Xandinho Negrão (Bruno Terena/MS2)

Logo na largada, um incidente entre o MRX #56 (Rafael e Gustavo Simon), o Aston Martin #63 (Sergio Ribas e Guilherme Ribas) e o MRX #43 (Gustavo Tomazini e Gustavo Simon) causou a interrupção da prova por cerca de 28 minutos, com a relargada anunciada e o cronômetro zerado para as três horas de corrida.

Na relargada, Nilson Ribeiro fez uma ótima largada, sustentou a liderança e abriu uma boa vantagem em cima do segundo colocado o AJR #117, no comando de Henrique Assunção. Logo atrás Xandy Negrão vinha dando show de ultrapassagem em cima dos adversários e conquistando posições. Outra disputa acirrada entre Paludo e Longo marcou o início da prova, com o piloto da Lamborghini levando a melhor. Nas primeiras voltas o Tubarão #05 abandonou a prova com problemas, com o AJR #88 do líder da P1 também sofrendo com um abandono prematuro, que tirou o título do piloto de Campo Bom (RS), que ocasionou a intervenção do safety car.

No segundo stint, Nilson, Chico e Miguel permaneceram no comando dos carros, enquanto Xandy passou seu carro para Xandinho, que seguiu o mesmo ritmo do pai, em busca de posições na caça pela liderança da prova. Na segunda posição da prova AJR #117, guiado por Henrique Assunção tinha o mesmo objetivo: a liderança da prova. No duelo entre os dois AJR, Assunção levou a melhor, assumindo a liderança e trouxe junto Xandinho, na segunda colocação.

Os dois primeiros colocados protagonizaram uma briga eletrizante, com Xandinho conseguindo uma ultrapassagem perfeita na reta dos boxes, com Assunção tendo um pneu furado uma volta antes da abertura da janela.

Neste momento, mais uma intervenção do safety car, para o resgate do Audi RS3 #64, do campeão da GT4 2018, Marcel Visconde, que na etapa formou dupla com Arthur Caleffi. Na relargada o AJR #65 ressurgiu com o José Roberto Ribeiro para reassumir a liderança em mais um show de ultrapassagem. No terceiro stint, Daniel Serra assumiu a pilotagem da Lamborghini para cumprir a última hora de prova.

Campeão e vencedor na categoria P1 – AJR #117
(Bruno Terena/MS2)

Com 2h40 de prova, momento dramático para o líder AJR #65, onde faltando apenas 20 minutos para o fim, problemas no carro o obrigam a entrar para os boxes, com Xandy Negrão herdando a primeira posição, para cruzar a linha de chegada, seguido pela Lamborghini #19 e pelo Porsche #70. “Ganhar sempre é bom, deu tudo certo para nós, consegui me adaptar bem porque passei quarenta dias parado, com um problema que tive no pé, que nos impossibilitou inclusive de participar da etapa do Velopark, e agora vencemos essa”, contou Xandy Negrão.

“Estávamos bem perto nos pontos, tanto nós, quanto a Lamborghini ou o Porsche, disputando o campeonato até a última prova, então isso mostra o equilíbrio da categoria. Foi um ano muito bom, dividindo o cockpit com meu pai, quero parabenizar toda a equipe que também fez um bom trabalho nessa temporada”, afirmou Xandinho Negrão, referindo-se a Scuderia 111, do chefe de equipe Carlos Chiarello.

Na categoria P1, o grande campeão de 2018, foi Emílio Padron, com o vice-campeonato ficando para Cláudio Ricci, Fernando Poeta e Beto Giacomello (MCR Lambo #18). “Muito feliz com esse título. Agradeço a todos os pilotos que dividiram os carros comigo. Henrique, Ohashi, Fortes, Marcelo, Cesar Ramos, a equipe JLM Racing por toda a dedicação nesta temporada. Foi um grande ano, que encerrou com o título”, disse o paulista.

Na classe P2, a briga pelo título foi até o final entre o Tubarão #32 de Mauro Kern e Paulo Sousa, contra o MRX #75 de Henrique Assunção, Marcelo Vianna, Fernando Ohashi e Emílio Padron, que conquistou a vitória na etapa. Mesmo com a vitória o bicampeonato ficou com a dupla do Tubarão #32. “Fechamos o ano como bicampeões brasileiros de Endurance na classe P2. “Henrique Assunção, Emílio Padron, Fernando Fortes e Fernando Ohashi, da equipe Satti Racing, foram adversários formidáveis durante o ano todo e venceram de forma brilhante esta prova final na P2. Começamos o ano mal, com uma quebra logo no início da primeira prova. Depois disso, três vitórias, dois segundos e um terceiro lugar nos asseguraram o título com margem bem estreita sobre o quarteto do carro #75. E belas lições para a vida. Competição saudável, espírito de equipe, amizade, ajuda mútua, superação, foco, estratégia e, acima de tudo, persistência. Só tenho a agradecer ao Paulo Sousa, grande amigo e parceiro nesta fantástica aventura. A todos os amigos da MC Tubarão, equipe dos sonhos. E a todos que nos ajudaram de diferentes formas e torceram por nós durante todo este ano”, destacou Kern.

Na classe P3, domínio total da Motorcar Racing, que levantou o caneco de campeão com Gustavo e Rafael Simon (MRX #56) e o vice com Gustavo Tomazini e Gustavo Frey (MRX #43).

Confira o resultado das Três Horas de Tarumã:

1º. Xandy Negrão e Xandinho Negrão – Mercedes AMG GT3 #09 (GT3)

2º. Chico Longo e Daniel Serra – Lamborghini Huracan #19 (GT3)

3º. Ricardo Maurício e Miguel Paludo – Porsche 911 #70 (GT3)

4º. Emílio Padron e Fernando Fortes – AJR #11 (P1)

5º. Henrique Assunção, Marcelo Vianna e Fernando Ohashi – AJR #117 (P1)

6º. Paulo Sousa e Mauro Kern – Tubarão #32 (P2)

7º. Ricardo Mendes e Claudio Ricci – Ferrari #155 (GT3)

8º. Ney Faustini e Ney de Sá Faustini – Geebee R1 #25 (P1)

9º. Renato Stumpf e Matheus Stumpf – Radical SR3 #89 (P2)

10º. Gustavo Tomazini e Gustavo Frey – MRX #43 (P3)

11º. Nilson Ribeiro e José Roberto Ribeiro – AJR #65 (P1)

12º. Claudio Ricci, Fernando Poeta e Beto Giacomello – MCR Lambo #18 (P1)

13º. Henry Visconde e Arthur Caleffi – Audi RS3 #64 (GT4)

14º. Ian Ely e Daniel Claudino – MCR #71 (P1)

15º. F. Maciel e S. Loff – Spyder #02 (P3)

16º. Gustavo Simon e Rafael Simon – MRX #56 (P3)

17º. Carlos Antunes, Yuri Antunes e Aldoir Sette – Protótipo 7 #07 (P2)

18º. Carlos Kray e Vicente Orige – AJR #88 (P1)

19º. Tiel Andrade e Julio Martini – Tubarão #05 (P1)

20º. Stuart Turvey e Thiago Riberi – KTT #37 (P1)

21º. Sergio Ribas e Guilherme Ribas – Aston Martin #63 (GT3)

Os campeões 2018 do Endurance Brasil

Geral

Campeão – Chico Longo

Vice-campeões – Xandy e Xandinho Negrão

3º. Lugar – Ricardo Maurício

4º. Lugar – Daniel Serra

5º. Lugar – Marcel Visconde

Melhor Equipe: Via Italia/TMG Racing

Categoria P1

Campeão – Emílio Padron

Vice-campeões – Claudio Ricci, Fernando Poeta e Beto Giacomello

3º. Lugar – Fernando Fortes

4º. Lugar – Henrique Assunção e Fernando Ohashi

5º Lugar – Carlos Kray

Categoria GT3

Campeão – Chico Longo

Vice-campeões – Xandy e Xandinho Negrão

3º. Lugar – Ricardo Maurício

4º. Lugar – Daniel Serra

5º. Lugar – Marcel Visconde

Categoria P2

Campeões – Mauro Kern e Paulo Sousa

Vice-campeões – Henrique Assunção e Emílio Padron

3º. Lugar – Fernando Ohashi

4º. Lugar – Fernando Fortes

5º. Lugar – Aldoir Sette

 Categoria GT4

Campeão – Henry Visconde

Vice-campeão – Arthur Caleffi

3º. Lugar – Sergio Ribas

4º. Lugar – Marcio Basso e João Carlos de Andrade

5º. Lugar – Guilherme Ribas

Categoria P3

Campeões – Rafael Simon e Gustavo Simon

Vice-campeão – Gustavo Tomazini e Gustavo Frey

3º. Lugar – Ricardo Furquim

4º. Lugar – Alejandro Cignetti

5º. Lugar – Sergio Cardoso

Published
4 semanas ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *