Império Endurance Brasil com final cheia de emoções

AJR de Tiel Andrade e Julio Martini tentam título da P1 (Bruno Terena/MS2)

O Velopark recebe neste sábado, 19, a grande final do Império Endurance Brasil. No total, sete categorias diferentes, além da Geral, conhecerão seus campeões de 2020 na disputa de quatro horas que será realizada no circuito que já foi palco da terceira etapa do campeonato deste ano, justamente uma das etapas mais emocionantes da temporada.

Na ocasião, a vitória da prova ficou com o trio formado por Andersom Toso, Henrique Assunção e Fernando Fortes. Eles assumiram a ponta na última volta e agora esperam surpreender novamente. “O Velopark é um autódromo difícil, onde é preciso cuidar muito bem do equipamento para não sofrer com quebras que tirem você da corrida ou façam perder muito tempos nos boxes. É preciso ter cautela, evitar as zebras e saber negociar bem as ultrapassagens sobre os retardatários. Vamos para a disputa deste final de semana buscando repetir a dose e, caso a gente consiga vencer, torcer pela combinação de resultados necessária para que a gente conquiste este título”, afirmou Assunção.

A disputa pelo título da categoria P1 está embolada. Assunção e Toso disputaram todas as provas juntos e, com 400 pontos, aparecem na quarta colocação. Já Fortes não teve ao lado da dupla na abertura do campeonato e é o sexto, com 335. A liderança está com Pedro Queirolo e David Muffato, que venceram três das cinco etapas da temporada e somam 525 pontos.

“Estamos muito confiantes para a disputa da grande final, temos vantagem na tabela e isso é importante, mas não dá para falar em favoritismo, ainda mais em uma categoria tão equilibrada e disputada como o Império Endurance Brasil. O Velopark, por exemplo, foi justamente onde tivemos nosso pior resultado este ano, justamente por conta de uma quebra. Então temos que fazer nossa parte ainda nesta final para confirmar o título”, analisou o experiente Muffato, que também encara a concorrência de outra dupla poderosa na briga pelo campeonato: a do protótipo AJR #5 que tem Tiel Andrade e Julio Martini como segundo colocados.

“Gostaríamos de ter chegado à esta final em uma condição melhor de pontos. Infelizmente oscilamos um pouco ao longo da temporada. Mas vamos correr em casa, um circuito que conhecemos bem e vamos buscar fazer nossa parte, que é vencer a corrida e torcer por um resultado final que, quem sabe, nos dê o título”, disse Tiel Andrade.

FAVORITOS COM A MÃO NA TAÇA?

Já na categoria GT3 o favoritismo é todo de Xandinho Negrão, que venceu três das cinco etapas disputadas a bordo de uma Mercedes AMG. Ele lidera a classificação com 560 pontos e só perde o título caso não consiga completar a prova deste sábado. “Estamos em uma situação relativamente confortável, mas precisamos ter cautela justamente porque o Velopark é uma pista complicada por conta das zebras altas que judiam do carro, ainda mais em uma corrida de quatro horas de duração. Estaremos focados em fazer nossa parte para celebrar este título que irá coroar o trabalho que fizemos ao longo da temporada”, disse o ex-Stock Car, que irá disputar a final ao lado do pai Xandy Negrão e do veterano Andreas Mattheis.

Outra disputa que tem um franco favorito é a GT4, onde os estreantes Átila Abreu e Léo Sanchez lideram com 525 pontos somados. A dupla da Mercedes tem 75 pontos de vantagem em relação à Flavio Abrunhoza e Leandro Ferrari, da McLaren. André Moraes Jr e Cássio Homem de Mello, também com uma Mercedes e que vem de uma vitória em Curitiba, correm por fora e conservam chances matemáticas de ficar com o título caso os dois primeiros colocados não pontuem no Velopark.

“Estamos muito felizes com nosso ano de estreia na categoria. Chegar brigando por título é muito bom. Agora vamos acelerar para buscar mais uma vitória. Já vencemos no Velopark este ano e acredito que temos todas as condições para vencer de novo e fechar o ano com mais uma conquista”, resumiu Léo Sanchez.

Na GT4 Light, o regular Tuca Antoniazzi caminha para conquistar o título a bordo de sua Mercedes C250. Ele lidera a competição com 495 pontos enquanto o segundo colocado, Renan Guerra, que corre com uma Ginetta, tem 345. Ele só não será campeão caso não consiga completar a prova deste sábado e Renan vença a disputa.

Agora, quem de fato já larga campeão é o trio do protótipo MRX formado por Lucas Kohl, Hardy Kohl e Rubens Ghisleni. Eles lideram a P2 com 350 pontos e só poderiam ser superados por Jindra Kraucher e Aldo Piedade. A dupla do Sigma, entretanto, não irá disputar as Quatro Horas do Velopark.

BRIGAS ACIRRADAS NA P3 e GT3 LIGHT E GERAL

Na P3 a disputa está aberta. Aldoir Sette, que terá o jovem Bruno Smielevsk ao seu lado, lidera o campeonato, mas concorre com a dupla do protótipo MRX #72 Carlos e Yuri Antunes e com o MRX #75 de Fernando Ohashi, Bruna Tomaselli e Fernando Fortes pelo título da categoria. Outra disputa emocionante ocorre na GT3 Light, onde a dupla do Aston Martin Sérgio Ribas e Guilherme Ribas tem apenas 40 pontos de vantagem sobre os ferraristas Ricardo Mendes e Tom Filho. 

A categoria que reúne todos os carros do grid – denominada Geral – também chega ao Velopark totalmente indefinida. No total, cinco carros tem condições de fechar o ano com o troféu máximo do campeonato.

Líderes da P1, Muffato e Queirolo também estão na frente desta disputa. Mas sofrem perseguição ferrenha de Xandinho Negrão, da GT3, que está somente 35 pontos atrás dos donos do protótipo AJR #113. Assunção e Toso, do AJR #175, e Marcel Visconde e Ricardo Maurício, da Stuttgart Porsche, também aparecem com chance de título. E até mesmo a dupla da GT3 Light Sérgio Ribas e Guilherme Ribas conservam chances matemáticas de ficar com a taça.

A grande final do Império Endurance Brasil acontece neste sábado, às 11h30, e conta com transmissão ao vivo do Sportv e do canal oficial da categoria no Youtube.

Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.