Toyota e Alpine insatisfeitas com o desempenho em Spa

Equipes da classe de Hypercars estão descontentes com desempenho. (Foto: Toyota)

A superioridade dos protótipos LMP2, frente aos Hypercars durante os testes oficiais para o Mundial de Endurance no circuito de Spa-Francorchamps, não agradou a equipe Toyota. O fabricante japonês liderou apenas uma das quatro sessões de testes, sempre perdendo para equipes LMP2.

A disparidade também afetou a equipe Alpine que compete com um antigo LMP1. O diretor da equipe Toyota, Rob Leupen, afirma que essa diferença precisa ser revista. 

“Um pouco surpreso com a velocidade dos LMP2s, é claro”, disse ele ao site Sportscar365. “Isso é algo em que deveríamos estar um pouco à frente e descobrimos que eles são mais rápidos do que nós aqui”. 

“Talvez em um longo período possamos chegar à vantagem, mas não é o que esperávamos. Temos que ver o que vai acontecer após o prólogo se algo vai acontecer. É uma curva de aprendizado”. Ele continuou: “No momento presente, achamos que estamos no estado que precisamos estar”.

“Acho que é mais do lado da organização equilibrar o LMP2 e o Hypercar com o desempenho. Não acho que possamos fazer muito sobre isso”. 

“Acho que não podemos nos ver indo quatro ou cinco segundos mais rápido por volta de um dia para o outro. Mesmo com BoP, não vamos administrar isso. É algo que, para mim, a organização tem que ver como o que temos que fazer”. 

“Estamos em um bom ritmo com o que aprendemos durante os testes.”

Os protótipos LMP2 deveriam originalmente disputar o WEC com uma redução de 560 hp, mas a classe recebeu uma redução de potência e aumento de peso no início deste mês como parte do processo de ‘estratificação’ para criar uma lacuna entre as diferentes fórmulas de protótipo.

“Nós os vimos correndo em testes privados quais são os tempos, porque estamos olhando para a frente para ver como isso será tratado”, disse Leupen. “Com base nessa informação, conseguimos algumas vezes. Em Aragon, eles estavam pelo menos no mesmo ritmo que nós”. 

“Todas as faixas por onde fomos, LMP2 foi. Conseguimos a informação. Não é bom ver que eles estão tão à frente, mas é algo que acho que deveria ser revisto. Vamos descobrir. Não somos nós”. 

A equipe Alpine também não está satisfeita com os tempos obtidos. Matthieu Vaxiviere da Alpine Endurance Team sugeriu que o carro LMP1 da equipe francesa está indo ao máximo, apesar de também ficar atrás dos LMP2.

O Alpine A480 Gibson teve sua potência reduzida  e mais peso em comparação com o ano passado. Ele agora produz 600 cv, o mesmo que um LMP2 da temporada passada, e pesa 930 kg, o que é 106 kg a mais do que quando começou a campanha de 2019-20, antes de uma série de restrições serem impostas. As mudanças colocam o LMP2 em 536 cv e 950 kg.

“Esperávamos uma pequena diferença, mas essa”, disse Vaxiviere. “Tudo precisa estar no lugar, então veremos. Acho que já temos uma boa configuração. Estamos trabalhando por alguns décimos, um ou dois décimos na configuração, mas estamos estagnados “.

“Cabe então à FIA e à ACO descobrir o que é melhor para eles. Claro, você quer estar na melhor posição para a corrida, pois gostaria de ganhar. Eles estão jogando? Eu não gostaria de dizer isso. Acho que vão tentar conseguir a melhor posição para fazerem a corrida este fim-de-semana”, finalizou. 

 

 

Published
1 semana ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.