Quais fabricantes confirmados para o Mundial de Endurance?

(Foto: WEC)

Com o recente anúncio da Alpine de que estará desenvolvendo um protótipo LMDh, para a temporada 2024 do Mundial de Endurance, você sabe quantos fabricantes estão envolvidos na competição? 

Seja na IMSA ou no WEC, protótipos LMDh e Hypercars poderão competir em ambas as séries e participar de corridas clássicas como as 24 Horas de Le Mans, 24 Horas de Daytona e 12 Horas de Sebring. Confira quais construtores já anunciaram seus planos e em que tipo de protótipo será construído. 

ACURA LMDh. Lançamento em 2023

Competindo atualmente com um protótipo DPi na IMSA, a Acura alinhará carros LMDh em ambas as séries. A preferência é pela IMSA por conta do mercado americano, mas nada impede de correr no WEC.  Se tudo der certo, o protótipo estará nas pistas em 2023. A Acura conquistou os títulos de piloto, equipe e construtor em solo americano nos últimos dois anos.

ALPINE LMDh. Lançamento em 2024

O fabricante francês foi o último a anunciar seu programa. Desde o seu retorno às corridas de endurance em 2013 com a ajuda da Signatech, as vitórias se seguiram uma após a outra. Primeiro na European Le Mans Series com títulos de piloto e equipes em 2013 e 2014. Depois no WEC com dois títulos mundiais (2016 e 2019) e três vitórias nas 24 Horas de Le Mans na categoria LMP2 (2016, 2018 e 2019 ) A estes resultados devemos somar um pódio na última edição das 24 Horas de Le Mans. 

A Alpine optou por um protótipo LMDh em parceria com a Oreca e usará o conhecimento energético adquirido com sua equipe de Fórmula 1. 

AUDI LMDh. Lançamento em 2023

A marca que detém o recorde de distância nas 24 Horas de Le Mans e que venceu o evento 13 vezes estará de volta em 2023. Para suceder ao R18, a Audi vai contar com os regulamentos LMDh e escolheu a Multimatic (um dos quatro fabricantes de chassis aprovados ) como base para o desenvolvimento de seu futuro Hypercar.

O fabricante alemão irá competir no WEC e no IMSA. As primeiras voltas do carro estão programadas para 2022 e a estréia será nas 24 Horas de Daytona de 2023. 

BMW LMDh. Lançamento em 2023

A marca que venceu as 24 Horas de Le Mans em 1999 anunciou sua entrada no Hypercar em junho passado. A BMW entrará noIMSA WeatherTech SportsCar com dois LMDh cujo chassi será construído pela Dallara. O primeiro carro de teste será construído na Itália em estreita colaboração entre engenheiros da BMW M Motorsport e uma equipe de engenheiros de Dallara formada especificamente para o projeto BMW. O lançamento será no próximo ano no circuito de Varano.

CADILLAC LMDh. Lançamento em 2023

O fabricante americano que já participou quatro vezes das 24 Horas de Le Mans estará presente a partir de 2023 com um LMDh. A Cadillac escolheu Dallara para projetar seu novo carro. Esta colaboração já permitiu a construção do Cadillac DPi-VR que venceu a IMSA em 2017 e 2018. Este programa será implementado em parceria com as equipes Chip Ganassi Racing (CGR) e Action Express Racing (AXR).) . O carro fará sua estreia no Rolex 24 de Daytona 2023 antes de participar das 24 Horas de Le Mans 2023.

FERRARI Hypercar. Lançamento em 2023

É um retorno esperado desde 1973. A marca italiana entrará em um Hypercar em parceria com a AF Corse. A equipe será inscrita com o nome de “Ferrari – AF Corse”, dando continuidade a uma série de vitórias que começou na FIA GT em 2006 com o F430 GT2. A Ferrari tem uma longa e ilustre história em corridas de endurance e nas 24 Horas de Le Mans tendo nove vitórias.

GLICKENHAUS Hypercar

A marca americana criada por James Glickenhaus, produtor cinematográfico dos anos 80/90 e empresário americano, participou este ano com dois Hypercars. Em sua primeira participação nas 24 Horas de Le Mans, estes dois carros terminaram em 4º e 5º na classificação geral e fizeram jus à prova. O 007 LMH se mostrou confiável e a equipe determinada.  

PEUGEOT Hypercar. Lançamento em 2022

Com seu 9X8, o fabricante francês que venceu as 24 Horas de Le Mans três vezes (1992, 1993 e 2009) é aguardado com ansiedade. Com seu Hypercar equipado com linhas fluidas e sem asa traseira, este carro marca a entrada em uma nova era de automobilismo e corrida de endurance. Dois Peugeot 9X9 vão competir no WEC. Quanto aos pilotos, já foram anunciados Paul Di Resta, Loïc Duval, Mikkel Jensen, Kevin Magnussen, Gustavo Menezes, James Rossiter e Jean-Eric Vergne.

PORSCHE LMDh. Lançamento em 2023

Foi em dezembro de 2020 que foi formalizada a volta da fabricante, que mais vitórias nas 24 Horas de Le Mans (19). A partir de 2023, a Porsche terá dois carros no WEC e mais dois na IMSA. A equipe Penske, será a parceira no desenvolvimento dos modelos LMDh. “Nossa intenção é apoiar e moldar a nova era com nossos Hypercars”, enfatiza  Dr. Michael Steiner, membro do Conselho de Pesquisa e Desenvolvimento.“Não vamos apenas cruzar os dedos para os quatro carros de fábrica que teremos no total, mas também para as equipes de nossos clientes. O novo Hypercar também será registrado como carro cliente nos dois campeonatos da temporada de 2023. As equipes parceiras receberão todo o nosso apoio. As informações que aprendemos com os esforços de nossa fábrica também serão compartilhadas com eles”. 

TOYOTA Hypercar

A história vai lembrar que o fabricante japonês abriu gloriosamente a era dos Hypercars ao vencer a 89ª edição das 24 Horas de Le Mans com o GR010 Hybrid com o #8 conduzido por Mike Conway, Kamui Kobayashi e José María López. Em 2023, quando a maioria dos fabricantes ingressar na categoria, a Toyota terá uma vantagem inicial graças à experiência adquirida com o Hypercar e o LMP1 desde 2012.

Lembre-se, em 1999, durante a 67ª edição das 24 Horas de Le Mans, havia seis fabricantes  (Toyota, Mercedes, BMW, Audi, Nissan, Panoz e Chrysler). Em 2023, nada menos que 10 marcas poderiam estar na reunião do centenário.

 

Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.