Porsche com sete carros em Daytona

(Foto: Porsche)

A Porsche terá sete modelos 911 GT3 R, durante a edição 2022 das 24 Horas de Daytona. Com equipes nas classes GTD-Pro e GTD.  As 24 Horas de Daytona será realizada neste final de semana. 

Nova estrutura de classe destaca o Porsche 911 GT3 R

Os organizadores da |IMSA estabeleceram uma nova estrutura de classes para a temporada 2022. A antiga categoria GTLM, na qual o Porsche 911 RSR obteve sucessos excepcionais nos últimos anos, foi substituída pela nova classe GTD-Pro. Esta categoria é para veículos GT3 construídos de acordo com os regulamentos técnicos da FIA GT3 – que inclui o Porsche 911 GT3 R. Nesta classe, apenas pilotos de corrida profissionais podem compartilhar um carro. O regulamento da classe GTD, no entanto, permanece inalterado: em cada corrida, a equipe de pilotos deve incluir pelo menos um piloto amador – e dois nas 24 Horas de Daytona. A equipe de clientes canadenses Pfaff Motorsports venceu esta classe em 2021 e agora enfrentará a categoria GTD-Pro.

A corrida e a pista

O Daytona International Speedway, na Flórida, inaugurado em 1959, distingue-se de outras pistas principalmente por suas curvas acentuadas. A inclinação chega a 31 graus nas curvas ovais do autódromo de 5,73 quilômetros. Isso requer uma configuração especial do veículo. A Porsche é de longe o fabricante de maior sucesso em Daytona. O fabricante de Stuttgart conquistou 18 vitórias gerais como construtor e quatro como parceiro de motores, com mais 78 vitórias na classe, completando esse recorde de sucesso. O evento clássico é disputado na combinação do tri-oval desde 1966.

“Um total de 35 carros GT correrão em Daytona. É um número impressionante”, explica Sebastian Golz, Gerente de Projetos Porsche 911 GT3 R. “Será emocionante ver como os novos regulamentos e classes evoluem. Com nossas sete equipes de clientes e veículos, conseguimos estabelecer combinações realmente fortes nas classes GTD-Pro e GTD. A velocidade básica e o pódio duplo resultam na corrida de qualificação e sublinham que criamos uma base sólida no ‘Roar Before the 24’, que agora continuaremos a construir.”

“Lidar com a pressão dos pneus será novo e interessante”, acrescenta Golz, em relação às mudanças nos regulamentos para a temporada 2022. “A pressão mínima que deve ser cumprida lança um novo desafio para os engenheiros. Quanto menor a pressão dos pneus, melhor o desempenho. No entanto, se ficar abaixo do limite especificado, você recebe uma penalidade. Então, na corrida, temos que nos certificar de dirigir o mais próximo possível do limite especificado o tempo todo. É uma linha muito tênue entre o desempenho máximo e uma penalidade.”

Duas equipes de clientes da Porsche experimentaram isso em primeira mão nos testes oficiais para a prova. Como parte dos testes do último fim de semana, foi realizada uma corrida de qualificação de 100 minutos, que determinou as posições do grid para a corrida de 24 horas. Enquanto as equipes de clientes tiveram desempenhos fortes, a pressão dos pneus da WeatherTech Racing estava muito baixa e custou ao time o segundo lugar. Uma penalidade de 40 segundos relegou a equipe para o quarto lugar. Como resultado, a Pfaff Motorsports foi embaralhada uma posição no grid e agora começa na primeira fila do grid da classe GTD-Pro. Na categoria GTD, a Wright Motorsports concluiu a corrida de qualificação em terceiro, mas posteriormente perdeu esse resultado quando a pressão nos pneus Michelin estava muito baixa. A equipe do estado americano de Ohio agora assume a corrida de 24 horas do P11.

As equipes de clientes e motoristas

Na nova classe GTD-Pro, as equipes clientes Pfaff Motorsports e WeatherTech Racing colocam um Porsche 911 GT3 R cada para toda a temporada de 2022. A equipe asiática KCMG inscreveu um carro nas 24 Horas de Daytona. O piloto de fábrica Laurens Vanthoor une forças com Patrick Pilet, Dennis Olsen e Alexandre Imperatori no carro #2 da equipe de Hong Kong. Três pilotos de trabalho competem pela Pfaff Motorsports: Matt Campbell, Mathieu Jaminet e Felipe Nasr.

Para a WeatherTech Racing, os pilotos serão Matteo Cairoli, Julien Andlauer e Alessio Picariello dividem a pilotagem com o piloto amador Cooper MacNeil.

Quatro equipes de clientes disputam a categoria GTD. Os carros que cumprem os regulamentos GT3 também estão incluídos nesta classe. A Wright Motorsports tenta a vitória com Richard Lietz. Em 2021, a equipe venceu a IMSA Michelin Endurance Cup, que inclui os clássicos de resistência em Daytona, Sebring, Watkins Glen e o “Petit Le Mans” no circuito Road Atlanta. Klaus Bachler da Áustria compete pela GMG Racing com o experiente piloto holandês Jeroen Bleekemolen e dois pilotos amadores americanos. Katherine Legge, novamente assume o desafio da equipe Hardpoint. O ex-piloto da DTM divide o cockpit com três ambiciosos pilotos de corrida de meio período. Quatro pilotos amadores americanos disputam o evento pela TGM.

As equipe Porsche

Classe GTD-Pro:

#2 KCMG – L. Vanthoor (B) / Pilet (F) / Olsen (N) / Imperatori (CH)

#9 Pfaff Motorsports – Campbell (AUS) / Jaminet (F) / Nasr (BR)

#79 WeatherTech Racing – Cairoli (I) / Andlauer (F) / Picariello (B) / MacNeil (EUA)

Classe GTD:

#16 Wright Motorsports – Lietz (A) / Hardwick (EUA) / Heylen (B) / Robichon (CDN)

#34 GMG – Bachler (A) / Bleekemolen (NL) / Washington (EUA) / Sofronas (EUA)

#64 TGM – Giovanis (EUA) / H. Plumb (EUA) / M. Plumb (EUA) / Trinkler (EUA)

#99 Team Hardpoint – Legge (GB) / Ferriol (EUA) / Wilson (GB) / Boulle (EUA)

Published
4 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.