Meyer Shank Racing vence as 24 Horas de Daytona

(Foto: Divulgação)

A equipe Meyer Shank Racing venceu na tarde deste domingo, 30, a edição 2022 das 24 Horas de Daytona. O brasileiro Hélio CastroNeves fechou a prova com o Acura #60, depois de uma intensa batalha com Ricky Taylor no Acura #10 da Wayne Taylor Racing. 

Castroneves que venceu quatro vezes as 500 Milhas de Indianápolis cruzou fechou a prova com uma diferença de 3,028 segundos para o Acura #10. O brasileiro dividiu o protótipo com os pilotos Simon Pagenaud, Oliver Jarvis e Tom Blomqvist.

Resultado final da prova

Os 30 minutos finais tiveram uma disputa intensa entre os protótipos Acura e Cadillac das equipes da Action Express Racing e JDC-Miller Motorsports pararam pela segunda vez durante uma bandeira amarela, para reabastecimento. Todos os quatro DPis haviam trocado a liderança nas horas finais em uma batalha frenética ao longo da corrida.

Taylor e os pilotos Felipe Albuquerque e Alexander Rossi tiveram sua segunda vitória consecutiva negada e o que teria sido o quarto triunfo consecutivo do WTR na corrida. Eles dividiram as tarefas de pilotagem com o novo piloto da Michelin Endurance Cup da equipe, Will Stevens, que colocou o carro duas voltas atrás depois de uma rodada e um pneu furado na quinta hora de prova. 

O Acura #10,  voltou à primeira volta na nona hora através de uma série de bandeiras amarelas permanecendo na disputa. Loic Duval levou o # 5 da JDC-Miller Cadillac ao terceiro lugar, passando o atual campeão Pipo Derani nos 20 minutos finais da corrida.

O Cadillac dai #48 Action Express completou os cinco primeiros da classe, mas terminou em 11º no geral depois de perder mais de 20 voltas na 13ª hora devido a um acidente de Jimmie Johnson e um carro GT não identificado. O Cadillac sofreu danos na parte traseira direita e resultou em reparos no piso, difusor e suspensão.

Ambos os Cadillacs da Chip Ganassi Racing também enfrentaram problemas, com um problema no alternador no #1 de Sebastien Bourdais pouco depois da metade e duas falhas na bomba de combustível do Cadillac #02 algumas horas depois. Enquanto o carro #01 perdeu mais de 40 voltas para substituir a fiação elétrica, o Cadillac #02 voltou à pista quase 30 voltas atrás a caminho de um sexto lugar na classe. 

Dragon Speed vence na classe LMP2

(Foto: Divulgação)

A DragonSpeed ​​conquistou sua terceira vitória nas 24 Horas de Daytona, nos últimos quatro anos. Os pilotos Colton Herta, Pato O’Ward, Devlin DeFrancesco e Eric Lux, levaram o Oreca 07 LMP2 ao primeiro lugar. 

Herta foi quem fechou a prova, com uma diferença 7,089 segundos sobre #29 da Racing Team Nederland de Giedo van der Garde, que perdeu a liderança após o contato com Herta e o Oreca #8 da Tower Motorsport  de Louis Deletraz enquanto lutava pela liderança da classe.

Deletraz, que saiu à frente de Herta na última rodada de pit stops, foi forçado a entrar na chicane Le Mans Chicane, depois de defender sua posição a menos de 15 minutos do final. Nenhuma outra ação foi tomada pelo controle de corrida após a revisão do incidente.

Como resultado, Deleraz caiu para o terceiro lugar, 11,5 segundos atrás do vencedor da classe. A equipe liderada por Elton Julian conquistou vitórias em 2019 e 2020. O’Ward se tornou duas vezes vencedor da classe após seu triunfo na classe PC com a Performance Tech Motorsports em 2017.

Riley venceu na classe LMP3. (Foto: Divulgação)

A equipe do carro #8 completou o pódio da classe com Deletraz, John Farano, Rui Andrade e Ferdinand Habsburg.O pole position #52 da PR1/Mathiasen Motorsports ficou em quarto, com Mikkel Jensen ao volante. Ben Keating, que estava em serviço duplo neste fim de semana, foi impedido de terminar no pódio duplo depois de terminar em terceiro no geral no #5 da JDC-Miller Motorsports na classe DPi. 

A PR1/Mathiasen terminou seis voltas à frente do #68 da G-Drive Racing, que enfrentou problemas mecânicos. O Oreca #22 da United Autosports, terminou na sexta posição. Na classe LMP3 o primeiro lugar ficou com o Ligier da Riley Motorsports pelo segundo ano consecutivo. Os pilotos Felipe Fraga, Gar Robinson, Kay van Berlo e Michael Cooper não enfrentaram problemas. 

Fraga fechou a prova com uma diferença de 1 minuto e 30 segundos sobre o #33 da Sean Creech Motorsport após uma penalidade de drive-through no final da corrida para o #54 CORE autosport Ligier de Colin Braun por ultrapassar sob bandeira amarela. 

Batalha até a última volta na classe GTF-Pro, e vitória da Porsche

Porsche vence na classe GTD-Pro. (Foto: Divulgação)

A equipe da Pfaff Motorsports dos pilotos Mathieu Jaminet, Matt Campbell e Felipe Nasr conquistou a vitória na classe GTD-Pro, após uma  batalha decisiva com o Porsche da equipe  KCMG.

Jaminet e Laurens Vanthoor brigaram na Le Mans Chicane na última volta, depois que Vanthoor tentou frear em cima de Jaminet. A dupla se tocou quando Vanthoor ficou ao lado do #9. O # 2 da KCMG acabou na grama e girou descontroladamente enquanto Jaminet conseguiu continuar até a bandeira quadriculada.

Vanthoor, que dividiu o Porsche KCMG com Patrick Pilet, Dennis Olsen e Alexandre Imperatori, acabou em terceiro lugar depois de ficar atrás da Ferrari #62 da Risi Competizione de Alessandro Pier Guidi, Davide Rigon, Daniel Serra e James Calado.

A Pfaff Motorsports e a KCMG estiveram lado a lado nas últimas duas horas, mas sua batalha se intensificou nos últimos 30 minutos. Jaminet inicialmente parecia a liderança da classe sob controle, mas o belga se aproximou e colocou o Porsche da KCMG na frente ao ficar ao lado do carro de Pfaff nas curvas 2 e 3 com nove minutos para o final.

Esse não foi o fim do duelo, no entanto, já que Jaminet respondeu colocando Vanthoor na direita na curva Horseshoe com quatro minutos restantes no cronômetro.

Um determinado Vanthoor, que conquistou o título IMSA GTD com Pfaff na última temporada, fez sua última tentativa de garantir a vitória de estreia da KCMG, mas o contato na entrada em Le Mans Chicane decidiu o resultado a favor do carro #9.

Hawksworth, Ben Barnicoat e Kyle Kirkwood terminaram em quarto na classe no #14 da equipe Vasser Sullivan, que era o único outro carro na mesma volta dos líderes. O Mercedes-AMG GT3 Evo #15 da WeatherTech Racing, composto por Maro Engel, Patrick Assenheimer e Dirk Mueller, completou os cinco primeiros, a duas voltas do carro vencedor.

Problemas técnicos e relacionados a incidentes atingiram vários corredores GTD-Pro, principalmente os carros das equipes Corvette e BMW. O melhor Corvette foi o #3 em sexto, terminando 13 voltas atrás do líder liderança, devido a uma troca de alternador, enquanto #4 teve problemas no difusor, tubos de escape e motor de partida durante a noite.

A Wright Motorsports venceu com seu Porsche na classe GTD Jan Heylen, Richard Lietz, Zach Robichon e Ryan Hardwick. Foi a primeira vez que um fabricante conquistou vitórias em ambas as classes GT em Daytona desde a união da ALMS e Grand-Am em 2014. 

A Magnus Racing ficou em segundo lugar em sua primeira corrida com o Aston Martin Vantage GT3, enquanto a equipe da Mercedes-AMG Gilbert Korthoff Motorsports completou o pódio da classe.

Published
5 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista MTb 6873/SC, formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.