IMSA apresenta detalhes técnicos da classe GTD-Pro

(Foto: Divulgação)

A IMSA divulgou nesta quarta-feira, os detalhes técnicos da nova classe GTD-Pro que irá substituir a classe GTLM em 2022. Os carros elegíveis serão modelos GT3 com especificações FIA. A Michelin será a fornecedora exclusiva de pneus tanto para a nova classe, quanto para a GTD-Am, destinada a pilotos e equipes de clientes. 

“Foi importante trabalharmos em conjunto com nossos fabricantes e parceiros de pneus para desenvolver o conjunto de regras GTD PRO”, disse o presidente da IMSA, John Doonan. “Nossa equipe técnica da IMSA foi minuciosa em sua análise e o resultado final nos permite traçar um curso de sucesso para o futuro das corridas GT com suporte de fábrica no GTD PRO, em oposição à natureza de corrida do cliente da classe GTD. Em última análise, o mercado falará à medida que os fabricantes confirmarem os planos de participar, mas estamos muito otimistas de que teremos campos fortes em GTD PRO e GTD a partir do próximo ano”, explica. 

Confira os detalhes técnicos da nova classe.

GTD-PRO / GTD Plataforma Técnica e Pneus

  • Especificação  FIA-GT3 para ambas as classes e combustível comum fornecidos pela VP Racing Fuels.
  • Ambas as classes usarão o pneu Michelin S9M de especificação única usado atualmente na classe GTD. Isso, junto com o uso da plataforma FIA-GT3 compartilhada, reduzirá os custos de desenvolvimento para fabricantes e equipes de clientes. A IMSA e a Michelin anunciarão uma solução de longo prazo para 2023. 

Equilíbrio de desempenho GTD-PRO / GTD (BoP)

  • GTD PRO e GTD usarão o mesmo processo de Balanço de Desempenho (BoP) baseado em dados, que é uma extensão do processo atual da IMSA.
  • Como GTD PRO é voltado para equipes e pilotos com suporte de fábrica, os níveis de desempenho em pista alcançados pela classe GTD PRO devem exceder os da classe GTD. Por esse motivo, o BoP para cada classe será gerenciado de forma independente.

Regulamentos Esportivos

  • O GTD PRO adotará os atuais regulamentos esportivos da classe GTLM sobre as classificações dos pilotos, qualificação, colocação no grid e procedimentos de corrida. Os carros GTD PRO usarão painéis numéricos vermelhos e LEDs indicadores de posição. Os carros GTD PRO serão obrigados a começar a corrida com pneus de qualificação ou enfrentarão uma penalidade, ao contrário do GTLM, que permitiu às equipes usar qualquer pneu de sua alocação sem penalidade.
  • GTD permanecerá como é hoje, com os mesmos requisitos para os pilotos com classificação Bronze ou Prata para serem incluídos nas escalações de equipe, qualificação, colocação no grid e procedimentos de corrida. Os mesmos procedimentos de qualificação introduzidos em 2021, que requerem um piloto com classificação Bronze ou Prata para definir a posição inicial da equipe, seguido por uma mudança de piloto obrigatória e uma segunda sessão de qualificação para ganhar pontos de qualificação permanecerão em vigor.
  • O GTD PRO adotará as mesmas limitações de teste da classe GTLM existente, o que permite oito dias de teste. A classe GTD continuará limitada a quatro dias, embora os pilotos Bronze possam ter dias de teste irrestritos com a aprovação da IMSA. Testes em túnel de vento e em linha reta são proibidos em GTD.

 

Published
5 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.