F1 Malásia–Deu pro gasto

mais-ou-menos3

Seria muita pretensão minha querer que toda corrida de F1 fosse cheia de emoção, com milhares de ultrapassagens, disputas e muitas batidas. Nos anos 70 e 80 até poderia ser assim, mas hoje, com a qualidade dos nossos circuitos é um pouco improvável que a emoção aflore em todas as corridas.

Mas essa corrida, mesmo sendo em um circuito feito pelo Sr. Tilke, teve sua emoção. Foi superior se comparada à Austrália e a chuva que tanto se almejou não veio e também não fez aquela falta. Então o que deixou a corrida interessante? A Asa móvel? O Kers? Ou os Pneus?

Quem respondeu os redondos acertou. Os pneus estão fazendo a diferença e de uma forma que ninguém esperava. A asa móvel para mim, é algo pelo menos neste primeiro momento desnecessário. Exemplos não faltam para certificar esta minha teoria. A disputa entre Hamilton e Alonso, por exemplo, o espanhol não tinha a tal asa em pleno funcionamento e mesmo assim conseguia pegar o vácuo do jovem Inglês. Poderia ter passado se não tivesse sido a barbeiragem. O que determinou ali a coisa foram os pneus e é claro o talento do espanhol que tem lutado como o carro assim como Massa, que além de lutar com o carro tem que rezar para seus mecânicos realizarem um pit stop descente. Ter problemas com roda foi o fim já que a equipe italiana é reconhecida como a mais eficaz quando o assunto são as paradas nos boxes. Fico imaginando como seria a troca de uma barra de direção, um cambio ou discos de freio como é em Le Mans…

Outro fator é o perigo que a asa pode proporcionar para pilotos menos talentosos. A diferença de velocidade para o carro da frente é tanta que o piloto pode literalmente atropelar ou em casos mais bizarros arrancar um das rodas como foi o caso de Alonso. Sem contar que é o fim ter que usar tal artifício em apenas uma parte do circuito, tirando a graça da coisa. Se a F1 quer se tornar competitiva deve investir em circuitos bons e explorar o erro do piloto como é o caso dos pneus com baixa durabilidade. Nenhum piloto se matou ou bateu por andar com pneus em mau estado e sim teve que mostrar braço para segurar o carro e seus adversários e é assim que descobrimos bons pilotos.

Ahh os pilotos. A corrida derrubou alguns mitos e enalteceu outros. Vettel foi soberano e mereceu a vitória e está aproveitando o bom momento, ao contrário de Webber que não se encontrou com o carro ainda. Mesmo a crítica caindo de pau em cima, este pelo menos por enquanto não é o ano ou o momento dele, assim como não foi de Massa o ano passado que não se acertava com o carro e este ano está se superando. Suas disputas nas duas provas provam que o menino é bom e está em um nível senão igual, pouco abaixo de Alonso, visto que o espanhol, quando percebe que está perdendo, arruma um jeito de trapacear e obtiver vantagem.

Mesmo com a falta de ânimo Webber acabou em 4º a frente de um Nick Heidfeld consistente que levou o carro sem maiores percausos para o fim da corrida sabendo guardar os pneus, mesmo tática que teve Jenson Button que acabou em segundo. Os dois não fizeram uma grande corrida em termos de disputa, mas cumpriram o objetivo terminar no pódio.

Assim como Webber não está se achando com o carro Kamui Kobayashi se encontrou muito bem com sua Sauber, Schumacher que o diga. Foram duas ótimas ultrapassagens no todo poderoso alemão que ainda não se encontrou, e olha que desde a sua volta já se vão mais de 20 grandes prêmios. Pior que isso é ver Rosberg, que ano passado foi superior ao seu companheiro, acabando em 12º. E bem pior é ver a equipe oficial da Mercedes sendo superada com facilidade pela Force India e McLarem que utilizam o propulsor alemão. Não está na hora de alguma coisa ser revista? Onde está todo o diferencial de Schumacher? Ele só aparece quando tem tratamento especial por parte da equipe? A atitude de Kobayashi só demostra isso. Quando o alemão estava na Ferrari os pilotos tinham medo de tentar superar ele. Hoje se tornou um desafio bem mais fácil do que se poderia imaginar. Se o dinheiro que é pago para ele fosse investido no carro com certeza a história seria outra.

A próxima etapa é no circuito de Xangai com sua enorme reta. Se tudo der certo será uma boa corrida mais pelo braço dos pilotos do que pelas qualidades do traçado…
Published
10 anos ago
Categories
F1Opinião
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *