F1 GP de Mônaco–Quando a FIAsco estraga tudo.

bilo

O GP de Mônaco nunca foi meu preferido. É apertado, de difícil ultrapassagem e mesmo tendo a constante presença do fator erro nem sempre coroa o melhor piloto. Basta largar na frente e não cometer erros que você pode vencer.

Neste ano estava curioso para ver como seria a prova. E ela estava indo muito bem com disputas, ultrapassagens batidas…. até que a FIA resolve se meter e estragar a festa.

Não é de hoje que a entidade máxima do nosso automobilismo faz das suas, mas este ano parecia ter acertado e bem ou mal estava indo tudo muito bem . A prova estava gostosa de se ver com ótimas ultrapassagens até que um stike nas últimas voltas revela quanto mal administrada a F1 é.
Até onde eu sei (e olha que acompanho automobilismo a muito mais tempo do que Vettel pilota) quando a  bandeira vermelha é dada os carros param e ponto, não se deve fazer nada nem uma troca de pneus, nem um aperto ou qualquer outra coisa. Caso o carro esteja muito danificado e ponto em risco o bom andamento da corrida esse deve ser consertado e posto no final da fila, posição natural de quem para nos boxes e demora mais do que uma simples troca de pneus por exemplo.

Com a atitude de trocar os pneus de Vettel, Alonso e Button a FIA perdeu uma bela oportunidade de um final de corrida que não se via a séculos com os três primeiros se matando para ver quem chega na frente. Se Vettel ganhasse assim pelo menos iria honrar o bom braço que tem. Se Alonso ou Button tivessem ganho seria a experiência de dois grandes pilotos em cima da sensação do campeonato. Assim ninguém ninguém ganhou nada, Nem Vettel que poderia ter descontado no braço o mal estado dos pneus.

Perdeu Alonso e Button que foram competentes por manter os pneus em bom estado o que poderia ser um diferencial…mas a FIA com o seu bom “senso” costumeiro mato tudo isso e quem mais perdeu fomos nós espectadores.

Tirando esse deslize a prova foi um das melhores dos últimos anos. Nunca se ultrapassou e se errou tanto em Mônaco. Massa, Schumacher e Hamilton foram bons e maus exemplos. Massa fez uma prova muito boa ultrapassando e evitando ser ultrapassado. Schumacher mesmo com um carro com alto consumo de pneus teve uma performance que não se via desde seu retorno a categoria, mesmo que essa “vontade” toda seja ultrapassar por cima de zebras ou achar espaços aonde não cabem dois carros.

Exemplo que foi seguido a risca pelo Dick Vigarista Mirim Hamilton. Todos os acidentes da prova tiveram um dedo seu. Dedo, pneus, aerofólio. É vergonhoso ver um piloto com tanto talento empurrando Massa no grampo ou partindo para cima de Maldonado na relargada após a bandeira vermelha. Ele não precisa disto mas o  despreparo emocional e a vontade de resolver tudo em uma única volta botam em xeque a real capacidade do piloto. Não basta apenas correr o mais rápido possível é preciso conter os instintos primitivos.

A próxima prova que será no dia 12 no circuito do Canadá tem tudo para ser uma das melhores do ano. A pista proporciona isto e a grande reta que antecede a linha de chegada deve ser o ponto de uso da Asa móvel. Isso se a FIA não inventar mais nada para estragar o espetáculo.
Published
10 anos ago
Categories
F1Opinião
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *