WEC Austin – Sorte, chuva e estratégia garantem dobradinha da Audi

10646707_10154669350415192_1590656333055651416_n_thumb-25255B3-25255D

A Audi venceu com dobradinha as 6 horas de Austin, primeira prova do Mundial de Endurance desde as 24 horas de Le Mans em Junho. Prova esta que teve como fator determinante a chuva que caiu nas primeiras horas e foi determinante para o resultado final.

Com um começo espetacular o Toyota #8 do trio Anthony Davidson, Nicolas Lapierre e Sébastien Buemi, que marcou a pole abriu uma considerável vantagem sobre os demais competidores. Tudo parecida decidido, visto que a Audi nos primeiros momentos não conseguia acompanhar sequer os modelos da Porsche.

Tendo como principal deficiência a velocidade em reta os 4 carros das equipes alemãs pareciam estar em uma corrida paralela até que uma forte chuva caiu no circuito levando vários carros a sair da pista, principalmente o Toyota #8 líder, bem como o #7 que tinha nas primeiras posições.

A corrida deve quer ser interrompida, visto a grande quantidade de chuva e as condições adversas da pista. Por sorte ou destino nenhum dos carros da Audi sofreu qualquer toque ou escapa de pista durante o dilúvio, e mesmo com um carro mais lento abriu uma vantagem considerável, já que seu principal adversário o Toyota #8 recomeçou a prova com uma volta de desvantagem.

Oreca da equipe KCMG vence na LMP2.

Oreca da equipe KCMG vence na LMP2.

Depois se viu uma grande alternância pela liderança da prova, e a estratégia foi determinante para a vitória do Audi #2 de Marcel Fassler, André Lotterer e Benoit Tréluyer. Mesmo não tendo um carro competitivo a Porsche chegou a liderar nas horas finais, mas perdeu rendimento deixando o caminho livre para a dobradinha da equipe irmã.

O rendimento da Toyota e o trabalho que a equipe fez durante as “férias” surtiram efeito e o #8 acabou chegando em terceiro na mesma volta do líder. Já na classe LMP1-L o melhor carro foi o Rebellion #12 de Nicolas Prost, Nick Heidfeld e Mathias Beche, que acabou na sétima posição no geral. A grande decepção da classe foi o Lotus que começou a corrida largando dos boxes e não foi competitivo em nenhum momento da prova. Terminou na 17º posição no geral a 19 voltas do líder e atrás de vários carros da classe LMP2.

Classe essa que teve um animo com a chegada da equipe ESM com seu HPD. A equipe americana que já anunciou que desistiu de competir em Petit Le Mans, última prova do TUSC pelo fato de não ter condições de ganhar a prova por conta de um favorecimento escancarado dos modelos DP vai jogar suas fichas e dinheiro no WEC a partir da etapa de Xangai.

O vencedor foi o Oreca 03 da equipe KCMG de Matt Howson, Richard Brandley e Tsugio Matsuda. Em segundo o também Oreca #27 da SMP Racing e em terceiro o HPD da Extreme Speed. Assim como no TUSC o Ligier JS P2, desta vez da G-Drive Racing vinha em bom ritmo mas depois de “voar” sob uma das zebras acabou danificando a suspensão traseira, obrigando o carro a ficar um bom tempo nos boxes para reparo. Terminou em 4º na sua classe e 14º no geral.

Aston Martin #97 vence na GTE-PRO

Aston Martin #97 vence na GTE-PRO.

Entre os GTs da classe GTE-PRO, a competitividade foi intensa. Mostrando um desempenho superior durante todo o final de semana, a Aston Martin teve que enfrentar um forte concorrente, a Porsche que chegou a liderar boa parte da prova com o #91 mas durante uma das paradas nos boxes teve problemas para ligar o carro. Deixando o caminho livre para o Aston #97 de Darren Turner e Stefan Mucke. Em segundo chegou o Porsche #92 de Patrick Pilet e Fréderic Makowiecki, fechando o pódio a Ferrari #71 da equipe AF Corse de Davide Rogon e James Calado. O “estreante” da prova o Corvette #65 pilotado por Rick e Jordan Taylor e Tommy Milner, não teve ritmo para acompanhar os adversários da classe, culpa da escolha errada dos pilotos já que os irmãos Taylor competem com um Corvette DP no TUSC e não tiveram tempo suficiente para se adaptar ao carro. Mas valeu pelo fato de vermos um Corvette em uma das etapas do Mundial. O Aston Martin #99 aonde compete o brasileiro Fernando Rees acabou na 6º posição.

Disputa entre os dois carros da equipe na classe GTE-AM, dá vitória para o #98

Disputa entre os dois carros da equipe na classe GTE-AM, dá vitória para o #98.

Entre os amadores da classe GTE-AM a Aston Martin conseguiu uma dobradinha. Esta foi a terceira vitória da equipe no ano e a segunda consecutiva. A briga entre os dois carros durou até as voltas finais com o #98 de Paul Dalla Lana, Pedro Lamy e Christoffer Nygaard, chegando a menos de 1 segudo do #95 de Kristian Poulsen, David Heinemeier Hansson e Richie Stanaway.

O Porsche #88 da Proton Competition liderou mais da metada da prova, mas com a perda de rendimento deixou o caminho livre para os modelos ingleses, mesmo assim terminou na terceira posição. O Porsche #75 da ProSpeed Competition perdeu 24 voltas depois de ter batido seu carro durante a quarta hora, terminando em oitavo.

A próxima etapa do mundial será no dia 12 de Outubro em Fuji.

Classificação final da prova.

Velocidades obtidas.

Classificação construtures classes GT.

Classificação construtores LMP1.

Classificação de pilotos LMP1.

Published
4 anos ago
Categories
Aston MartinAudiCorvetteFerrariGTE-AMGTE-PROHPDLigierLMP1LMP2LotusOrecaPorscheRebellion RacingToyota
Comments
1 Comment
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

One comment on “WEC Austin – Sorte, chuva e estratégia garantem dobradinha da Audi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *