Richard Lietz: ” O novo Porsche 911 está mais consistente”

Novo Porsche rodou mais de 48 mil quilômetros em testes. (Foto: Porsche)

Novo Porsche rodou mais de 48 mil quilômetros em testes. (Foto: Porsche)

As 24 horas de Daytona, que acontecem neste sábado (28), marca a estreia da versão 2017 do Porsche 911 RSR. Competindo na classe GTLM, o novo modelo do fabricante alemão, traz várias modificações, tanto aerodinâmicas como o novo motor “meio” central.

Tendo vencido o título de pilotos e construtores tanto da IMSA, quanto do WEC em 2015, o 911 RSR enfrentou uma dura batalha no Mundial de 2016, não vencendo nenhuma prova. Para o piloto Richard Lietz, o novo carro pode surpreender em Daytona e no WEC.

“Para mim, o carro é um passo em termos de consistência e para um piloto é mais fácil fazer corridas mais longas, especialmente no WEC. A condução, será menos exigente”, disse ele ao site Sportscar365.

“É um pacote completo, com o carro de motor traseiro nós fomos limitados no uso do difusor, porque o motor estava lá. Naquela configuração, nós não poderíamos ter o ângulo direito e o comprimento certo. Tudo mudou com este novo carro.”

“Em termos de equilíbrio, com novos pneus se você colocar o 911 de 2016 ao lado do 911 de 2017 você terá um bom conjunto. Com o novo carro, as possibilidades são completas. Acho que é um passo positivo.”

O novo Porsche rodou mais de 48 mil quilômetros em testes. A mudança do motor, ajudou, além de um maior equilíbrio, um uso mais consciente dos pneus. “É mais fácil trabalhar com os pneus agora, talvez também seja mais fácil para os fornecedores de pneus construir pneus, porque o carro com motor traseiro, eu diria, é um pouco exótico no mundo das corridas hoje”, disse ele.

“Precisávamos ter um tratamento diferenciado por causa disso. Agora, será mais fácil a construção dos novos pneus.”

Largando na quinta posição na classe GTLM, Patrick Pilet vai iniciar a prova com o Porsche #911. O piloto acredita que realizará uma prova sem maiores problemas. “Do nosso lado, o carro está funcionando bem, é uma grande evolução do 911”, disse.

“Você ainda se sente como se estivesse em um Porsche, mas é muito mais fácil em muitos aspectos, especialmente para lidar com o carro, estar diretamente no ritmo e ter mais confiança nas curvas rápidas, por isso é um bom carro.”

“Estamos sempre olhando para trás, especialmente quando você tem muito sucesso com um carro. É sempre um pouco difícil mudar, mas também estamos muito animados com novos brinquedos.”

“Meu antigo 911 RSR, estará em minha garagem em breve, então eu ainda terei tempo para aproveitar ele, mas você tem que virar a página, é assim todo o tempo.”

“Nós sempre vamos sentir saudades do carro velho, até ganhar com o novo, então eu espero que ganhe rapidamente para esquecer o velho mais rápido!”

Pilet se junta a Lietz e Nick Tandy no #911. Mesmo com o novo carro, as chances de vitória são difíceis, já que o antigo modelo, completou uma temporada inteira no WEC, antes de vencer na Flórida.”

“Agora é completamente diferente, com certeza estamos vindo com um carro novinho em folha, sem nenhuma experiência em corridas de resistência, não como em 2014, onde tivemos alguns comentários de Le Mans”, disse ele.

“Nossos adversários estão engajados este ano, especialmente Ford com quatro carros e como você pode ver, eles são realmente fortes, acho que ninguém sabe, exceto eles o verdadeiro potencial do carro.”

Published
2 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *