Richard Lietz, o campeão da Porsche na classe GTE-PRO

Richard Lietz, campeão pela Porsche também entre os GT. (Foto: Porsche AG)

Richard Lietz, campeão pela Porsche também entre os GT. (Foto: Porsche AG)

Richard Lietz não vai esquecer o dia 21 de novembro de 2015. Este foi o dia  ganhou a Copa do Mundo de Endurance da FIA, na última etapa, as 6 Horas do Bahrein, o maior sucesso de sua carreira até agora.. Assim que o melhor piloto de carros GT do WEC saiu do carro, os mecânicos da equipe Manthey Porsche rasparam o número 1 em seus cabelos negros.

“Mesmo que eu tenha que dar várias explicações quando chegar em casa, os meninos estavam apenas se divertindo um pouco, que era a coisa mais importante nesse momento”, disse Richard Lietz, que vai comemorar seu aniversário de 32 anos em 17 de dezembro . “Este título é a recompensa merecida para todos nós por nunca desistir desta temporada, mesmo quando fomos prejudicados. Mesmo quando estávamos por baixo em Le Mans, nós sempre acreditamos em nós mesmos. A maneira que fizemos nossa recuperação na segunda metade da temporada foi tremenda. Você só pode fazer isso com uma equipe perfeita.”

Equipe Manthey Porsche pode não voltar para a classe GTE-PRO do WEC em 2016. (Foto: Porsche AG)

Equipe Manthey Porsche pode não voltar para a classe GTE-PRO do WEC em 2016. (Foto: Porsche AG)

Richard Lietz teve que esperar quatro corridas até conquistar sua primeira vitória na temporada, nas 6 horas de Nurburgring, “casa” da sua equipe, a Manthey Porsche. Graças a sua vitória no circuito de Eifel, em agosto, o austríaco assumiu a liderança na copa do mundo de Endurance da FIA. Competição dentro do WEC que por muitas vezes é mais intensa que as disputas da classe LMP1.

“Richard é uma aposta certa e absoluta quando se trata de ser consistentemente rápido, mesmo nas condições mais difíceis, e consegue trazer para casa os melhores resultados”, diz Marco Ujhasi, geral diretor de Projetos GT da Porsche. Embora seu estilo de condução não seja nada espetacular, ao longo de sua carreira, Richard Lietz celebrou grande sucesso em uma vasta gama de séries de corrida, graças à sua velocidade e extrema consistência. Ele cobriu praticamente todas as disciplinas, e desenvolveu sua habilidade de condução nas pistas de rali mais do que em circuitos. Aos 16 era jovem demais para competir em carros GT. Decidiu entrar na Fórmula BMW. No entanto, era lógico que ele fosse competir em carros de corrida. Seu avô Alfred Kietz competia com um Porsche 550 Spyder, e seu pai competiu em campeonatos de GT na Áustria. Seu irmão, foi o primeiro a felicitá-lo no Facebook após a corrida Bahrain, é também um ávido piloto.

Mas não foram apenas os genes da família que levou Richard Lietz a se tornar um piloto de corridas. O fato é que ele cresceu longe de qualquer grande tentação automobilística. Nasceu em Ybbsitz, uma comunidade com pouco mais de 3.500 habitantes na Baixa Áustria. A cidade pequena, sem opções de divertimento contribuíram para o piloto buscar novos rumos. “As oportunidades de lazer para os jovens são poucas e distantes entre si”, diz ele. “Mas nós temos belas estradas, naturais que são divertidas de dirigir. É por isso que um monte de pilotos vêm de nossa região “.

Vitória no geral e histórica da Porsche em 2015 em Petit Le Mans ao lado de Patrick Pilet e Nick Tandy. (Foto: Porsche AG)

Vitória no geral e histórica da Porsche em 2015 em Petit Le Mans ao lado de Patrick Pilet e Nick Tandy. (Foto: Porsche AG)

Quando Richard Lietz tornou-se um piloto Porsche em 2007, depois de belas corridas na Porsche Cup e Supercup, viu seu sonho se tornar realidade. Ele estava grato pela confiança que a Porsche depositou nele e fez jus a contratação: Primeiro, ele venceu na classe GT2 em Le Mans no ano de 2010 além do International GT Open. Em um tempo muito curto, ele foi considerado como um dos melhores pilotos de GT do mundo. Com esses sucessos, as expectativas aumentaram. Mas Richard Lietz, que gosta de recarregar suas baterias escalando e correndo, estava sempre longe de perder o contato com a realidade. Pelo contrário: Ele não é alguém que se leva muito a sério, ele é uma pessoa positiva que sempre olha para si mesmo em primeiro lugar. Seu companheiro de equipe Michael Christensen, com quem ganhou três corridas do WEC nesta temporada, diz: “Richard é o melhor amigo e companheiro de equipe que você nunca poderia desejar.”

Como um ar calmo, Richard Lietz podem parecer estranho, quando as coisas não são executadas do jeito certo. Ele definitivamente não é alguém que foge de confronto, e ele assume a responsabilidade – não predominantemente para sua própria vantagem, mas principalmente no interesse da equipe. Isso faz dele o perfeito jogador da equipe. “Só quando o ambiente é certo”, diz ele, “todos podem dar o seu melhor para o sucesso.” A equipe Porsche Manthey é um exemplo perfeito: “Com esses caras você pode realmente chegar onde você quer, cada um deles sabe o que tem que ser feito. Estou orgulhoso de fazer parte desta equipe. “

Ao lado de Michael Christensen, seu companheiro no Porsche #91. (Foto: Porsche AG)

Ao lado de Michael Christensen, seu companheiro no Porsche #91. (Foto: Porsche AG)

O austríaco é um homem para todas as ocasiões – e para todas as séries de corrida: em 2009 ele ganhou o Le Mans Series (classe GT2) e defendeu este título no ano seguinte. Em 2012, ele conquistou a primeira de duas vitórias GT nas 24 horas de Daytona, com mais duas em Le Mans nos anos de 2013 e 2014 (GTE). Quando a Porsche teve seu sucesso histórico, com a sua primeira vitória geral em Petit Le Mans em outubro, ele fez parte do trio vencedor.

Dr. Frank-Steffen Walliser, chefe do programa GT da marca aprecia Richard Lietz por suas qualidades e pensamento analítico, e que ele sempre vê o panorama geral, e não apenas porque ele está 1,83 metros de altura: “Ele vê além do pit lane. Não fica só satisfeito com seu forte desempenho na pista, mas também a grande confiança de que ele bota em seus companheiros de equipe e como ele traz isso para a família Porsche: Quando nossos pilotos querem ter algo otimizado, geralmente é Richard que vem a mim e aconselhamos como podemos implementá-lo. “

Richard Lietz é um modelo para muitos jovens pilotos da Porsche. O mesmo se aplica a Michael Christensen. Quando Dane, sete anos mais jovem fala sobre seu companheiro de equipe, ele inevitavelmente tece elogios sobre ele. “Eu posso aprender muito com Richard”, diz ele. “Graças a sua vasta experiência, ele sabe o que é preciso para ser bem sucedido. Ele entende como chegar a equipe para reunir e trabalhar em uma direção. É fascinante ver como ele faz isso. Os dois também têm uma grande compreensão longe da pista. Quando o dinamarquês mudou-se para Viena, há dois anos, Richard Lietz deu-lhe dicas úteis sobre como encontrar um lugar para morar. “De vez em quando nos encontramos para um café”, diz Christensen. “É divertido sair com Richard. Temos um ótimo tempo juntos. “

Concentração antes da prova. (Foto: Divulgação Richard Lietz)

Concentração antes da prova. (Foto: Divulgação Richard Lietz)

Para Richard Lietz, vencer a Copa do Mundo de Endurance da FIA marca o maior sucesso de sua carreira até agora. A probabilidade de que ele vai mudar a sua personalidade é praticamente zero. “Você só pode ganhar esse título quando você tem uma equipe forte atrás de você, e que querem o sucesso, tanto quanto você,” ele afirma. Por mais que ele está emocionado com sua própria conquista, ele também tem o prazer que a Porsche Manthey conseguiu ganhar o título da equipe no Bahrein. O único toque de melancolia foi o fato de que Michael Christensen não podia partilhar o título.  Afinal, eles garantiu os três vitórias nesta temporada juntos. Mas porque Dane ajudou a Porsche Noth América durante as etapas do NAEC do TUSC nos EUA. Richard terminou com mais pontos do que seu companheiro de equipe. “Embora as estatísticas dizem o contrário – o meu sentimento diz que eu ganhei o título junto com Michael.”

No auge de sua carreira, que começou em um kart em 1998 e, finalmente, levou a Porsche, passou pela Fórmula BMW,Rally Challenge e Formula 3 austríaca, Richard Lietz ganhou vários dos mais importantes corridas de carros do mundo, e agora ele adicionou mais um campeonato internacional ao seu currículo. Ele vive e ama o que faz. Quando ele ouve outros colegas de corrida filosofar sobre a falta de motivação, ele só pode sacudir a cabeça. “Eu não tenho que encontrar motivação adicional antes de uma corrida”, diz ele. “Só por sentar em um Porsche, sei que estou representando uma marca tal rica em história, que está é uma motivação suficiente para mim.”

Published
3 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *