Rebellion pensa na IMSA para 2017

Rebellion é a principal equipe privada no WEC. (Foto: FIAWEC)

Rebellion é a principal equipe privada no WEC. (Foto: FIAWEC)

Principal para não dizer quase única equipe privada na classe LMP1, a Rebellion Racing planeja seu retorno para o Mundial de Endurance em 2016 e talvez a IMSA em 2017 com um dos novos LMP2.

O gerente da equipe Bart Hayden confirma a intenção de voltar para a classe LMP1 em 2016 com seus dois Rebellion R-One agora equipados com motores AER.”Esse é o ponto, continuar no WEC; temos a confiabilidade de que podemos ir para a próxima temporada com o pé direito”, disse ao Sportscar365.

“Este ano, perdemos as duas primeiras corridas. No ano anterior passamos por mudanças pois fizemos nossa primeira corrida com o chassi Lola.”

“Nós tivemos nas duas últimas temporadas uma espécie de atraso. Por isso queremos iniciar 2016 preparados.”

Enquanto a Rebellion conquistou o título de equipe privada com Nicolas Prost e Mathias Beche. A equipe não teve qualquer chance de lutar por vitórias contra as equipes oficiais por conta dos regulamentos.  

“Os carros de fábrica avançaram seis segundos em Xangai, enquanto nós nos movemos um segundo. O que isso diz sobre a diferença? Tem ficado cada vez maior “, disse ele.

“Eu não sei qual é a solução para isso, realmente. A Toyota estava na frente no ano passado e eles são  o terceiro do grupo agora. O ritmo do desenvolvimento e do poder das fábricas maiores têm é incrível.”

“Do ponto de vista tecnológico, é fantástico. Eu acho que é um crédito para todos esses caras para o que eles fizeram. Mas a partir de uma posição de estar lá com uma equipe de cliente, é um pouco desanimador.”

“Eu não posso ver uma mudança enorme no próximo ano porque, embora os regulamentos vão limitar a energia dos carros de fábrica, eu acho que eles vão dar um passo adiante e, provavelmente, superar isso. Eu só posso ver a diferença ser  grande, se não mais.”

Equipe venceu Petit Le Mans em 2012 e 2013. (Foto: Getty Imagens)

Equipe venceu Petit Le Mans em 2012 e 2013. (Foto: Getty Imagens)

Para 2017, todas as opções permanecem em aberto, incluindo um retorno à América do Norte para competir no Weathertech SportsCar com um programa baseado em um LMP2.

A equipe participou da American Le Mans Series entre 2012 e 2013, que inclui 2 vitórias em Petit Le Mans. “É um lugar que já tivemos algum sucesso no passado. Eu sei que série mudou um pouco desde a fusão. É difícil dizer exatamente, mas ainda assim, você ainda está correndo nesses grandes eventos como Daytona, Sebring, etc.”

“Você estaria correndo pela vitória no geral, então há definitivamente um apelo lá. Eu acho que não é fora de questão em 2017 que poderíamos estar olhando para ir por esse caminho.”

Não se sabe se a equipe vai levar a cabo estes planos. Qualquer mudança ou decisão será conhecida nos primeiros meses de 2016.”Se você entrar com um novo carro em 2017 nos EUA, você obviamente quer tentar ir a Le Mans,” ele disse.

“Para nós, Le Mans é a grande joia da coroa, como é para a maioria das pessoas. Nós gostaríamos de tentar encontrar uma maneira de sempre fazer parte disso.”

“Se nós optarmos pela classe LMP2, terá que ser algo que possa ser usado na ELMS. mas é cedo para tomar qualquer decisão.” Finalizou.

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.