Projeto DPi da Nissan sofre atraso

Nissan vai alinhar um Ligier DPi na IMSA em parceria com a Extreme Speed Motorsports. (Foto: Onroak Automotive)

Nissan vai alinhar um Ligier DPi na IMSA em parceria com a Extreme Speed Motorsports. (Foto: Onroak Automotive)

A Nissan, foi um dos primeiros fabricantes a revelar seus planos de participação na temporada 2017 da IMSA. Em parceria com a Extreme Speed Motorsports, a montadora japonesa, deve rivalizar com Mazda e Cadillac a supremacia da série no próximo ano.

Mesmo tendo revelado seus planos com antecedência, o desenvolvimento está ocorrendo lentamente. O principal fator, fica por conta do motor, já que o Ligier JP217, que vai servir de base para o DPi, já foi apresentado, inclusive dando algumas voltas na França.

“No geral as coisas estão indo muito bem”, disse o chefe da NISMO Michael Carcamo ao site Racer. “Eu tive uma conferência com os caras da Onroak na França e na semana passada eu estava no Japão verificando o desenvolvimento do powertrain. Tudo está indo muito bem. O motor já foi testado em dinamômetro, e logo será embarcado para a Europa para ser instalado no chassi.”

“O chassi, está dentro do cronograma para o mapeamento aerodinâmico IMSA DPi. Nosso primeiro shakedown será no final de dezembro. Vamos fazer testes privados em primeiro lugar. Outros terão muito mais tempo testando seus próprios carros, então vamos testar em particular antes de qualquer outra coisa.”

O novo protótipo será alimentado por um motor 3.8 litros, biturbo V6. Ele será baseado no propulsor usado pela marca nos campeonatos GT3. A Cadillac, irá competir com um V8 aspirado, que foi usado no Corvette DP este ano. Já a Mazda vai correr com um turbo de quatro cilindros.

A Nissan fez grandes alterações no motor, por conta do layout do seu GT-R. Um novo sistema de lubrificação por cárter seco, bem como mudanças estruturais para deixar o motor com menos torção estrutural. “Há duas partes difíceis: A primeira é que você instalar um motor que estava montado na dianteira de um carro GT3, para a traseira de um protótipo. É necessário mudar mudar tudo estruturalmente em como o motor se conecta ao carro”, disse Carcamo. “É complicado do ponto de vista estrutural, mas não tanto tecnicamente. Você cria faceplates frontais e suportes traseiros para o motor para se adaptar na parte de trás de um protótipo. Então estamos nos certificando que os caminhos certos de ligação estão sendo feitos da maneira correta.”

“O motor que usamos no carro GT usar cárter molhado, e o que vamos usar no protótipo é seco. Neste momento não fizemos alterações significativas com a indução forçada porque estamos preocupados com a potência e torque. o motor em si é um pacote forte, e nós podemos mudar, se necessário, mas já temos grandes turbos e eles são confiáveis. Podemos ir além se isso for necessário.”

Carcamo também confirmou que o protótipo terá uma identidade própria. “Neste momento estamos dando prioridade para o sistema de refrigeração e carenagem”, disse ele.

Ao contrário de Mazda e Cadillac, que já confirmaram que vão permanecer por bastante tempo no campeonato, a Nissan segue com cautela, principalmente sobre o custo x benefício da IMSA.

“O primeiro passo foi tentar entrar em uma grande série de grandes eventos e uma grande equipe. Essa foi a gênese de começar o programa. O que acontece no futuro depende dos resultados e como a série em si cresce. Nós não estamos prontos para fazer qualquer compromisso sobre o futuro a longo prazo, mas esperamos encontrar oportunidades que vão se refletir na mídia.” Finaliza.

Published
4 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *