Pedro Queirolo vence pela Porsche GT3 Cup em Interlagos

(Foto: Fernanda Freixosa)

(Foto: Fernanda Freixosa)

O sábado foi do pole Pedro Queirolo na Porsche GT3 Cup em Interlagos. O Porsche #13 sustentou a dianteira na largada e liderou todas as voltas para vencer pela segunda vez no ano. Ele foi pressionado por Marcelo Hahn em alguns momentos, mas no final acabou favorecido por um toque que abreviou as provas de Ricardo Baptista, Miguel Paludo e do então vice-líder (Hahn).

O prejuízo foi enorme para o Porsche #16. Ele poderia assumir a dianteira na disputa pelo título da Cup Sport, a divisão de entrada da principal categoria de Gran Turismo do continente. Mas amargou um lugar fora do pódio e viu Carlos Ambósio, que fez uma corrida limpa, terminar em sexto no geral e vencer na categoria, para assumir a liderança.

O segundo lugar no geral ficou com Rodrigo Baptista, piloto regular do Blancpain GT Series em 2016. Vindo de um segundo lugar na prova de endurance de Goiânia, ele mostra cada vez mais desenvoltura com os carros de corrida mais produzidos no mundo.

Werner Neugebauer, outro competidor que entrou no evento na corrida de endurance, também fez uma corrida consistente: avançou quando a chuva apertou e foi premiado com o terceiro lugar.

Sylvio de Barros passou a prova toda na balada dos líderes e terminou em quarto, com JP Mauro voltando ao pódio, em quinto lugar.

Neste domingo os quatro postulantes ao título da Cup Sport conservam chances matemáticas. Mas, largando apenas em 16o na prova, ficou muito difícil para Hahn. Ambrósio lidera com 82 pontos, Basso tem 80 e Adalberto 79. Hahn vem a seguir com 76. O vencedor no domingo soma 10 pontos.

Na classe Challenge, Cristiano Piquet começou melhor seu confronto direto com Gonzalo Huerta pelo título da categoria. O Porsche #8 cravou o terceiro tempo do grid, com o chileno largando em oitavo. Ambos estão rigorosamente empatados em 86 pontos, mas Piquet leva vantagem nos critérios de desempate.

Mas quem saiu com o sorriso mais aberto foi Rodrigo Mello. Depois de uma temporada de sprint atribulada, o competidor do Porsche #29 venceu com autoridade a segunda prova de endurance da temporada, no mês passado em Goiânia. Ele reafirmou a boa fase com sua primeira pole na preliminar da F1. Vai largar ao lado de Otavio Mesquita, o único, entre os 30 pilotos em ação neste fim de semana, que competiu a primeira prova da história da Porsche GT3 Cup Challenge, em 2005.

A programação deste domingo tem início às 9h, com a largada da Challenge. Às 10h acontece a última corrida de sprint do ano, com a prova da Cup.

 A corrida – Cup

Pedro Queirolo tracionou bem e defendeu o assédio de Marcelo Hahn que vinha por fora na largada. Ricardo Baptista ameaçou por dentro no fim da reta, mas recolheu na freada, fazendo o S do Senna em terceiro. Quem levou a pior na primeira curva foi Lico Kaesemodel que, espremido, acabou rodando e retornou no fim do pelotão.

Na segunda volta Baptista continuava pressionando Hahn, o que permitiu certa folga ao líder. Enquanto isso, Adalberto era o nome da prova, saltando de 19o lugar para 14o e já brigando diretamente com Marcio Basso, um dos demais postulantes ao título da Cup Sport.

Os cinco primeiros –Queirolo, Hahn, Baptista, Sylvio de Barros e Miguel Paludo– conseguiram livrar alguma vantagem do resto do pelotão na quinta volta. Carlos Ambrósio tentava acompanhar, mas já vinha 2s2 atrás. A seguir completavam o top10: Rodrigo Baptista, Marcel Visconde, JP Mauro e Werner Neugebauer.

Com 12 minutos de prova, na sétima volta, começou uma garoa fina em Interlagos. Paludo passou Sylvio na subida do Café, enquanto Hahn embutiu na traseira de Queirolo pressionando pela liderança. Enquanto isso, na briga entre os demais concorrentes da Cup Sport, Adalberto passou Basso pela 11a posição.

A 10 minutos da abertura da última volta, Hahn, Baptista e Paludo cruzaram a reta dos boxes praticamente lado a lado. O Porsche #7 atacou por fora, mas teve a manobra neutralizada por bela ação defensiva do #27. Hahn agradeceu e conseguiu abrir alguns décimos.

Na volta seguinte, conforme a garoa apertava e os carros usavam limpador de para-brisa, Paludo atacou Baptista por dentro e concretizou a ultrapassagem na segunda perna do S do Senna. Hahn pressionava Queirolo, inclusive usando farol alto.

Com a briga intensa na frente, Sylvio de Barros e Rodrigo Baptista (quinto e sexto colocados, respectivamente) buscaram o pelotão dos ponteiros. Lico Kaesemodel também era rápido –já havia avançado até 11o depois de cair para último na primeira curva.

Na 12a passagem, Baptista atacou Paludo por dentro na tomada do S do Senna e atingiu a traseira de Hahn. Os três se tocaram e acabaram despencando com os carros danificados. Rodrigo Baptista agradeceu e assumiu a vice-liderança, seguido por Sylvio de Barros e Neugebauer. JP Mauro completava o pódio em quinto. Lico herdou o sétimo posto, e Carlos Ambrósio, em oitavo, levava a melhor com a liderança da Cup Sport uma posição à frente de Hahn.

Na volta final, Rodrigo Baptista apertou Queirolo pela vitória. Mas o dia era do #13. Neugebauer terminou em terceiro, Sylvio de Barros em quarto e JP Mauro ficou com o último lugar no pódio.

Em oitavo no geral, Ambrósio venceu na Cup Sport, com Adalberto em segundo na classe (nono no geral) e Basso em terceiro (décimo no geral). Rodolfo Toni e Tom Filho completaram o pódio. Na volta final Hahn lutou com o carro danificado e acabou apenas em sexto na classe de entrada.

Na Master a vitória ficou com o campeão Maurizio Billi (11o no geral), seguido por Darío Giustozzi (12o) e Paulo Pomelli (14o).

 O treino – Challenge

Piquet foi o primeiro a estabelecer uma volta rápida, com 1min42s600. Huerta logo respondeu, com uma passagem 89 milésimos mais lenta.

Na marca dos 7 minutos de treino, foi a vez de Otavio Mesquita assumir provisoriamente a liderança, também na casa de 1min42s. Eloi Khouri baixou o tempo a seguir, para ser posteriormente desbancado por Marcio Mauro –o mais rápido da sessão livre realizada na véspera.

Com 10 minutos de treino, os cinco primeiros eram: Mauro, Khouri, Mesquita, Huerta e Hahn. Piquet vinha em sexto.

 Pela metade do treino, Piquet inaugurou as voltas na casa de 1min41s. Rodrigo Mello gostou da brincadeira, e baixou mais ainda a marca. Então a 15 minutos da bandeirada a tabela de tempos mostrava: Mello, Piquet, Mauro, Khouri e Mesquita. Huerta figurava em sétimo naquele momento.

Os pilotos aumentaram o apetite pelo risco nos 10 minutos finais, com algumas escapadas de pista. Entre os ponteiros, a mudança foi a subida de Mesquita para segundo lugar, com uma volta precisa que ficou a 28 milésimos da marca de Mello. Foi a última alteração da tabela de tempos.

Published
2 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *