Os planos da Mazda para Daytona

Será que o Lola vai dar uma alegria a mais para a equipe? (Foto: Speed Source)

Será que o Lola vai dar uma alegria a mais para a equipe? (Foto: Speed Source)

A Mazda tem muito o que comemorar em 2016. A exatos 25 anos o mítico 787B ganhava as 24 horas de Le Mans, feito único, já que nenhum outro construtor japonês venceu no geral a grande clássica francesa.

Depois de três anos do projeto de desenvolvimento do motor SKYACTIV-D que trouxe resultados concretos limitados, embora tenha sido muito feliz para os modelos e rua da marca, na pista a coisa foi outra. Poucos resultados e muitos problemas técnicos, e poucas corridas completadas. Para este ano as coisas ganharam outra forma. Em uma parceria com a AER, o fabricante relançou um motor a gasolina oriundo da versão que estava no Lola da equipe Dyson na ALMS em 2013. Foi batizado de Mazda MZ 2.0T.

Como John Doonan, diretor da Mazda Motorsports explicou, que os testes e todo o desenvolvimento foi feito praticamente do zero. Ao todo os dois Lola percorreram mais de 6.400 km durante os testes em Daytona e mais 1.600 em testes privados.

“O Roar deu a todos a confiança e ímpeto para corrida”, disse ao site  Sportscar365. “Nós testamos em CTMP, Road America, Sebring, Daytona, Palm Beach. Foi um programa extenso.”

“AER fez uma tonelada de corridas e simulações no dinamômetro. Tentamos prever tudo Espero que nós tenhamos feito as melhores escolhas para a corrida de Domingo.”

Motor a gasolina fez boas corridas na ALMS com o Lola da equipe Dyson. (Foto: Divulgação)

Motor a gasolina fez boas corridas na ALMS com o Lola da equipe Dyson. (Foto: Divulgação)

Outro fator que pode influenciar o resultado e os anseios da equipe é o tempo de estrada dos dois chassis Lola que estão com mais de 5 anos de vida e não fazem mais frente so Ligier JS P2 e a BR01 da SMP Racing. Mesmo assim a diferença deve ser mínima

“É interessante quando você olha para a nossa história, e voltar a 25 anos atrás com nossa vitória em Le Mans”, disse Doonan. “Como chegamos ao 787B? Isso era um burro de carga por cerca de cinco a 10 anos. Os fundamentos do 787 levaram tempo e atualizações contínuas.”

“Eu amo o fato de aqui,  os documentos de homologação dos nossos dos Lola são de 2011. Este carro terminou e ganhou muitas corridas nos EUA, ao redor do globo, e em Le Mans. É um burro de carga comprovado com um monte de atualizações.”

Primeira e única vitória de um fabricante "no geral" em Le Mans foi em 1991 com o Mazda 787B. (Foto: Divulgação)

Primeira e única vitória de um fabricante “no geral” em Le Mans foi em 1991 com o Mazda 787B. (Foto: Divulgação)

“Este motor neste chassis é a primeira. Alguns chassis mais novos são extremamente eficientes. Mas eu gosto de nossas chances de nossas peças e componentes comprovados. “

“Os carros mais novos têm a ligeira vantagem. Mas nós sabemos o que este carro precisa, e o que é preciso para estar lá para os últimas 20 voltas da corrida. Queríamos um carro de verdade para o desenvolvimento de um motor, e esta é uma continuação do que estamos fazendo. “

Os pilotos do #55 serão Jonathan Bomarito, Tristan Nunez e Spencer Pigot, enquanto no carro #70 Joel Miller, Tom Long e Ben Devlin.

Published
4 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *