Os detalhes da quebra de recorde do Porsche 919 em SPA

(Foto: Porsche AG)

(Foto: Porsche AG)

O Porsche 919 estabeleceu um novo recorde de pista no circuito de Spa-Francorchamps. Neel Jani rodou os 7,004 km do circuito belga em 1:41.770 minutos. O tempo foi 0.783 segundo mais rápido do que o antigo recorde estabelecido por Lewis Hamilton ao volante do Mercedes F1 W07 Hybrid. Lewis marcou 1:42.553 no dia 26 de agosto de 2017, garantindo a pole position para a corrida de F1 do ano passado. Jani alcançou uma velocidade máxima de 359 km/h com média de 245,61 km/h.

Fritz Enzinger, Vice-Presidente LMP1 comenta o feito do LMP: “Esta foi uma volta fantástica absolut, com um desempenho um notável de Neel Jani. Fizemos história hoje botando a prova o melhor carro de todos os tempos. ”

Neel Jani: “O 919 Evo é brutalmente impressionante. É definitivamente o carro mais rápido que eu já dirigi. O nível de aderência é em uma totalmente nova dimensão para mim, eu não poderia imaginar essa quantidade antes de pilotar. A velocidade em que tudo acontece em uma única volta com a 919 Evo é tão rápido que a demanda na velocidade de reação é muito diferente do que eu estava acostumado no WEC. Nós não somos apenas mais rápidos que a F1 de 2017. Fomos mais de doze segundos mais rápido em comparação com o nosso pole position WEC do ano passado! Tivemos três dias muito intensos em Spa. Hoje eu sabia sobre a primeira volta na parte da manhã que o desempenho do carro foi super. Os engenheiros de corrida fizeram um grande trabalho de configurar o carro e os pneus Michelin são sensacionais. Um grande obrigado a Porsche para esta experiência. ”

Os detalhes técnicos

Os regulamentos técnicos da FIA para o WEC e Le Mans buscam o nivelamento para que todos os carros tenham chances de vitória.  Como consequência dessa premissa vem a pergunta – qual seria o potencial do Porsche 919 híbrido se não foi acorrentado pelas limitações – a serem respondidas; até agora.

Stephen Mitas, engenheiro de corrida, foi responsável pelo projeto: “Foi uma espécie de sonho de um engenheiro tornado realidade para nós”, admite. “Todos nós sabíamos, não importa o quão bem-sucedido o 919 hybrid era, nunca podemos mostrar suas habilidades completas. Na verdade, mesmo a versão Evo não explora plenamente o potencial técnico. Desta vez não foram limitados por regulamentos, mas recursos”.

Para preparar o carro registro, a base foi o carro campeão de 2017. Em cima veio os desenvolvimentos que foram preparados para o 2018 WEC, que não foram utilizados já que a Porsche preferiu competir na Fórmula E. Todo o hardware do trem de força permaneceu intocado.

O 919 é alimentado por um motor de dois litros turbo V4 cilindros, com dois sistemas diferentes de recuperação de energia – energia de frenagem do eixo dianteiro combinado com energia de escape. O motor de combustão aciona o eixo traseiro enquanto o motor elétrico impulsiona o eixo dianteiro para acelerar o carro com tração nas quatro rodas. Ao mesmo tempo que recupera a energia do sistema de escape. A energia elétrica que vem dos freios dianteiros e o sistema de escape é temporariamente armazenada em baterias de íons.

(Foto: Porsche AG)

(Foto: Porsche AG)

Os regulamentos de eficiência do WEC limitam a energia de combustível por volta usando um medidor de fluxo de combustível. Na temporada 2017, o Porsche 919 Hybrid poderia usar 1,784 kg / 2.464 litros de gasolina por volta. A saída do motor de combustão V4 na época era em torno de 500 HP. Libertado dessas restrições e equipado com um software atualizado, mas executando o combustível de corrida regulares (E20, contendo 20% bio-etanol), o 919 híbrido Evo entrega 720 HP.

A quantidade de energia a partir dos dois sistemas de recuperação que foram utilizados em Spa 2017 eram 6,37 megajoule. Este foi de longe abaixo do potencial dos sistemas. Nestes testes, Neel Jani teve 8,49 megajoules.

Os engenheiros também redesenharam a aerodinâmica do 919 Evo. O novo difusor frontal agora equilibra a asa traseira nova e maior, sendo que ambos têm sistemas de redução de arrasto ativamente controlado. Os sistemas agora são operados hidraulicamente. O assoalho tem saias que melhoram o fluxo de ar. No total, as modificações aerodinâmicas resultaram em 53% de downforce e 66% em comparação com o modelo e 2017.

Para ajudar a expandir ainda mais o desempenho, o Evo ganhou um sistema brake-by-wire nas quatro rodas para fornecer controle adicional. Além disso a direção foi adaptada, e novos triângulos de suspensão reforçados.

Comparado com o carro “normal”, o peso foi reduzido em 39 kg, ficando em 849 kg. Para conseguir isso, tudo o que não é necessário para uma única volta rápida: ar condicionado, limpador para-brisas, vários sensores, dispositivos eletrônicos de controle de corrida, sistemas de luzes e o sistema de macaco pneumático.

Parceiro de vários anos de pneus da Porsche, a Michelin forneceu pneus com mais downforce do que os utilizados em um carro de Fórmula 1. Mantendo as dimensões de pneus (31 / 71-18), o alvo era de aumentar significativamente o nível de aderência.

O ‘919 Tribute Tour’ continua

A volta recorde em Spa foi a primeira aparição no 919 Tribute Tour. Ela pode ser vista fazendo uma volta de demonstração no Nordschleife antes das 24 Horas de Nürburgring em 12 de maio. Também estará presente no festival de Velocidade de Goodwood (12-15 julho) e no Festival de Porsche em Brands Hatch (Setembro 2). Irá seguir, bem como a participação do carro no Reunion Porsche Rennsport em Laguna Seca, Califórnia (26 de setembro a 29).

Published
2 semanas ago
Comments
Comentários
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.