Oreca e seus planos para a classe LMP1

(Foto: Oreca)

(Foto: Oreca)

A expectativa sobre o futuro da classe LMP1 para a temporada 2018/19 do Mundial de Endurance é grande. Mesmo com o diálogo entre Toyota e Fernando Alonso para uma eventual participação, não garante necessariamente que o time japonês, vai alinhar seus protótipos para o próximo ano. Em contrapartida, vários fabricantes estão desenvolvendo soluções, buscando equipes de clientes. Entre elas está a Oreca.

Com a unificação das classes híbridas e não-híbridas, as chances de uma equipe privada vencer no geral, são grandes. Pensando nisso a Oreca avalia a construção de um LMP1.

“Claramente, como um construtor de carro de corrida, nós gostaríamos de fazê-lo. Mas temos que assinalar algumas caixas antes que possamos realmente cometer,” comentou David Floury, diretor do fabricante para o site Sportscar365.

“A questão principal é o prazo. Se você está falando de 2018, o momento é muito desafiador já.”

“Temos muitos pedidos de clientes potenciais. Obviamente também estamos envolvidos com a Toyota, por isso temos de ver com atenção a forma como abordamos isso.

“Mas isso também depende do que vai acontecer em geral no próximo ano. No momento há muita incerteza. Um dos principais pontos é que não temos regulamentos técnicos.”

Atualmente apenas a Ginetta oferece protótipos para disputar a classe LMP1. O dirigente acredita que um “Oreca 9” não seria uma versão do atual 07, mas que poderia partilhar algumas peça a fim de evitar custos.

“Com certeza não temos tempo para fazer um carro completamente novo”, disse ele. “Por outro lado, já temos uma linha de base e não precisam redesenhar tudo. É uma questão de construir um carro novo com alguns dos componentes dos projetos existentes, juntamente com alguns novos componentes.”

A Oreca está em conversação com diversos fabricantes de motores, e que por enquanto o protótipo seria desenvolvido em cima de apenas um propulsor, por conta dos prazos apertados para início do campeonato. Uma definição sobre o projeto será conhecida até o final deste mês.

“Vai ser difícil ter clientes confirmados [na hora de se comprometer com o projeto], mas com certeza para ir em frente, precisamos ter um bom entendimento do que o mercado poderia ser”, disse Floury.

“Eu acho que podemos esperar até que tenhamos pedidos confirmados, caso contrário, não teria tempo para fazer um projeto adequado.”

“A ideia não é apenas fazer um carro para preencher o grid. Se fizermos isso, vamos tentar fazê-lo de forma adequada.”

A ACO e FIA garantem que os regulamentos para os não-híbridos, não serão alterados em 2018. A principal questão é a equalização entre os dois tipos de sistema. “Não podemos investir, se não temos mais visibilidade sobre onde será o futuro”, disse Floury.

“Há também um ponto de interrogação sobre quanto tempo este carro seria elegível. única 2018/19 ou além? Dependendo de quem você conversa, você tem respostas diferentes.”

* Com informações do site sportscar365.com

 

Published
3 meses ago
Comments
Comentários
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.