O adeus da equipe Falken Tires

As políticas da IMSA fazem mais uma vítima. (Foto: IMSA)

As políticas da IMSA fazem mais uma vítima. (Foto: IMSA)

A última etapa do TUSC neste final de semana, não marca apenas o final de um campeonato que para muitos ainda está aquem do que foi a antiga ALMS, marca também o fim da equipe Falken Tires, que encerra suas atividades.

O motivo? Um reorganização do grupo Sumitomo, dono da Falken e também da Dunlop, que perdeu espaço no IMSA desde que a Continental começou a ser o fornecedor oficial das classes P, PC e GTD.

Restou competir contra a Michellin na classe GTLM, mas com pouco espaço, principalmente nas transmissões, se decidiu por encerrar o programa. “Nós estamos juntos, nós caímos juntos”, disse Wolf Henzler um dos pilotos da equipe.”

A equipe estreou na ALMS em 2009. Na época não era apenas a Michelin sua única concorrente, mas sim a Dunlop e a Yokohama. Ao contrário da F1 que teve uma guerra e pneus na ALMS a batalha era muito maior.

O início em 2010 nas 12 horas de Sebring. (Foto: Divulgação ALMS)

O início em 2010 nas 12 horas de Sebring. (Foto: Divulgação ALMS)

Sua rival na atualidade, a Michelin sempre se orgulhou de ter um adversário forte na classe GTLM e lamenta perder o adversário no final do campeonato. Ao todo a equipe participou de 61 prova desde 2009, menos a edição de 2014 das 24 horas de Daytona.

Foram seis vitórias, dez pódios, 19 vezes entre os 5 primeiros e 54 vezes entre os 10 primeiros, nas classes GT2, GT e GTLM.

“Eu acho que foi um bom emparelhamento desde o início”, disse Bryan Sellers ao site Sportscar365. “Tudo parecia funcionar. Nós dirigimos um bom carro, e sempre foi bom pilotar ao lado de Wolf. Temos uma ergonomia parecida, tanto que a posição dos bancos, cintos e até os botões do volante estão nas mesmas posições.”

“E então, o mais importante que tivemos uma convivência fora das pistas, jantares e cafés da manhã, durante seis anos. Em cada corrida passamos muito tempo juntos, como em um casamento.”

Henzler que é um piloto oficial Porsche comenta que existem vantagens em competir com um carro só. “O bom é que a equipe pode se concentrar em um carro”, disse Henzler Sportscar365. “Nós estivemos fortes em vários circuitos de rua. O pneu Falken funcionaram bem em Long Beach por exemplo. E, em Baltimore. Sempre corrermos bem na chuva.”

A primeira vitória em Petit Le Mans em 2013. (Foto: IMSA)

A primeira vitória em Petit Le Mans em 2013. (Foto: IMSA)

“Nós fizemos muitas coisas com  apenas um carro.” Bob Walker assumiu as operações da equipe antes de 2011, e imediatamente a equipe melhorou se comparada com a temporada anterior, em que não marcou um único top-five.

“Eu acho que se você olhar ao longo dos cinco anos nunca tivemos problemas com a equipe, ou com a fábrica”, disse Walker. “Pode ser muito frustrante competir em uma equipe de pneus pois nem sempre os pneus são bons ou adequados.”

“Mas a equipe teve a mesma atitude. Ele não se esqueceu de todas as partes do programa, trabalhando em pit stops e confiabilidade. Eles fizeram tudo. Olhando para trás, tem sido gratificante. “

Para Petit Le Mans, a busca pela terceira vitória consecutiva é o objetivo. Em 2013 coube a Henzler em dupla com Nick Tandy e em 2014 ao lado de Marco Holzer. Patrick Long será o terceiro piloto neste edição.

A segunda vitória em Petir Le Mans em 2014. (Foto: IMSA)

A segunda vitória em Petir Le Mans em 2014. (Foto: IMSA)

Tentar vencer pela terceira vez na mesma pista é um desafio muito maior. “É uma situação interessante”, disse Sellers, que vive em Atlanta.”Quando você tem duas vitóras, as pessoas assumem que você vai ganhar pela terceira vez. Se você ganhar, foi mais que uma obrigação, se você perder, você falhou.”

Após a prova tudo é incerto para os funcionários. Walker vai manter a folha de pagamento da equipe até dezembro, Wolf Henzler tem emprego garantido já que é piloto da Porsche, enquanto Sellers vai sair a caça de uma nova equipe.

Published
4 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *