Multimatic a frente do Ford GT para o WEC

10931161_10153276508803820_908257717954592712_n

Após o retorno oficial por parte da Ford para as provas de longa duração, o que foi confirmado na última Sexta (12), novos detalhes sobre o programa estão sendo divulgados.

Além da parceria com a Chip Ganassi, ficou a cargo da canadense Multimatic, desenvolver e administrar os passos da gigante de Detroit tanto no WEC quanto no TUSC.

A frente do projeto está George Howard-Champpel que foi chefe da equipe Prodrive, e que agora é o chefe de operações da Ford no WEC.

O Ford GT tem uma base forte de um carro de estrada é um ponto de partida fantástico para um carro de corrida”, disse Howard-Chappell Sportscar365 durante o lançamento do programa na semana passada em Le Mans.

O carro já atende os novos regulamentos da classe GTE que irão ser válidos em 2016. O motor, um 3.5 litros V6 EcoBoost que este ano equipa o DP da equipe Chip Ganassi se mostrou confiável e competitivo.

“Nós pegamos o carro de estrada, que é um carro  fantástico para construir um carro de corrida já valido para os futuros regulamentos.” disse Howard-Chappell. “Este é o primeiro carro do programa de desenvolvimento. Ele vai evoluir daqui até ser homologado.”

“Embora tenhamos uma grande quantidade de pessoas envolvidas no programa, não temos um carro GTE, por isso é importante começar cedo e obter experiência com o carro.”

Howard-Chappell confirmou o carro já rodou com Scott Pruett ao volante tendo sido entre os pilotos que fornecem o feedback inicial na fase inicial de desenvolvimento.

No lado operacional, Multimatic também será encarregada de montagem de equipe com base na Europa para o WEC. Com a base no Reino Unido a empresa vai usar o pessoal que trabalhava na Lola, e com uma grande experiência em carros de competição.

 

Published
5 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *