Motores rotativos serão aceitos no Mundial de Endurance

Protótipos LMP1 serão aceitos na próxima temporada. (Foto: FIAWEC)

A FIA divulgou nesta quarta-feira, 11, o regulamento técnico para a classe Le Mans Hypercars que passa a valer a partir de 2020. Polêmico desde o lançamento, a introdução dos LMH em substituição aos LMP1, sempre estiveram no meio de uma cerne que para muitos botaria em xeque o futuro da competição. 

O documento foi finalizado no dia 4 de dezembro, mas divulgado nesta quarta-feira, e traça o roteiro de produção de modelos baseados em protótipos e com estilo de protótipo (Hypercars). Em outra seção são descritas as regras para protótipos LMP1 híbridos e não híbridos. 

Um “Hypercar” foi definido pelos regulamentos como: 

“Um automóvel fechado baseado em um supercarro modificado para poder competir em corridas de velocidade em circuitos ou pistas fechadas. Carro extremo destinado a ser comercializado para uso na estrada, criado por um fabricante de carros de série, cujas características técnicas são incomuns, considerando o estado da arte, a técnica e a produção de seu fabricante. A natureza excepcional deste automóvel é apreciada em particular: sua potência, velocidade máxima, materiais de que é feito e as tecnologias utilizadas,preço, raridade e especialmente por ser produzido em quantidades limitadas. Os Hypercars assim caracterizados, sendo inicialmente projetados para uso em estradas e não para competição, devem ser comercializados pelo fabricante  devem aparecer em seu catálogo”. 

Uma novidade será a aceitação de motores rotativos, até então proibidos no Mundial. 

Confira outros pontos:

  • Motores desenvolvidos a partir do “zero”;
  • Uso de compressores; 
  • Uso opcional de sistema híbridos;
  • Sistema de BoP que pode adicionar até 50kg no peso mínimo dos carros; 
  • Liberação do desenvolvimento e construção de difusores; 
  • Sistemas híbridos serão ativados a partir de 140 km/h – 160 km/h, quando o protótipo estiver usando pneus de uso intermediário ou de chuva; 
  • A potência oriunda do sistema híbrido será permitida em velocidades inferiores a 120 km/h, a longo de uma volta, desde que o carro entre nos boxes. 

Construção de motores

A construção de MGU-K, sistema de recuperação de energia mais eficiente que o KERS utilizado na Fórmula 1, feito sob-medida, estão liberados, além da peça de “marca”. Esta última, sendo atrelada a construção de 25 unidades de carros de produção em série, que deverão estar com a mesma unidade utilizada na competição, até o segundo ano do campeonato.

Dispositivos aerodinâmicos móveis como a asa móvel, não serão aceitos. 

Regulamentos LMH

Regulamentos LMP1 híbridos

Regulamentos LMP1 não híbridos

Regulamentos GTE

Regulamentos LMP2

Informações oriundas dos sites fiawec.com, fia.com e assessoria de imprensa das respectivas categorias.

 

 

Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.