Mesmo com handicap, Toyota deve manter hegemonia, aponta Bruno Senna

Equipe terá apenas um carro em Fuji. (Foto: Divulgação)

A Toyota deve ser mais uma vez favorita a vitória na segunda etapa do Mundial de Endurance, disputada neste final de semana, no circuito de Fuji, no Japão. A prova não apenas será realizada neste domingo na casa da marca japonesa como as características do traçado podem aumentar o favoritismo de seus dois protótipos da divisão LMP1. A avaliação é de Bruno Senna, que voltará a ter a companhia do norte-americano Gustavo Menezes e do francês Norman Nato no Rebellion R13. “O último setor é terrível para nosso carro nessa disputa. É o mais lento, e o boost e o 4×4 da Toyota fazem toda a diferença. A saída da curva para o retão é outra dificuldade para nós”, explicou.

A largada está prevista para as 23 horas, com transmissão ao vivo pela Fox Sports e Bandsports.

O que talvez possa neutralizar parcialmente a desvantagem técnica é a atualização do regulamento, que vai impor nova penalidade – a success penalty – à Toyota pelo domínio exibido na abertura do calendário nas 4 Horas de Silverstone, além da presença de um único carro da Rebellion no Japão – o segundo só deverá voltar à pista no ano que vem. “Teremos atenção total e isso, naturalmente, melhora o foco da equipe. Haverá mais pessoal trabalhando com a gente do que na Inglaterra, onde o time se dividiu”, lembrou Senna.

Os treinos livres serão abertos às 23 h (Brasília) desta quinta-feira, com a primeira sessão de 90 minutos. Duas outras, com duração respectivamente de uma hora e meia e 60 minutos, antecederão às tomadas classificatórias marcadas para sábado à 1h40. A largada está prevista para as 23 horas, com transmissão ao vivo pela Fox Sports e Bandsports.

Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *