Luz no fim do túnel? Protótipos DPi e Hipercarros poderão correr juntos

IMSA e WEC podem voltar a competir durante a mesma prova, como Sebring em 2012. (Foto: IMSA)

A busca por “salvar” o Mundial de Endurance do ostracismo ganhou mais uma capítulo nesta quarta-feira, 31. O CEO do WEC, Gerard Neveu e o presidente da IMSA, Scott Atherton, esboçaram um desejo a muito almejado por fãs. Protótipos e Hipercarros competindo juntos. 

A próxima geração de protótipos da IMSA, batizada de DPi 2.0, estará nas pistas em 2022, na mesma época da primeira temporada dos polêmicos hipercarros do WEC. Os regulamentos dos novos carros da série americana ainda não estão finalizados, mas devem contar com componentes híbridos. Atherton já deixou claro que gostaria de ver as duas séries competindo no futuro, partilhando corridas como Daytona, Sebring, Le Mans e Spa.

“Neste momento, claramente, no comitê de direção, todas as equipes pediram aos departamentos técnicos da ACO e da IMSA que trabalhassem nisso, investiguem seriamente como podemos ter certeza de que teremos uma chance de correr juntos com os hipercarros”, disse Neveu ao Sportscar365. “Para isso, temos que compartilhar antecipadamente todas as informações sobre a evolução dos respectivos regulamentos técnicos”.

“Não dizemos que será fácil ou 100% certo porque eles têm que fazer uma demonstração de que isso é possível. Mas claramente de ambos os lados, a instrução é: Trabalhe e tente fazer acontecer”.

Com pouca adesão, o regulamento de hipercarros começa a valor em 2020. Até o momento apenas Toyota e Aston Martin confiram os novos modelos. Pelo lado da IMSA. a nova geração de DPi, continuará sendo baseada em protótipos LMP2, mas com um sistema híbrido de alta voltagem. 

Neveu se diz otimista para que as primeiras corridas unificando as duas séries ocorra em 2022. “Esse é o plano. Tem que funcionar quando DPi 2.0 chegar, com certeza”, disse ele. Se eles trabalham juntos, é melhor do que se eles trabalharem do lado deles e depois tentarem se juntar. Eles precisam trabalhar juntos e compartilhar todas as informações que possuem.[para atingir níveis de desempenho semelhantes”.

“Espero que Thierry Bouvet [diretor técnico da ACO] e Simon [Hodgson, VP de Competição da IMSA] e Vincent Beaumesnil [diretor esportivo da ACO] possam compartilhar muitas coisas juntos”.

 “Se você diz Le Mans, Sebring, Daytona… Esses são os nomes que soam muito fortemente. É claramente nossa responsabilidade tentar e gerenciar isso”.

O dirigente afirma que as duas entidades são as principais quando se fala em endurance, e uma unificação é mais do que necessária. “Acreditamos fortemente nessa parceria entre a ACO e a IMSA e essas duas grandes estruturas”, disse ele. “Acho que faz sentido encontrar um lugar onde possamos fazer muitas coisas juntos. Achamos que um relacionamento muito forte entre nós é crucial”.

“Os dois maiores palcos do mundo para carros esportivos são os EUA e Le Mans. Nós sabemos muito bem, e Sebring foi uma demonstração perfeita disso, quando temos essa capacidade como gerentes de montar um programa paralelo junto com interesses comuns, é um valor maior para todas as pessoas interessadas em carros esportivos”.

“Claramente, e posso falar em nome de Pierre Fillon, ele compartilha o mesmo ponto de vista. A relação com o IMSA para nós é algo muito importante”.

Um comitê foi criado entre Neveu, Atherton, o presidente da ACO, Pierre Fillon, o presidente da IMSA, Jim France, e o CEO da IMSA, Ed Bennett. “Este é um relacionamento histórico e este é provavelmente o futuro das corridas de carros esportivos. É nisso que eu acredito”,

“A IMSA administra muito bem o carro esportivo na América do Norte, sem dúvida. Este é um campeonato muito bom com uma organização muito boa”.

“Eu acho que o WEC está fazendo sua parte do trabalho em outras partes do mundo, e Le Mans é Le Mans. Temos que manter esse relacionamento muito próximo”.

Published
4 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *