Lotus pronta para o combate

00Dagys_-2014_308213_thumb-25255B3-25255D

Um dos destaques da rodada do WEC,é a estreia do Lotus CLM P1/01-AER, depois de vários cancelamentos desde o anúncio do carro ainda em 2013. O novo LMP1 irá competir na classe LMP1-L e será o concorrente direto do Rebellion R-One.

Entre os pilotos teremos o veterano Christophe Bouchut e James Rossiter com seus 20 anos de idade. Em entrevista ao site Sportcar365 o Bouchut foi realista quanto as ambições da equipe para Austin.

“Somos realistas”, disse Bouchut. “Sabemos que o carro tem um monte de possibilidades de ter problemas, mas ele foi confiável até agora. Corremos seis dias com o mesmo motor e não tevemos nenhum problema. Eu acredito que este carro é muito bem construído. Vamos ver aqui. É realmente as condições de calor em uma pista difícil. Nós todos queremos fazer tudo certo, mas temos de mostrar o carro e principalmente terminar a corrida.”

O Lotus passou por uma bateria de testes de seis dias em nos circuito de Monteblanco e Lausitzring entre Junho e Julho. O carro não deu grandes problemas e chegou a 292 km/h o que é considerado satisfatório para um carro praticamente zero. Tal velocidade foi obtidade e muito ao BoP da classe LMP1-L que deixou os carros mais rápidos.

“Ajudou muito, porque o motor, sem um sistema híbrido, esta fadado a ter pouca potencia se comparado aos modelos de fábrica”, disse ele. “Quando eu dirigi o carro falei: ‘Oh, o motor não é forte.” Mas [o FIA WEC] deu esse poder extra e o carro está completamente diferente. O motor AER é bastante forte. É muito fácil de conduzir e muito agradável. Não é como o Audi R10, o último LMP1 eu dirigi. Isso não tinha poder com o diesel em baixas rotações. Este carro, assim que você acelera, a velocidade chega muito rápido. Estou muito confiante e acredito que podemos lutar com muitos dos outros LMP1.”

Segundo Boris Bermes, chefe de operações da Lotus, todo o desenvolvimento do carro foi feito pela própria equipe, sem a ajuda da Adess AG que construiu o T128 . “Temos que ir passo a passo e desenvolver o carro  corrida a corrida”, disse Bermes. “Vamos ver o que vai acontece. É a primeira comparação do tempo com a Rebellion Racing]. Todas essas regras de equilíbrio e desempenho, não são muito claros no momento. Para conseguir um equilíbrio real, precisamos de mais algumas corridas e ajustes. Mas para isso, precisamos correr. ” Completou.

Published
4 anos ago
Comments
Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.