JDC-Miller busca parceria com Hyundai em programa DPi na IMSA

#99 pode mudar para a “classe” DPi em 2019. (Foto Jake Galstad / LAT Images)

A Hyundai estaria avaliando sua entrada na IMSA, em parceria com a equipe JDC-Miller. A informação foi divulgada no site Racer.com. Vencendo a última etapa da série em Watkins Glen, o Oreca 07 #99 com as cores da GAINSCO, reviveu os bons momentos em que a equipe viveu na Grand-Am, antes do acidente em Daytona no ano de 2014.

Em entrevista John Church avalia opções, para um programa DPi para 2019. O favorecimento das equipes DPi, frente aos protótipos LMP2, motivou a mudança de planos. Com várias montadoras já envolvidas em programas como ACura, Cadillac, Mazda e Nissan, uma das opções é a Hyundai, montadora Coreano com um estreito laço com Bob Stallings.

Buscando algo semelhante com o que foi feito por Ed Brown e Scott Sharp na ESM. a ideia é buscar o fornecimento de motores do construtor coreano, deixando a cargo da Oreca o desenvolvimento do layout do carro. “A vitória de domingo fortaleceu John Miller e eu para construir uma equipe campeã que pode competir rotineiramente com Roger Penske e Wayne Taylor e qualquer um que venha para a pista. Estamos muito focados no que vamos fazer no ano que vem e tentando ir para a DPi porque há algumas vantagens lá ”, disse Stallings à RACER.

“Conversamos com algumas fábricas sobre um programa de motores para o próximo ano e estamos em contato com nosso próprio fornecedor de chassis e outros sobre um programa de DPi. Meu palpite é que ficaremos com a Oreca, mas isso dependerá muito de quem acabamos escolhendo para um programa de motores no ano que vem ”.

Stallings competiu no Pirelli World Challenge, em parceria com a Hyundai na classe GTS com um Genesis Coupe. “Eu tenho um relacionamento com a fábrica e eu possuo algumas lojas, então eu tenho tido discussões sobre corridas nas grandes ligas”, continuou ele. “Eles têm ótimos motores com um biturbo de 3,3 litros, e isso tem um tremendo potencial, além de um V8 afinado que é capaz de muito mais potência, então é algo em que pensamos. Há conversas muito preliminares lá, e em termos de produção mundial, eles são o terceiro maior. Eles têm muitas pessoas que já fizeram muitas corridas e estão interessadas na série.”

“E não me importo de dizer que tenho uma aliança com a General Motors; trabalhamos com eles por muito tempo e ficamos impressionados com o Cadillac deles. E fomos contatados por outra fábrica que para uma joint venture onde eles desenvolvem o mecanismo e o desenvolvimento da caixa de engrenagens em parceria com o mesmo fornecedor de chassis que temos agora. É isso que estamos explorando.”

Mesmo vencendo com o LMP2, Stallings sabe como as coisas funcionam na IMSA. “Com os P2s, há alguns benefícios com potência de ponta como você viu em Watkins Glen, porque uma vez que você chega na velocidade final, você está bem, mas a vantagem que os DPs têm sobre nós é grande”, ele explicou. “Não temos o torque que eles têm. E no DPi, você pode fazer mais coisas com a suspensão como ajustes, algo que não é permitido fazer com o P2. As pessoas sabem que podemos ganhar e podemos ganhar campeonatos, John Church e John Miller estão na mesma página com a qual queremos levar as coisas”, finalizou.

Published
4 meses ago
Tags
, , ,
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *