IMSA define regulamentos para 2021

Classe LMP3 é a principal novidade. (Foto: IMSA)

A IMSA divulgou nesta terça-feira, 18, os regulamentos para a temporada 2021 do WeatherTech SportsCar Championship, confirmando a estrada da classe LMP3, revisando a estrutura de pontos, o formato de qualificação e diversos detalhes. 

Se comparado ao atual livro de regras, pouca coisa mudou. O principal destaque é a entrada da classe LMP3 na série, que competirá ao longo de sete fins de semana, incluindo as 24 horas de Daytona não contando pontos para o ponto da temporada, mas atuando como a primeira rodada da Copa Michelin Endurance.

Regras para 2021

Será exigido um piloto Bronze ou Prata com menos de 30 anos em cada protótipo LMP3 ao lado de um piloto Bronze, Prata ou Ouro para a temporada.Um piloto ouro é permitido nas corridas da Endurance Cup em LMP3. Pilotos com classificação platina não podem competir na classe.

A classe LMP2 poderá ter pilotos planina, que poderão competir em todas as corridas, e não apenas em Daytona, como aconteceu este ano.Serão  dados pontos extras para a pole e o formato de qualificação de duas fases para a classe GT Daytona terá dois pilotos na pista.

Os pilotos com classificação Prata ou Bronze participarão do primeiro segmento de qualificação, enquanto os pilotos profissionais inscritos na classe GTD competirão no segundo segmento para marcar pontos de qualificação.

As equipes LMP2 e LMP3 terão um número irrestrito de dias de teste, assim como os pilotos com classificação Bronze da classe GTD também não terão limitação.

As equipes LMP2, LMP3 e GTD têm permissão para testar os pilotos Bronze ou LMP3 Prata com idade inferior a 30 anos em duas pistas por temporada, incluindo o domingo anterior a realização da prova.

O BoP também foi revisto. A janela de desempenho fica em em 0,30% para os DPi e GTLM e 0,50% para a classe GTD.

Anteriormente, a janela de desempenho era listada acima ou abaixo de 0,15 % para DPi / GTLM e 0,25 % para GTD.

Como tem acontecido em campeonatos do ACO, os carros LMP2 e LMP3 não estão sujeitos ao BoP.

Outras mudanças:

  • A troca de pilotos em um ambiente fechado não sendo considerada serviço de emergência e resultará em uma parada mais uma penalidade de 60 segundos.
  • O não envio de um piloto para uma corrida da IMSA resultará na determinação do piloto que começará a corrida em ordem alfabética pelo sobrenome.
  • Os carros GTD devem começar com os quatro pneus de qualificação do Q1 ou sua posição na grade atribuída e os pontos de qualificação serão perdidos e ele largará no final do grid. 
  • Os pontos de qualificação também serão perdidos para as DPi, LMP2 e LMP3 para mudanças de pneus pré-corrida, com as equipes GTLM autorizadas a trocar pneus e compostos após a qualificação.
  • Os pilotos com classificação Bronze da classe LMP2 e Bronze ou prata com menos de 30 anos devem completar as sessões de qualificação de segmento único, sem restrições para DPi ou GTLM. 
  • Uma penalidade de parada  de cinco minutos será dada para qualquer equipe que não aderir às regras do piloto de partida.
  • Caso o primeiro segmento classificatório em GTD não seja concluído, o carro ficará proibido de participar do segundo segmento. 
  • As equipes não estão autorizadas a realizar “teste de validação de reparo de veículo” em instalações da IMSA que não sejam sessões na pista.
  • A marca ou referência a um carro ou fabricante que não seja um parceiro automotivo oficial da IMSA é proibida de competir nas classes LMP2 e LMP3.
  • Se nenhum piloto competir em todos os quatro eventos da Michelin Endurance Cup, a entrada garantida para as 24 Horas de Le Mans será decidida pela da IMSA.
  • É proibido descartar qualquer objeto que não seja a quebra do visor do capacete do carro na pista ou no pit lane sob condições de bandeira verde, exceto quando parado no box. 

Published
2 semanas ago
Tags
,
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.