Gerard Neveu: “Impossível imaginar a LMP1 sem tecnologia híbrida”

(Foto: FIAWEC)

(Foto: FIAWEC)

As chances da redução dos sistemas híbridos nas novas regras do Mundial de Endurance são pequenas. A afirmação partiu do CEO do WEC, Gerard Neveu que espera divulgar as novas diretrizes da classe LMP1 que entram em vigor a partir de 2020.

“É impossível imaginar que vamos cancelar a tecnologia híbrida na classe LMP1 neste momento porque está no DNA da resistência e a razão pela qual este campeonato é tão atraente e emocionante para as pessoas “, disse Neveu. “Esta é também a história de Le Mans, desde o início. Le Mans é o início da história do campeonato. “

A principal meta é a redução dos custos, visando atrair novas montadoras e equipes. “Não podemos continuar com a idéia de que este campeonato pode custar mais de US$ 100 milhões por ano, porque você tem que desenvolver e fazer muita pesquisa e desenvolvimento”, disse Neveu.

“Você tem que levar em consideração a situação econômica global, o fato de que você tem que estar pronto para atrair outros fabricantes e se for muito caro ou difícil,  há um número muito limitado de fabricantes, vamos ficar em uma posição muito frágil, o que é o caso hoje”.

“Temos de encontrar algo muito razoável. Isso não significa que não seja interessante. Meios razoáveis e ​​acessíveis. “

Um dos pontos é a igualdade entre os sistemas de recuperação de energia. Hoje um LMP com 8MJ tem uma grande vantagem para quem utiliza apenas 2MJ. Tal artifício poderia trazer a Peugeot de volta ao certame. O fabricante Inglês já deu declarações de que voltaria ao Endurance, caso os custos fossem menos proibitivos.

“A questão não é o número de sistemas híbridos”, disse Pierre Fillon, presidente da ACO. “É como você pode gastar para ter o mesmo desempenho e a mesma chance.”

“A idéia para as novas regras é que, ‘OK você pode gastar X milhões se você quiser … mas você não vai tirar vantagem.”

“Mas dois sistemas híbridos não deve ter o dobro do preço de um sistema híbrido. Isso é importante.”

Neveu acrescentou: “A questão é: ‘Quanto você tem que gastar para ser competitivo e continuar a melhorar a nova tecnologia?'”

Redução de testes estão em discussões. “No final, estamos aqui para tentar ajudar os diferentes concorrentes, em qualquer nível, LMP1, LMP2, GTE, para encontrar a melhor média para ter uma longa história com o WEC”, disse Neveu. “Neste momento, a principal preocupação é o orçamentos.

“O mercado mundial está mais estável, mas eles têm que ter cuidado com os orçamentos e temos que ouvir e entender isso. Então, temos que nos adaptar e encontrar todos os diferentes processos para ajudar os fabricantes”.

*Informações obtidas no site sportscar365.com 

Published
7 meses ago
Comments
Comentários
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.