Entrevista com Jean-Philippe Belloc da equipe Larbre Competition.

AUTO:WORLD ENDURANCE CHAMPIONSHIP - BAHRAIN (BHA) - 27-29/09/2012

Campeão este ano no WEC pela classe GTE-AM Jean-Philippe Belloc é só alegria. Em entrevista ao site endurance info ele revela um pouco como foi a temporada de 2012 para a equipe e os planos para o ano que vem.

P. Jean, sua primeira temporada no WEC foi positiva. Qual sua avaliação neste ano no esporte?

R. uma introdução, eu diria que esta temporada, como a cada temporada, não tem sido bom, muito bom e, claro, a pior. Algumas das minhas melhores lembranças, eu olho imediatamente nas 12 Horas de Sebring. Para os meus colegas e eu mesmo, este evento inaugural do WEC era sinônimo de descoberta tudo era novo para nós. Para não mencionar que foi a primeira corrida de Christophe Bourret e Pascal Gibon . E, finalmente, esta primeira experiência provou ser um sucesso. Depois de nosso segundo lugar em Le Mans em 2011, começamos a temporada em segundo no pódio. Foi fantástica! Eu não esqueço as 6 Horas de São Paulo (BR), onde chegamos em 3 ª  (nota: após a desclassificação do vencedor, Jean-Philippe e seus companheiros de equipe acabaram em segundo nas 6 Horas de São Paulo ) conseguindo escapar de todas as armadilhas de uma corrida particularmente difícil. No pódio em Interlagos, este lendário circuito que viu as façanhas dos maiores campeões foi um momento inesquecível. Finalmente, entre os outros destaques desta temporada, eu iria realizar uma boa corrida no Bahrein, e minha pole position em Monte Fuji. Estes são os únicos registros de pole positions pela Larbre este ano e estou muito orgulhoso de ter sido capaz de oferecer a minha equipe e os meus companheiros de equipe. Por fim, a corrida de Xangai foi, naturalmente, um sabor especial para todos nós. É lá que ganhamos o título de Campeão Mundial pela equipe e também ficará gravado na minha memória! Aproveito esta oportunidade para prestar homenagem a nossa equipe de mecânicos e engenheiros que se destacaram ao longo do ano motivação, eficiência e profissionalismo, mas também Jack Leconte, que graças a seu conhecimento foi um pilar do nosso sucesso”

P. Você nos disse que tinha havido o “bom” e o “menos bom”. Quais foram os piores momentos neste ano?

R. “Eu que manteria ambos. O primeiro é o caso do motor do nosso Corvette nas 6 Horas de Spa, uma ocorrência rara neste carro, que impediu que meus companheiros de equipe pudessem conduzir a corrida. Há também Le Mans. Com efeito, o carro nunca equilibrado nem eficiente, e ao longo da semana. É uma combinação de vários fatores técnicos, infelizmente, sofremos durante toda a corrida. Sofremos muito. Este é um pesar enorme, especialmente como as 24 Horas de Le Mans é o topo de uma temporada, uma corrida que é esperado durante todo o ano”

P. Além de Le Mans a equipe resolveu participar da primeira edição do WEC. Qual sua opinião sobre esta temporada inaugural?

R. “A primeira temporada do Mundial de Endurance foi um evento verdadeiramente internacional, Os circuitos muito bons e os fãs sempre presentes. A corrida, particularmente com um nível elevado, o que não impediu que o clima entre os pilotos permanecem amigável e respeitosa. Para o primeiro ano, eu realmente acho que isso é um sucesso. Resta agora a desenvolver os meios de comunicação e promoção do Campeonato para fazer uma referência de automobilismo mundial.

P. Existe algum momento mais pessoal que você lembra nesta temporada?

R. “No geral, eu diria que estou satisfeito com o meu desempenho. Eu não havia participado de uma temporada completa em um campeonato internacional nos últimos anos, e apesar disso, não demorou muito para encontrar o rumo. Meu treinamento desportivo revelou-se particularmente eficaz e rapidamente liquidado. Minhas performances foram crescendo ao longo do ano e eu ainda consegui um pole position e volta mais rápida. Sempre estado na vanguarda dos pilotos da classe GTE-AM e eu até conseguiu andar na frente de alguns da GTE-Pro. Graças a Christophe e Pascal, mas também a Larbre eu poderia correr em excelentes condições todo o ano e se concentrar 100% no desempenho e resultados. Em conclusão, os pontos de vista de todos estes parâmetros, foram realmente positivos e a temporada foi gratificante.”

P. Você mencionou várias vezes seus companheiros de equipe. Este foi o segredo para o sucesso da equipe?

R. “A história do trio Bourret / Gibon / Belloc, é principalmente a história de uma aventura humana. Eu conheci Christophe e Pascal há dois anos e, desde então, tornaram-se verdadeiros amigos. Depois de competir com eles, nas 24 Horas de Spa de 2010, as 24 Horas de Le Mans e algumas corridas no vdev, nós começamos juntos na aventura do WEC este ano. E nós vivemos momentos muito intensos, às vezes difíceis, certamente, mas, apesar dos obstáculos, sempre compartilhamos tudo. Permanecemos unidos na adversidade, nosso relacionamento assumiu uma nova dimensão. Em termos de desempenho, Christophe e Pascal sempre foi alta. Eles conseguiram evitar as muitas armadilhas e têm continuado a crescer ao longo do ano. Em um nível mais pessoal com eles, descobri Brasil, Japão, entre outros, uma experiência inesquecível para mim.”

Published
5 anos ago
Comments
Comentários
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.