Toyota e Porsche vencem na abertura do Mundial de Endurance em Silverstone

Toyota marca mais uma dobradinha na categoria. (Foto: Toyota)

A Toyota, como era de se esperar, não encontrou dificuldades para vencer a etapa de Silverstone WEC na manhã deste domingo, 1, na Inglaterra. Jose Maria Lopez, Mike Conway e Kamui Kobayashi conquistaram o primeiro lugar com o TS050 #7. Na segunda posição o #8 de Kazuki Nakajima, Sebastien Buemi e Brendon Hartley. 

Lopez, soube segurar um destemido Kazuki Nakajima, para cruzar a linha de chegada com uma diferença de 1,901 segundo. O time japonês não encontrou dificuldades em vencer a prova, mesmo com quase 100 kg de peso a mais em relação aos carros da equipe Rebellion e Ginetta. 

A Rebellion chegou a assumir a primeira posição da prova em períodos de bandeira amarela e carro de segurança, mas nunca representaram um rival que a Toyota tivesse que se preocupar. 

Na terceira posição chegaram Pipo Derani, Loic Duval e Nathanael Berthon, com o Rebellion #3, chegou a ser punido por cometer uma infração técnica. O #1 da equipe acabou na quinta colocação depois de enfrentar vários problemas técnicos durante as 4 horas de prova. A quatro voltas dos vencedores, em quarto lugar, estava #5 da equipe LNT Ginetta G60-LT-P1 AER de Ben Hanley, Egor Orudzhev e Charlie Robertson.

Ginetta precisa aprimorar seu LMP, enquanto a Rebellion fez o que podia. (Fotos: Divulgação)

Bruno cumpriu os dois primeiros turnos com o Rebellion R13-Gibson. Partiu em terceiro, mas logo percebeu que não teria ritmo para se aproximar dos carros japoneses. “O problema maior foi com a temperatura dos pneus. Eu não conseguia acompanhar ninguém porque os dianteiros não aqueciam o suficiente. Foi um problema que já havíamos sofrido no ano passado. A Michelin melhorou os pneus, mas não o suficiente para nós, já que nosso carro não é 4×4. São os mesmos da Toyota, mas mais voltados para eles. Na chuva, então, é muito mais difícil fazer esses pneus trabalharem, e a diferença fica maior ainda. Até os LMP2 eram mais rápidos no molhado, até mesmo mais que as Toyota, o que dá uma boa ideia de como são esses pneus”, explicou.

 Mesmo assim, o brasileiro fez questão de lembrar que, se o resultado passou longe do aguardado, o primeiro combate do ano trouxe ganhos que serão úteis ao longo do calendário. “Aprendemos mais um pouco sobre o carro e também sobre algumas coisinhas que estamos fazendo de errado. O qualifying foi a melhor parte do final de semana para a gente, já que andamos até mais perto das Toyota do que esperávamos”, avaliou.

Hisatake Murata, diretor da equipe Toyota, comemora o início positivo no Mundial. “Esta foi uma maneira perfeita de começar a nova temporada; uma dobradinha em uma corrida memorável para os fãs. Agradeço a todos na equipe para um grande trabalho hoje, particularmente os mecânicos durante a troca de pneus e reabastecimento que realizaram as trocas de forma rápida. Vimos que a competição é muito mais difícil nesta temporada e nossos rivais estarão ainda mais perto em Fuji quando experimentamos o handcap de sucesso.. Então eu espero que os fãs continuem a desfrutar de uma batalha emocionante entre as equipes de LMP1 durante toda a temporada”, disse.

A Ginetta #6 sofreu danos em um incidente na curva Maggotts entre Oliver Jarvis e a Ferrari nº 71 GTE-Pro classe, e também recebeu uma penalidade de drive-through por não seguir as instruções dos comissários de bordo. Isso causou a segunda de duas intervenções com carros de segurança, com a primeira ocorrendo logo no início da corrida, quando o United Autosports LMP2 Oreca parou na segunda volta da prova. 

Cool Racing vence na estreia 

COOL Racing vence na estreia entre os LMP2. (Foto: Divulgação)

Na classe LMP2 a equipe Cool Racing venceu na sua primeira participação no Mundial de Endurance. Nicolas Lapierre e Antonin Borga. A liderança veio na terceira hora da prova, quando Lapierre ultrapassou  Job van Uitert que liderava com o Oreca da equipe Nederland. Borga manteve a vantagem construída por Lapierre cruzando a linha de chegada em primeiro. O segundo lugar foi para a equipe Signatech Alpine Elf, depois que Thomas Laurent ultrapassou van Eerd na última volta.

O Oreca da Jackie Chan DC Racing, terminou em quarto lugar como a melhor das equipes equipadas com pneus Goodyear.

Porsche vence na GTE-Pro

Nova versão do 911 RSR começou vencendo. (Foto: Porsche AG)

Gianmaria Bruni e Richard Lietz  venceram com a nova versão do Porsche 911 RSR na classe GTE-Pro. A equipe conquistou o segundo lugar com Michael Kristensen e Kevin Estre no #92. A dobradinha se desenhou depois de um período de chuva. A direção da equipe chamou os carros para troca de pneus quando a pista começou a ficar molhada.

 AF Corse manteve sa Ferrari 488 GTE Evo com pneus para pista seca, enquanto a Aston Martin efetivamente fez um pit stop extra, fazendo com que ambos os fabricantes perdessem para a Porsche. Isso manteve o carro #92 dos atuais campeões Kevin Estre e Michael Christensen na frente até Alessandro Pier Guidi assumir a liderança com a Ferrari #51. 

A felicidade de Pier Guidi que dividiu a Ferrari com James Calado durou até ele receber uma punição, por ultrapassar durante o período do carro de segurança.  Isso levou a liderança de volta às mãos da Porsche, com Bruni e Christensen correndo de ponta a ponta na passagem final, enquanto Maxime Martin herdou o terceiro lugar no melhor dos GTEs do Aston Martin Vantage. O Aston Martin #97 terminou em terceiro. 

Ferrari da AF Corse vence na classe GTE-Am. (Foto: Divulgação)

Pier Guidi se recuperou para terminar em quarto na única Ferrari  que terminou a prova. Nicki Thiim levou o Aston Martin nº 95 de volta em quinto. A Ferrari #71 de Davide Rigon e Miguel Molina acabou abandonando depois de se envolver em um acidente com o Ginetta pilotado por Oliver Jarvis. 

Na classe GTE-Am a vitória ficou com Nicklas Nielsen, François Perrodo e Emmanuel Collard, na Ferrari #83 da AF Corse. A prova na classe foi marcada por um disputa intensa entre os competidores. Em segundo lugar e a 22 segundos, chegou o Aston Martin #83 de  Paul Dalla Lana, Darren Turner e Ross Gunn.

A Dempsey-Proton Racing liderou no início da última hora, até Matt Campbell realizar uma parada nos boxes tardia.  O Porsche voltou para a prova mas na quinta posição, atrás de Ben Barker, da Gulf Racing, que também fez uma parada e terminou em quarto.

A próxima etapa do Mundial de Endurance acontece no Japão, no dia 4 de outubro, em Fuji.

Resultado final 4 Horas de Silvestone WEC

 

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *