Divergências entre ACO e IMSA descontentam Pierre Fillon

Diferença de culturas pode dar fim a parceria entre IMSA e ACO? (Foto: FIAWEC)

Diferença de culturas pode dar fim a parceria entre IMSA e ACO? (Foto: FIAWEC)

O impasse entre ACO e IMSA pela nova regulamentação da classe LMP2 que entra em vigor em 2017 está longe de acabar. A polêmica ganhou mais um capítulo quando Mark Raffauf declarou que as necessidades da IMSA são totalmente opostas as da entidade francesa.

Em defesa dos reais interesses da entidade o presidente da ACO, Pierre Fillon mostrou todo o seu descontentamento após as duras declarações. “Neste momento, estamos ainda em discussão”, disse Fillon. “Com certeza, há alguns pontos a discutir. Discordamos um ponto importante e nós estamos discutindo sobre este ponto.”

“Com certeza, estamos longe do que era no início o projeto. O plano é ter um protótipo comum  capaz de competir na América, na Ásia e em todos os lugares.”

“Foi nosso objetivo no início. Entendemos a filosofia da IMSA que um pouco diferente agora, porque eles precisam ter alguns fabricantes no seu campeonato.”

“Nós respeitamos a IMSA, que deve tomar uma decisão agora sobre este ponto. Vamos ver se DPi virá a Le Mans ou não.”

Originalmente modelos DPi equipados com a carenagem original e não com bolhas de modelos americanos poderiam competir no WEC, Le Mans e nas series regionais (ELMS e Asian LMS). Porém com as mudanças impostas pela IMSA que defende equipes oficiais em seu campeonato, algo que a ACO abomina, pois acredita que equipe de fábrica é coisa da classe LMP1, já fala em não aceitar a versão americana do LMP2 em Le Mans.

“Hoje o P2 funciona muito bem”, disse ele. “Nosso primeiro objetivo é não quebrar isso. Se houver um risco de quebrar este equilíbrio, não vamos fazer isso. Queremos manter a filosofia dos P2, com certeza no WEC, e em Le Mans.”

“O importante é fazer um bom BdP. Porque não é o mesmo motor. Com certeza, um protótipo vindo para Le Mans teria que ter a mesma carroçaria padrão, mas não o mesmo motor.”

Uma das soluções apontadas por Fillon é alocar o modelos americanos na classe LMP1 como modelos sem sistema híbrido e engordar as sub classe que atualmente é habitada por Rebellion Racing e ByKolles.

“A questão é, qual melhor lugar para DPi? É para P2 … ou? Temos de encontrar uma solução.”

 

 

Published
2 anos ago
Tags
,
Comments
Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.