Diretor da MTEK afirma que seria uma “vergonha” BMW sair do WEC

BMW no WEC

(Foto: BMW)

Após o fim do programa da Ford no Mundial de Endurance, boatos de que a BMW estaria encerrado também o seu programa na classe GTE. A informação não foi confirmada mas de acordo com Ernest Knoors, diretor da equipe MTEK, parceria da BMW no Mundial de Endurance, os boatos não teriam fundamento, dizendo que seria “uma vergonha”, a desistência.

Além do WEC, a BMW participa com dois M8 GTE na IMSA, nos Estados Unidos. Para o dirigente, a equipe irá acatar a decisão do fabricante.  “Temos que ver”, disse Knoors ao site Motorsport.com quando perguntado sobre o futuro da MTEK no WEC. “A decisão precisa ser tomada pela BM].” Se dependesse de nós, continuaríamos correndo”.

“Temos um bom pacote para continuar competindo, mas todos esses grandes fabricantes, como a BMW, estão sempre avaliando seus programas. Tudo o que é decidido com o qual temos que conviver. Para nós seria obviamente uma pena parar depois de um ano, mas não está em nossas mãos.”

O M8 GTE ainda tem potencial afirma Knoors. “Eu acho que sim. Se você olhar para onde estávamos no início da temporada de 2018/19 e onde estamos agora, acho que podemos ser competitivos”.

“Não é fácil vencer, mas pelo menos você poderá lutar desde o início da temporada, com um carro que entendemos melhor, pode resistir melhor às corridas mais difíceis.”

O melhor resultado da equipe no WEC foi um pódio em 2018, graças ao BoP. O time alemão não venceu ainda na competição. A melhor performance foi em março, durante as 1000 Milhas de Sebring, quando o #81 de Martin Tomczyk e Nicky Catsburg, estavam perto do primeiro lugar, mas por conta de um erro durante o último pit-stop, perderam o primeiro lugar.

Augusto Farfus

Brasileiro está confirmado para as 24 Horas de Le Mans deste ano. (Foto: BMW)

Augusto Farfus, que compartilha o BMW #82 com Antonio Felix da Costa, disse que a BMW está agora “milhas à frente” desde que o fabricante iniciou na competição. “O ano passado foi a primeira corrida de 24 horas para a equipe. Agora estamos muito melhor preparados e chegamos a Le Mans sabendo o que fazer, sabendo como o equilíbrio do carro estará na corrida”.

“Isso nos colocará em uma posição muito melhor e esperançosamente nos permitirá ir para o grande troféu. Estamos definitivamente milhas à frente do ano passado em termos de entendimento do carro.”

“Depois de toda a temporada, toda a quilometragem, toda a experiência, é hora de obter resultados e seria uma pena partir. Mas isso não depende de mim. Eu realmente espero continuar.”

O brasileiro concluiu: “Não faria sentido continuar se não achamos que podemos vencer o campeonato. Se nos comprometermos com outra temporada, temos que lutar pela vitória”.

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *