Dallara interessada na classe P2 e DP da USCR

1993-ferrari-333-sp-10_460x0w_thumb-25255B1-25255D

A Dallara tradicional fabricantes de carros de competição, sejam monopostos, fórmulas e protótipos está de olho no USCR em 2014. Depois de ter reestruturado sua fábrica nos EUA. Atualmente os Corvette DP são construídos pelo fabricante.

Outro modelo de muito sucesso no endurance e principalmente nos EUA foi sem dúvida a Ferrari 333SP. Pensando neste novo campeonato o CEO Stefano DiPonti aguarda a definição das regras da USCR para posicionar a empresa.

Absolutamente, nós queremos fazer isso”, disse DePonti a revista RACER . “Agora, com as novas regras estão sendo divulgadas vai ser alto positivo para o mundo de carro de esporte. Com essa unificação, não temos que dividir recursos entre a Europa e a América. Os melhores carros estarão juntos em Sebring e Daytona. Isso vai trazer um enorme interesse por parte dos fabricantes, porque eles têm a possibilidade de correr aqui. E nós temos uma equipe vencedora com Wayne Taylor Racing, que está usando o chassis Dallara, que agora é chamado o Corvette DP. Gostaríamos de fazer negócios ou para si mesmo para distinguir a marca, ou cooperar com uma grande marca para fazer um carro para eles com uma nova carroceria. Nós já fizemos isso no passado em carros esportivos com a Chrysler, com a Ferrari. Temos o Daytona Prototype [fabricação] licenciado, e isso é algo que queremos continuar com ele. “

Por outro lado a falta de opções de chassis para a classe LMP2 também tem interessado a Dallara, já que além do USCR temos Le Mans, WEC, ELMS e Asian LMS.

“Como um fabricante de carros esportivos, fazendo um Dallara P2  100% é um grande investimento”, acrescentou DePonti. “Quando o Sr. Dallara decidiu fazer o Daytona Prototype, era uma categoria muito competitiva e assim o fizemos, mas o lucro foi baixo. Os custos de desenvolvimento eram muito caros. Ficamos felizes em fazê-lo, contra os outros grandes fabricantes. Mas se nós vamos gastar  dinheiro para fazer um novo carro P2, isso teremos que ter um parceiro para – um fabricante a ser envolvido, ou ter compromissos de clientes no início. Nós não iríamos construir um carro novo e esperar para ver se todos os clientes querem comprá-lo. “ Frisa.

Nos EUA apenas a HPD tem equipes de clientes, enquanto na Europa OAK, Oreca, Zytek e Lotus tem investido em modelos na classe LMP2. Para os fabricantes o custo de vende de um modelo é de 480 mil dólares, preço taxado desde 2011 o que leve os fabricantes a não desenvolver muito seus modelos e aplicando apenas novas carenagens para “diferenciar” o ano do carro.

“Não, não temos algo pronto, mas como uma empresa de engenharia, temos muitos relacionamentos com fabricantes e proprietários da equipe e continuamos a conversar com eles para ver o que interesse para eles e para nós”, disse ele. “O investimento inicial é substancial. A partir do zero, para um fabricante, nós estamos projetando e construindo um carro zero, e fazer isso sem pré-encomendas, seria difícil. Não é como carro de Indy, onde é um carro com especificações definidas e você tem um monte de pedidos de venda. “Com carros esportivos, você está sempre fazendo o desenvolvimento, mas com P2, os custos são muito restritos. Você deve ser muito inteligente com a aerodinâmica e componentes mecânicos com o projeto original, e em seguida, fazer desenvolvimentos lógicos depois. Isso é algo que Dallara tem muita experiência em todas as categorias. É por isso que nós procuramos uma chance de fazer algo novo e quero falar mais para fazer algo acontecer. Com a nova [USCR], é o momento certo para buscar isso. “ Finaliza.

Fonte: Revista Racer.com

Published
5 anos ago
Categories
2014United SportsCar Racing
Comments
Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.