Crescente Vermelho



Nunca fui muito fã das corridas em Mônaco. Não se discute a importância da corrida para a F1, mas a muitos, e digo muito anos, a mesma perdeu a graça. Até os anos 70 a pista era maior sem tantas Chicanes e com mais pontos de ultrapassagem. Facilmente percecptível em http://www.etracksonline.co.uk/

Porém, para nós brasileiros Mônaco tem ótimas lembranças, como as inesquecíveis vitórias de Senna. Acreditei muito que nossos representantes conquistariam bons resultados na corrida deste domingo. Rubens fez o que podia nos treinos, mas como sempre aquela nuvenzinha negra ficou em cima dele na hora mais importante. Na corrida andou bem, conquistou uma posição nos boxes em cima de Kimi e acabou em segundo lugar. Talvez de tivesse largado na pole teria ganho a disputa mas isso é algo que vai ficar apenas no campo do “se“.

Felipe Massa foi o grande nome da prova junto com Button. Mostrou raça em recuperar posições e foi ousado demais algumas vezes. As tentavias de ultrapassatgem sobre Vettel foram expetaculares a ponto de levar um pito da direção de prova por ficar contando chicanes. São atitudes como a de Felipe que fazem ser o proferido dos Italianos, pena que a Ferrari pecou tantas vezes em estratégias, pois o mesmo já poderia ter sido campeão.

Como sabem sou o primeiro a criticar a pilotagem do nosso Nelsinho, porém desta vez tive que dar razão às declarações que ele deu para a repórter da TV Globo depois da corrida. A manobra de Buemi foi de uma inexperiência ímpar. Nem eu, em meus simuladores como o GP4 e GTR2, consegui fazer tamanha asneira. O pedido de desculpas do francês depois da corrida não deve ter acalmado os animos do piloto brasileiro. Mesmo antes da batida Nelsinho estava fazendo uma corrida modesta e rezando para não bater ou baterem nele, pena que as orações não surtiran tanto efeito.

Talvez o assunto que povoa as rodinhas de conversa da F1 nos últimos dias seja a notícia de que a Ferrari não dispute a próxima temporada, caso os devaneios da FIA de extipular valores realmente entre em vigor. Querem transformar a F1 em uma categoria de GT? LeMans Series? Não sei, mas a Ferrari, caso saia e por mais que possa parecer estranho pode realmente sair, vai deixar a F1 sem graça. E não estou falando dela ter participado de todos os campeonatos, dos documentos que ela tem com a FIA. Mas F1 sem Ferrari não é F1. Qual será a graça de, por exemplo, ver um Grande Prêmio de Monza? Quem irá invadir a pista caso uma RBR ganhe? Alguns gatos pingados. Mesmo nos anos antes dos títulos de Schumacher e quando a mesma não era tão competitiva, o simples fato de ver seus carros alinhados já era algo bonito de se ver. Não estou desmerecendo as outras equipes, nem seus feitos e histórias, mas não imagino a F1 tendo a audiência que tem sem ter os carrinhos vermelhos disputando corridas.

E “se” a Ferrari realmente sair? Qual categoria iria competir? Não vejo outra solução seja pelo nível tecnológico, seja pelo seu passado do que a LeMans Series. A Ferrari não disputa uma etapa das 24H de LeMans com carros oficiais desde os anos 70. E com o crescente sucesso da edição americana junto com as provas de endurance da edição européia, não vejo melhor desafio para os Italianos. Desenvolver um protótipo para disputar com Audi, Peugeot e Porshe seria algo expetacular.

A próxima etapa é o GP da Turquia, prova aonde Felipe ganhou as últimas 3 edições, e acredito que com o avanço da equipe italiana com pacotes e mais pacotes aerodinâmicos tem tudo para ganhar pela quarta vez, isso seu os carrinhos brancos não voltarem a dominar, daí minha torcida será por outro brasileiro :P. Até a próxima.
Published
9 anos ago
Categories
Sem categoria
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *