Com novo motor, Satti Racing vai para a final do Campeonato Brasileiro de Endurance

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Fazer um “laboratório” das modificações do MCR #71 Turbo, e uma prova divertida para os piltos do MCR #96. Estes são os objetivos da equipe Satti Racing para a última etapa dos Campeonatos Gaúcho e Brasileiro de Endurance neste fim de semana, no Autódromo Internacional de Viamão.
Com motor motor VW 2.0 AP 8v Turbo do MCR #71 totalmente novo e bem mais forte, preparado pela Amboni Racing, e também com novo gerenciamento eletrônico, da marca Motec, os pilotos Ian Ely e Daniel Claudino pretendem acelerar o mais forte possível para testar o limite da nova motorização. Precisarão, porém, tomar cuidado com o câmbio sequencial, que já demonstrou fragilidade em outras ocasiões, e fica a espera pelo novo câmbio que está por vir para extrair toda a performance do motor sem risco de quebra da transmissão.
Ian Ely revela que a idéia é andar forte para quebrar o recorde do carro na pista de Tarumã (atualmente 1min01s619, média de 178,1 km/h), o que também servirá como teste de resistência: “Estamos bastante ansiosos, temos várias novidades, novo motor muito mais forte e gerenciamento eletrônico Motec, mas não sabemos o quão mais forte o carro estará, e a durabilidade deste projeto. Pretendemos melhorar nossa melhor volta em Tarumã, mas precisaremos ter cuidado pois continuamos com o câmbio antigo, que já mostrou-se vulnerável a grandes potências. Estou particularmente ansioso para esta prova, devido à abstinência de dois meses, e esperamos que tudo dê certo.“, disse.
Já para o MCR #96 VW AP 8v aspirado, a ideia da equipe é que os pilotos que estarão no cockpit nesta etapa, o riograndino Pedro Ávila e o argentino Alejandro Cignetti, divirtam-se o máximo possível pilotando durante as três horas de duração da prova, tendo em vista que a equipe não está disputando o campeonato todo, e que há uma certa defasagem de equipamento em relação a novos protótipos que chegaram na categoria P3.
O chefe de equipe, Eduardo “Sattinho”, fala sobre a expectativa da equipe para a etapa: “Em relação ao MCR #96, a expectativa é de terminar o campeonato “numa boa”, e que os pilotos consigam se divertir nas provas, pois não estamos disputando o campeonato inteiro, mas quem sabe não conquistamos um pódio? No #71 estamos fazendo teste com motor novo, mas o novo câmbio não veio, então não poderemos explorar todo o potencial do propulsor, mas a expectativa é terminar a prova com zero problema, o que será uma grande vitória, levando em conta que temos uma nova configuração. Também servirá como um treino para as 12 Horas e para a temporada 2018“, disse.

 

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *