Christian Fittipaldi e Felipe Nasr brigam pelo título da IMSA em Petit Le Mans

Christian Fittipaldi pode vencer Norte-americano de Endurance pela 5a vez (José Mário Dias)

O brasileiro Christian Fittipaldi volta ao cockpit do #5 Mustang Sampling Cadillac DPi-V.R, da Action Express Racing, neste sábado (dia 13) na disputa da décima e última etapa da temporada 2018 do IMSA WeatherTech SportsCar Championship. As 10 Horas de Petit Le Mans, em Road Atlanta (EUA), também marcam a quarta etapa do Campeonato Norte-americano de Endurance, que envolve as quatro provas longas (além desta: 24 Horas de Daytona, 12 Horas de Sebring e 6 Horas de Watkins Glen).

Fittipaldi vai dividir a pilotagem com o português Filipe Albuquerque e o francês Tristian Vautier, que substituirá o titular João Barbosa. O piloto sofreu um machucado na costela, após o acidente na etapa de Laguna Seca, no mês passado, e foi aconselhado pelos médicos a não disputar a prova deste sábado. Barbosa abandonou a corrida logo após a largada, ao levar uma forte batida. Rápido e habilidoso, Vautier chega ao time depois de boas performances, que inclui a pole este ano nas 12 Horas de Sebring.

Os treinos livres no circuito de 2,54 milhas (aproximadamente 4,1 km) terão início nesta quinta-feira (11), com o classificatório na sexta (12), entre 17h45 e 18 horas de Brasília. No sábado, a prova terá sua largada às 12h05, com chegada às 22h05 (de Brasília). O Fox Sports transmitirá boa parte da disputa, a partir das 16h30.

Em 2015, Fittipaldi e Barbosa venceram a etapa de Petit Le Mans e asseguraram o bicampeonato do IMSA. Este ano, os dois e Albuquerque abriram a temporada com vitória nas 24 Horas de Daytona e é desta forma que Fittipaldi também espera encerrar 2018: no alto do pódio.

O brasileiro, que este ano assumiu a função de diretor esportivo da Action Express Racing, participou apenas das provas longas, substituindo Barbosa em uma das etapas de Sprint, após o português sofrer um acidente de bicicleta. Fittipaldi realizou testes recentemente na pista de Road Atlanta e também vai com tudo para brigar por seu quinto título no Campeonato Norte-americano de Endurance.

Felipe Nasr: luta pelo título no ano de estreia (José Mário Dias)

“Eu estive em todas as corridas, participei de todas as reuniões, então sei onde estamos, como o nosso carro está e tudo mais”, comentou Fittipaldi, que em 2019 vai tentar sua quarta vitória nas 24 Horas de Daytona, onde já anunciou que encerrará sua carreira.

“Mas, tendo completado várias voltas durante o teste, não há nada que substitua estar dentro do carro e foi muito produtivo para mim. Como perdemos a chance de pontuar em Laguna Seca, isso mudou bastante nossas expectativas para Road Atlanta”, continuou o brasileiro.

Com pontos na quarta e na oitava horas, em adição aos pontos do resultado final, a equipe espera capitalizar em cada segmento da Petit Le Mans para lutar pelo quinto título seguido no Campeonato Norte-americano de Endurance.

“Queremos o título, não há duvidas. Não estamos na posição ideal para isso, mas ainda temos chances. Não sabemos como a corrida irá se desenrolar, então temos de estar atentos para tentar estar o mais à frente possível”, completou o brasileiro.

Fittipaldi e Albuquerque somaram 25 pontos nas três provas anteriores do campeonato de endurance. Eles estão em segundo lugar, a seis pontos dos líderes, os companheiros de equipe Felipe Nasr e Eric Curran, que pilotam o #31 Whelen Engineering Racing Cadillac DPi-V.R.

A dupla também lidera a temporada geral do IMSA e Nasr pode ser campeão em sua primeira temporada completa na categoria. Eles somam 254 pontos no geral, quatro a menos que os vice-líderes. A dupla venceu a etapa de Detroit, chegou em segundo nas 24 Horas de Daytona, entre mais cinco pódios na temporada. Na Petit Le Mans, também irão dividir o cockpit com Gabby Chaves.

“Última corrida do ano? Como a temporada passou rápido!”, disse Nasr. “Estou bem preparado para Petit Le Mans. Tivemos a oportunidade de testar no circuito algumas semanas atrás e deixarmos tudo pronto para a corrida final. É uma pista divertida, com curvas rápidas, mas também difícil para lidar com o tráfego. Tem todos os ingredientes para uma disputa de 10 horas emocionante”, continuou.

“Sei que temos a melhor equipe por trás de nós quando disputamos provas de endurance. Petit demanda muito e também é um desafio na parte física para os pilotos. Como equipe, nosso objetivo continua sendo o mesmo: vencer!”, finalizou Nasr.

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *