Chip Ganassi vence e Brasil sobe no pódio com Tony Kanaan.

10865704_353431128175582_5084012076203873414_o

A abertura do Tudor United Sportscar Championship com a tradicional 24 horas de Daytona neste final de semana (24 e 25) foi vista com alegria para alguns e tristeza para outros. A vitória do Ford Riley #02 de Scott Dixon, Tony Kanaan, Kyle Larson e Jamie McMurry, para muitos não foi merecida devido ao bom desempenho do segundo colocado o Corvette DP #5 da equipe Action Express de João Barbosa, Christian Fittipaldi e Sebastien Bourdais.

Que mesmo tendo enfrentado dificuldades durante a prova descontou uma diferença de 3 voltas e terminou a pouco mais de 1.3 segundos dos vencedores. Um dos fatores que impediu uma nova vitória do carro #5 foi a demasiada quantidade de bandeiras amarelas durante toda a prova, principalmente nas horas finais. Sempre se questionou a quantidade e paranoia do automobilismo americano com as “Yellow Flags” foi o ingrediente que deu emoção as voltas finais da corrida.

Corrida esta que teve um grande número de abandonos principalmente dos carros LMP2. A pole do #60 o Ligier JS P2 da equipe Michael Shank Racing indicava ou pelo menos garantia uma emoção maior na prova. Se em 2014 na primeira edição do TUSC os DP levaram uma enorme vantagem por conta de um regulamento nitidamente favorável a eles, este ano a história pode ser outra. Dos 6 carros P2 apenas os dois Lola Mazda eram velhos conhecidos e com quilômetros de rodagem.

Tanto os dois HPD da equipe ESM, quanto os Ligier da Michael Shank e Krohn Racing, ficaram pelo caminho por problemas de confiabilidade. O primeiro a parar foi o Ligier da Krohn Racing com problemas de câmbio, ainda na sexta hora. Os demais carros da ESM também acabam ficando pelo caminho.

Corvette
Corvette vence na classe GTLM

A surpresa foi por conta do Lola Mazda #70 que por muitas vezes brigava com carros da classe PC, chegou a liderar a prova no período da noite, mas tanto o #70, quanto o #07 abandonaram com problemas mecânicos. Outro carro que também teve um bom começo foi o DeltaWing que imprimiu um ritmo forte nas primeiras horas mas acabou abandonando por problema no câmbio com pouco mais de 2 horas de prova.

O sobrevivente Ligier #60 acabou na 6º posição na classe e em 11º no geral. A pilotagem agressiva de Oswando Negri acabou maculada pelo fraco desempenho do modelo. Rubens Barrichello que competiu pela equipe Starworks Motorsports com o Riley BMW #7 acabou em 7º na classe e 25º no geral.

Na classe PC a vitória certa do #54 da Core Autosport foi por terra a poucos minutos do final quando Colin Braun acabou perdendo o controle do carro que acabou pegando fogo. Assim a liderança acabou no colo de Tom Kimber Smith com o #52 da PR1/Mathiasen Motorsports dos pilotos Mike Guashm Andrew Novick e Andrew Palmer. Esta foi a primeira vitória da equipe em Daytona, que teve um gosto a mais por ter enfrentado vários problemas no início da prova e ter ficado a 6 voltas do líder da classe. A classe PC também teve um alto índice de acidentes. Dos oito carros inscritos apenas três terminaram a prova. O brasileiro Bruno Junqueira terminou na quinta posição com o #11 da RSR Racing.

Já na classe GTLM a alta competitividade que vem desde os tempos da ALMS novamente foi um dos atrativos da prova que teve a vitória do Corvette #3 de Jan Magnussen, Antonio Garcia e Ryan Briscoe. Grande parte dos carros da classe enfrentaram maiores problemas durante o decorrer da prova, mas o #3 soube enfrentar as adversidades e mesmo não liderando boa parte da prova conseguiu sempre ficar perto dos líderes. O segundo colocado o BMW #25 de Bil Auberlen, Dirk Werner, Augusto Farfus e Bruno Spengler acabou na segunda posição. O BMW quando guiado por Bruno Spengler ainda teve que enfrentar um pneu furado o que atrasou a equipe para voltar a corrida. Mas sem grandes danos ao carro a troca foi rápida.

10257524_353432394842122_5571235112848186741_o
PR1 vence na PC

O terceiro colocado o Corvette #4 teve um gosto de derrota já que liderava a prova a frente do Corvette #3, porem um pneu furado obrigou o carro a entrar nos boxes para a troca do mesmo além do para-choque e capo, custando tempo. Com um bom ritmo Oliver Gavin recuperou o tempo perdido chegando em terceiro. Na quarta posição o BMW #24 que acabou se envolvendo em um toque ainda no início da prova o que lhe custou muito tempo.

Drama maior viveu a equipe Porsche que foi a vencedora da prova em 2014 e conseguiu apenas um 5º lugar com o #911 de Nick Tandy, Patrick Pilet e Marc Lieb. No período da noite os dois carros da equipe acabaram batendo. Mesmo conseguindo voltar aos boxes o #912 ficou na 7º posição e em 33º no geral.

Vários carros da classe também enfrentaram problemas e abandonaram. O Porsche #17 da equipe Falken Tires competiu por 18 horas até abandonar por problemas na transmissão. As Ferrari também não tiveram uma boa corrida. A #62 da equipe Rizi Competizione abandonou com 11 horas de prova por conta de uma falha na ignição do motor. A segunda Ferrari da classe a #51 da AF Corse acabou batendo no Aston Martin #007 da equipe TRG e não conseguiu voltar.

10714363_353432411508787_1872812989291240472_o
Viper lidera e vence na GTD

Na classe GTD a vitória ficou com o Viper #93 da equipe Riley Motorsprots de Dominick Farnbacher, Al Carter, Kuno Wttmer, Bem Keating e Cameron Lawrence. Os méritos são muitos já que o #93 largou na 19º posição e ao todo foram 60 trocar de liderança na classe durante toda a prova. O segundo carro da equipe o #33 também teve um bom desempenho e chegou a liderar mas acabou em 9º depois de ter problemas na fiação.

Em segundo o Porsche #22 da equipe Alex Job Racing, que fez uma prova sem erros, e soube se librar dos problemas. Em terceiro o Porsche #58 da equipe Dempsey/Wright Motorsports chegou ao pódio depois de ter que realizar uma parada para a troca da porta esquerda, que não fechava como deveria.

Na quarta posição a Ferrari #49 da AF Corse, seguida pelo Audi #48 da equipe Paul Miller Racing. Pilotado por Dion von Moltke, Christopher Haase, Rene Rast e Bryce Miller o carro chegou a enfrentar uma parada não programada depois que o capô do carro se soltou. As Ferrari da Scuderia Corsa #63 e #64 acabaram em 6º e 14º. O #64 carro que foi uma parceria com a Via Itália e aonde competiram os brasileiros Francisco Longo, Daniel Serra e Marcos Gomes além de Andre Bertollini chegou a liderar a prova mas enfrentou problemas depois deum acidente nas primeira horas da prova.

A próxima prova será as 12 horas de Sebring entre os dias 20 e 21 de Março.

Resultado final da prova.

*Fotos: IMSA.com

Published
6 anos ago
Categories
24 Horas Le Mans
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mandem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *