Bruno Senna sofre acidente e não corre em Silverstone pelo Mundial de Endurance

(Foto: Divulgação)

Bruno Senna sofreu acidente durante os  treinos livres que abriram nesta sexta-feira a programação das 6 Horas de Silverstone, terceira etapa da supertemporada do Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC. Ainda nos minutos iniciais da primeira sessão, o piloto perdeu o controle do protótipo LMP1 da Rebellion Racing e acertou em cheio o muro que circunda a curva Copse, uma das mais velozes do tradicional circuito inglês. Bruno conseguiu deixar o cockpit sozinho, foi atendido pelas equipes de resgate e transferido para o centro médico do autódromo, onde foi constatada a fratura do tornozelo direito.

Bruno está fora do restante da programação do final de semana, mas conseguiu enxergar o aspecto positivo de um acidente com potencial mais do que ameaçador – saiu da pista a 230 km/h. “Acho que ainda saí no lucro. A pancada foi muito forte e fiquei com medo de ter quebrado o fêmur, porque me virei todo dentro do carro. Mas o monocoque resistiu bem e ainda será recuperado para os ensaios e a classificação de amanhã.  Não sofri praticamente mais nada, a não ser um pouco de dor nos quadris”, afirmou, antes de ser submetido a exames complementares que descartassem qualquer outra consequência do impacto.

O dia, na verdade, já não havia começado bem. Ainda antes, quando deixava os boxes, recebeu um toque na traseira de uma Ferrari que o mandou para o muro e o obrigou a voltar para os reparos. Depois, veio o mais grave na segunda volta com o pé embaixo. “Peguei uma zebra na Copse, as rodas saíram do chão e não deu para fazer mais nada. Já sofri alguns acidentes na minha carreira e este pode ser tranquilamente incluído na lista dos mais sérios. Dei sorte, porque foi apenas uma fratura leve. Poderia ter sido muito pior, mas também poderia sair completamente ileso se a perna ficasse um pouco mais protegida.”

A conselho dos médicos que o atenderam, Bruno já procurou um especialista em Londres para iniciar o processo de recuperação. Na avaliação inicial da equipe que o assistiu no autódromo, ele deverá permanecer em repouso por cerca de seis semanas e em seguida iniciar o tratamento fisioterápico. “Quero começar logo para voltar o mais rápido possível”, avisou. Bruno deverá ser forçado a abrir mão de compromissos com a McLaren, para a qual trabalha como embaixador da marca, mas aposta na volta em plena forma nas 6 Horas de Fuji, marcadas para 13 de outubro no Japão. “Até lá estarei totalmente recuperado”, garante.

Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *