Bruno Senna: “Cometemos um erro e saímos com o tanque cheio”

(Foto: Divulgação)

Bruno Senna e seus companheiros, o alemão Andre Lotterer e o suíço Neel Jani, estarão atrás apenas das Toyota oficiais de fábrica no grid da edição 2018 das 24 Horas de Le Mans, segunda etapa do Campeonato Mundial de Endurance, e que terá largada às 10 horas (Brasília) no lendário circuito da região oeste da França. O Fox 2 vai transmitir boa parte da prova, com a primeira entrada ao vivo a partir das 14 horas.

A pole no geral e da classe LMP1 ficou com o trio formado por Fernando Alonso, Kazuki Nakajima e Sébastien Buemi, que na terceira e definitiva sessão classificatória da quinta-feira superaram em exatos dois segundos o outro Toyota dividido por Mike Conway, Kamuy Kobayashi e Jose Maria Lopez. O Rebellion R13-Gibson de Bruno e seus parceiros apareceu em seguida, batendo o BR Engineering/AER da equipe russa SMP por escassos 34 milésimos de segundo.

O treino que definiu as posições de largada, na avaliação de Bruno, já deu uma indicação do que poderá ocorrer ao longo da exaustiva maratona de longa duração de um dos eventos mais importantes do calendário internacional. “Foi um dos qualis mais confusos da história, cheio de acidentes, bandeiras amarelas, vermelhas… Le Mans está bem caótico neste ano e, pelo jeito, a corrida será bastante parecida, previu.

Bruno sabe que será difícil acompanhar o ritmo superior das Toyota, mas comemorou o objetivo alcançado de largar à frente dos carros russos, um deles reforçado pelo campeão mundial Jenson Button – um dos 24 pilotos com passagem na Fórmula 1 presentes a Le Mans e que partirá da 7ª colocação. Ainda assim, observou que o desempenho no qualifying poderia ter sido melhor. “Cometemos um erro e saímos com o tanque cheio, o que obviamente comprometeu o tempo de uma volta que foi até boa nas circunstâncias. Além disso, nosso motor está perdendo um pouquinho para o outro Rebellion por ter mais quilometragem”, explicou.

Campeão mundial da LMP2 no ano passado, Bruno reconhece que a luta para subir ao pódio deve ser a expectativa mais real. “Nossa briga é para terminar à frente das SMP, porque será quase impossível acompanhar as Toyota. Teremos chances apenas se elas tiverem problemas e tudo der certo para nós”, concluiu. A marca japonesa é a única fábrica a se manter na categoria e persegue sua primeira vitória em Le Mans. Lotterer, que atualmente disputa também a Fórmula E, estará no cockpit do carro da equipe franco-suíça para o primeiro turno de pilotagem.

Os melhores no grid de 60 carros:

1 – Fernando Alonso, Kazuki Nakajima e Sébastien Buemi, Toyota, 3m15s377

2 – Mike Conway, Kamui Kobayashi e Jose Maria Lopez, Toyota, 3min17s377

3 – Bruno Senna, Andre Lotterer e Neel Jani, Rebellion R13-Gibson, 3min19s449

4 – Stéphane Sarrazin, Egor Erudzhev e Matevos Isaakyan, BR Engineering/AER, 3min19s483

5 – Thomas Laurent, Matias Beche e Gustavo Menezes, Rebellion R13-AER, 3min19s945

6 – Henrik Hedman, Ben Hanley, Renger Van der Zande, BR Engineering-Gibson, 3min21s110

Published
5 meses ago
Categories
24 Horas Le Mans
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *