Augusto Farfus sobre Bathurst: “Foi uma prova muito dura”

Em prova de recuperação, Farfus fecha no top-5 as 12 Horas de Bathurst BMW. (Foto: BMW)

Augusto Farfus participou na Austrália das 12 Horas de Bathurst, neste domingo (3), válida pela primeira etapa do Intercontinental GT Challenge (IGTC) – campeonato que o brasileiro também vai disputar de forma regular em 2019. Integrando o trio do BMW Team Schnitzer, ao lado de Martin Tomczyk e Chaz Mostert, Farfus fez uma grande corrida de recuperação, chegou a assumir a liderança por algumas horas, e fechou a corrida no top-5, a bordo da BMW M6 GT3 #42.

A prova começou às 5:35 no horário local australiano, quando ainda estava escuro. O trio largou em 15º, após dificuldades com o balanço no carro na classificação, realizada por Mostert no dia anterior. Porém, logo nas primeiras horas, com uma estratégia acertada, eles conseguiram recuperar terreno de forma contundente. Augusto foi o segundo a assumir o volante da BMW #42 e alcançou o primeiro lugar, liderando até a quarta hora da corrida, aproximadamente. As altas temperaturas, ultrapassando os 37ºC, foram um dos grandes desafios, pois acabou interferindo mais do que o esperado na performance do carro, e o ritmo não era igual aos dos ponteiros. Mesmo assim, o trio se mostrou competitivo, brigando por um lugar no pódio da disputa no traçado extremamente técnico de 6.123 metros nas montanhas do Circuito de Mount Panorama, terminando em 5º lugar e somando importantes pontos para o campeonato, que tem mais quatro etapas ao longo do ano.

A corrida também foi especial e emocionante para todos por ter sido o primeiro compromisso da BMW Team Schnitzer após o falecimento inesperado de Charly Lamm, que foi o chefe da equipe por muitos anos. Lamm havia se aposentado justamente na Copa do Mundo de GT, em Macau, no fim de 2018, quando Farfus foi campeão correndo pela equipe. 

“Nós fizemos uma ótima corrida em termos de performance pessoal como equipe, mas faltou um pouco para que pudéssemos garantir um lugar no pódio. Foi uma prova muito dura, muito quente durante todo o dia, mas foi um resultado positivo, uma boa recuperação e somamos pontos importantes para o restante do campeonato, que é longo. Agradeço a todo o time pelo trabalho, foi um fim de semana emocionalmente difícil, mas nos mantivemos fortes juntos. Os últimos resultados me enchem de motivação para seguir o trabalho, agora me preparando para Sebring pelo WEC e Laguna Seca pelo IGTC”, comentou o piloto.

Após a maratona de duas provas de longa duração, num total de 36 horas de corridas nos últimos 15 dias, Farfus agora retorna à Europa por alguns dias. Já os próximos desafios do brasileiro serão nos Estados Unidos, primeiro pelo WEC (Campeonato Mundial de Endurance da FIA), com as 1000 milhas de Sebring, entre 13 e 15 de março, e depois, as 8 Horas da Califórnia, em Laguna Seca, pelo IGTC.

Published
5 meses ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *